11 membros do Governo com registos de interesses em atraso (7 deputados obrigados a deixar cargos)

Manuel de Almeida / Lusa

O novo ministro das Infraestruturas e da Habitação, Pedro Nuno Santos (E), o novo ministro do Planeamento, Nelson Souza (C), e a nova ministra da Presidência e Modernização Administrativa, Mariana Vieira da Silva (D)

Os registos de interesses de 11 membros do Governo – 5 ministros e 6 secretários de Estado – não estão ainda disponíveis no site do Parlamento, cinco meses depois da tomada de posse do Governo. Este atraso deve-se, essencialmente, a “problemas de preenchimento”. Enquanto isso, sete deputados foram forçados a deixar cargos em empresas devido a incompatibilidades.

Os deputados Pedro Cegonho, Alexandre Quintanilha e Joaquim Barreto (PS), Ofélia Ramos, Lina Lopes e Lima Costa (PSD) e João Almeida (CDS) tiveram que deixar lugares em empresas ou entidades pelo facto de esses cargos serem incompatíveis com os seus postos na Assembleia da República, como reporta o Correio da Manhã (CM).

O jornal apurou que o Grupo de Trabalho que está a analisar os registos de interesses pediu “correcções” nos documentos a 209 dos 300 deputados e membros do Governo que estão obrigados a entregá-los.

Entretanto, há 11 elementos do Executivo cujos registos de interesses ainda não estão acessíveis para consulta online, no site do Parlamento. Estão em causa os ministros Eduardo Cabrita (Administração Interna), Nelson de Souza (Planeamento), Manuel Heitor (Ensino Superior), Pedro Nuno Santos (Infraestruturas e Habitação) e Maria do Céu Albuquerque (Agricultura), bem como os secretários de Estado Teresa Ribeiro (Negócios Estrangeiros e Cooperação), Eurico Brilhante Dias (Internacionalização), Ana Sofia Antunes (Inclusão de Pessoas com Deficiência), João Catarino (Valorização do Interior), Alberto Souto de Miranda (Adjunto e das Comunicações) e Nuno Russo (Agricultura e Desenvolvimento Rural).

O secretário-geral da Assembleia da República, Albino de Azevedo Soares, explica o atraso com “pedidos de esclarecimento ou de aditamento de documentação feitos pelo Grupo de Trabalho constituído no âmbito da Comissão de Transparência e Estatuto dos Deputados”, como refere ao CM.

O presidente do Grupo de Trabalho, Pedro Delgado Alves, acrescenta no mesmo jornal que não estão em causa situações de incompatibilidade, mas que o atraso “tem muito que ver com situações de natureza prática e até tecnológica, como problemas de preenchimento”.

Pedro Delgado Alves garante ainda que os registos já deram todos entrada no Parlamento para serem alvo de nova análise, antes da sua publicação online.

Entretanto, também os registos de nove deputados não podem ainda ser consultados. Estão em causa Alexandre Quintanilha, António Gameiro, Carlos Pereira, Hugo Pires, Joaquim Barreto, Paulo Pisco e Sónia Fertuzinhos, do PS, João Gonçalves Pereira, do CDS, e Joacine Katar Moreira, ex-deputada do Livre.

ZAP //

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Embora reconhecendo quão é dificil poder enquadrar sobre essencial informativo,em todas as suas vertentes, apraz registar como integro e de excelente qualidade nas várias áreas que abrangentes, a informação produzida,e portanto avaliando a mesma de excelente qualidade.

  2. Coitado do Cegonho (de facto está mais magro). Agora fica-se “SÓ” por CONTINUAR Presidente da Junta de Freguesia de Campo de Ourique…

Lisboa pode receber a final deste ano da Liga dos Campeões

Istambul não está agradada com a ideia de receber a final da Liga dos Campeões sem adeptos no estádio. Por isso, outras hipóteses estão a ser consideradas, nomeadamente Lisboa. A final da Liga dos Campeões está …

Há mesmo algo de reconfortante quando dizemos palavrões

Um novo estudo sugere que, nas circunstâncias certas, dizer palavrões em voz alta parece fazer as pessoas sentirem menos dor. Exatamente como e porque é que o ato de dizer asneiras consegue fazer com que as …

"Paraministro" de Costa. Gestor independente chamado para negociar plano económico de retoma

O primeiro-ministro, António Costa, convidou o diretor executivo da petrolífera Partex, António Costa Silva, para estudar o plano de recuperação económica. De acordo com o semanário Expresso, que avança a notícia na sua edição deste …

Termina o dever cívico de confinamento

O Conselho de Ministros aprovou esta sexta-feira o fim do “dever cívico de recolhimento”, que entrará em vigor na próxima segunda-feira, prevê a resolução que prolongou a situação de calamidade até 14 de junho. A situação …

"Ratos" de musgo espalham-se pelos glaciares do Ártico (e intrigam cientistas)

A presença de estranhas bolas de musgos nos ecossistemas de glaciares tem atraído a atenção da comunidade científica. Estas estranhas criatura proliferam no Ártico, mas também em regiões da Islândia e América do Sul. Especialistas de …

Há 29 países que podem visitar a Grécia a partir de 15 de junho. Portugal ficou de fora

A partir de 15 de junho, cidadãos oriundos de 29 países poderão visitar a Grécia, revelou esta sexta-feira o Governo helénico, dando conta que a lista elaborada teve em conta a situação epidemiológica de cada …

Portugal Continental não vai ter quarentena para turistas

O primeiro-ministro, António Costa, garantiu esta sexta-feira que Portugal continental não vai aplicar normas de quarentena para quem vier de fora do país. No final de um Conselho de Ministros de quase oito horas, que se …

Jovem de 19 anos morre atingido por disparos durante protesto pela morte de George Floyd

Um jovem de 19 anos morreu depois de alguém que seguia num carro ter disparado sobre uma multidão de pessoas que protestavam contra o homicídio do afro-americano George Floyd, indicou uma porta-voz da polícia de …

O campo magnético da Terra está a enfraquecer misteriosamente

Novos dados de satélite da Agência Espacial Europeia (ESA) mostram que o campo magnético da Terra está a enfraquecer entre África e a América do Sul. O enfraquecimento do campo magnético da Terra está relacionado com …

Morreram os primeiros dois capacetes azuis vítimas da covid-19

Dois militares da força de manutenção da paz das Nações Unidas no Mali morreram devido à covid-19, os primeiros entre cerca de 100.000 soldados e polícias destacados em 15 missões no mundo. "Infelizmente, ontem [quinta-feira] e …