Governo reúne-se para debater orçamento retificativo

Walter Branco / Portugal.gov.pt

Pedro Passos Coelho com Paulo Portas e Maria Luís Albuquerque

Pedro Passos Coelho com Paulo Portas e Maria Luís Albuquerque

O Governo reuniu-se esta terça-feira em Conselho de Ministros extraordinário para debater as medidas a incluir no segundo orçamento retificativo de 2014, para compensar os chumbos recentes do Tribunal Constitucional.

Ao fim da manhã, depois de quatro horas de reunião, os ministros saíram da Gomes Teixeira sem fazer quaisquer comentários, de acordo com o Expresso.

Este orçamento retificativo tem apreciação e votação num plenário extraordinário da Assembleia da República marcado para 4 de setembro. A 11 de setembro está prevista uma eventual discussão e votação de normas do orçamento retificativo na especialidade e votação final global do documento.

De lembrar que o primeiro-ministro Pedro Passos Coelho recusou, no domingo, um aumento de impostos para este ano para fazer face ao buraco aberto pelo chumbo dos juízes do Palácio Ratton. Passos Coelho, que falava aos jornalistas durante a inauguração da Casa do Vinho de Valpaços, afirmou não estar “em sede de orçamento retificativo em cima da mesa matéria de natureza fiscal”.

O chefe do Governo recusava assim o aumento de impostos para este ano, depois de o comentador social-democrata Marques Mendes ter afirmado no sábado que era intenção do Governo aumentar o Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA), num ponto percentual, ou seja, de 23 para 24% já este ano.

Para Passos Coelho, o défice de 4% definido para 2014 é “alcançável” e bastam “alguns ajustamentos” dentro do orçamento, nomeadamente do lado da despesa. Já o vice-primeiro-ministro, Paulo Portas, voltou a defender “políticas que protejam o crescimento e a confiança na economia” portuguesa.

No domingo, Marques Mendes sugeriu ainda que um novo aumento de impostos poderia levar a “uma guerra” no interior da coligação.

Retificativo ficou à espera do Constitucional

O Governo já tinha anunciado a necessidade de voltar a alterar o Orçamento do Estado para 2014, depois de, em maio, o Tribunal Constitucional (TC) ter chumbado três normas do documento: os cortes salariais acima dos 675 euros, a alteração ao cálculo das pensões de sobrevivência e a aplicação de taxas de 5% sobre o subsídio de doença e de 6% sobre o subsídio de desemprego.

Estes chumbos abriram um buraco de cerca de 860 milhões de euros no documento, segundo disse em junho a ministra das Finanças, Maria Luís Albuquerque.

No entanto, o Governo não avançou então com um retificativo porque quis “estabilizar em definitivo” os mecanismos de substituição “com que poderia contar” para substituir as medidas declaradas inconstitucionais, explicou na semana passada o ministro da Presidência, Marques Guedes.

Há pouco mais de uma semana, os juízes do Palácio Ratton consideraram constitucional a reintrodução dos cortes salariais entre os 3,5% e os 10% nos salários do sector público acima dos 1.500 euros em 2014 e 2015, mas declararam inconstitucionais os referentes aos anos de 2016 a 2018.

O TC também considerou inconstitucionais duas normas do diploma que cria a contribuição de sustentabilidade da Segurança Social por “violação do princípio da protecção de confiança”. Este chumbo abre um buraco de 372 milhões de euros no Orçamento do Estado para 2015, segundo contas do Governo.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

O Ciclo Solar 25 vai afetar a vida na Terra (e a NASA explica como)

A cada 11 anos, o Sol inicia um novo ciclo solar, marcado por períodos de violentas erupções e explosões magnéticas. Em dezembro de 2019, teve início um novo ciclo solar. Na semana passada, a NASA e …

Criada para prevenir a guerra, a ONU enfrenta um mundo profundamente polarizado

Criada após a Segunda Guerra Mundial para evitar novos conflitos, a Organização das Nações Unidas (ONU) comemora esta segunda-feira o 75.º aniversário, num mundo polarizado que enfrenta uma pandemia, conflitos regionais, uma economia em declínio …

Mulher cai de carro em movimento enquanto grava vídeo para o Snapchat

Uma mulher, que ocupava o lugar do passageiro de um carro em movimento, caiu numa auto-estrada enquanto filmava um vídeo para a rede social Snapchat, no Reino Unido. Segundo a CNN, a mulher estava pendurada na …

Nos Estados Unidos, a venda de discos em vinil ultrapassou a de CD pela primeira vez desde 1986

Pela primeira vez desde 1986, as vendas de discos de vinil ultrapassaram as vendas de CD nos Estados Unidos em 2020. Os números foram apresentados na semana passada pela Associação Americana da Indústria de Gravação, …

Mourinho espera ganhar sem jogar

Tottenham iria defrontar o Leyton Orient mas também no Reino Unido há jogos de futebol em causa por causa do coronavírus. O encontro entre Leyton Orient e Tottenham, relativo à terceira eliminatória da Taça da Liga …

A máfia italiana tem uma nova arma de recrutamento: o TikTok

Os jovens membros da Camorra, organização criminosa aliada à máfia siciliana, estão a recorrer ao TikTok para divulgar o seu estilo de vida e recrutar novos membros. Em maio, um vídeo foi publicado no TikTok que …

Os três segredos para ter um bom sistema imunológico são gratuitos, avisa Fauci

Manter o sistema imunológico saudável é um dos fatores-chave para lidar com a covid-19, o que não implica necessariamente a toma de suplementos vitamínicos. Há uns tempos, quando confrontado com o facto de a atriz Jennifer …

Pinguim encontrado morto no Brasil com uma máscara inteira no estômago

Um espécime de pinguim-de-Magalhães (Spheniscus magellanicus) foi encontrado morto numa popular praia brasileira e a autópsia ao corpo revelou que o animal tinha no seu estômago uma máscara de proteção facial N95. O animal foi …

Trump quer restabelecer sanções ao Irão. ONU rejeita apoiar posição norte-americana

O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), António Guterres, disse que somente apoiará a restituição de sanções ao Irão, exigidas pelos Estados Unidos (EUA), se receber luz verde do Conselho de Segurança. Numa carta dirigida …

Designer holandês desenvolve "caixão vivo" feito com fibras de fungos

Um corpo humano pode demorar cerca de uma década a decompor-se dentro de um caixão. Com o Living Cocoon, o tempo é reduzido para dois ou três anos. Bob Hendrikx, biodesigner fundador da Loop, desenvolveu e …