Governo proíbe bolos, refrigerantes e snacks nos hospitais

Os hospitais e os centros de saúde públicos têm, a partir de hoje, seis meses para retirarem das máquinas de venda automática alimentos “prejudiciais à saúde”, como os bolos, salgados, snacks e refrigerantes.

Entrou em vigor, esta terça-feira, o despacho do Ministério da Saúde que obriga as entidades do Serviço Nacional de Saúde a não disponibilizarem “produtos prejudiciais à saúde”, através das máquinas de venda automática.

Centros de saúde, hospitais, unidades locais de saúde e demais entidades do SNS têm, assim, seis meses para negociarem com os fornecedores novos contratos, “se tal não implicar o pagamento de indemnizações ou de outras penalizações”, sublinha o ministério, segundo citação do jornal Público.

Este despacho é a concretização da ideia apresentada pelo ministro da Saúde, Adalberto Campos Fernandes, na Comissão Parlamentar de Saúde, no passado mês de maio.

Entre os alimentos proibidos constam salgados, folhados, produtos de charcutaria, guloseimas, snacks, batatas fritas, sandes de presunto, bolas de Berlim e donuts.

O ministério também não quer refrigerantes nem bebidas energéticas ou com álcool nos serviços de saúde, nem tão pouco chocolates com embalagens superiores a 50 gramas ou refeições de alto teor calórico como, por exemplo, cachorros quentes, hambúrgueres ou pizzas.

Nos novos contratos com os fornecedores deve ainda ficar definida a venda de alimentos com teor de açúcar reduzido nas bebidas quentes e a aposta em alternativas como leite, iogurtes, sumos de frutas, pão, peixes de conserva e fruta, escreve o Público.

Estas orientações, que visam promover uma alimentação mais saudável entre os portugueses, vão entrar em vigor de forma faseada para permitir às entidades do SNS adaptarem-se.

ZAP

PARTILHAR

3 COMENTÁRIOS

  1. Já agora proíbam também bares nas escolas e instalação de outros nos arredores sempre na mira de atrair os incautos e viciados alunos sempre dispostos a gastar mais uns trocados que aos pais tanto custa a ganhar, seria uma boa medida saída das cabeças da esquerdola para não ser apenas extravagâncias.

  2. Proíbe estas máquinas e produtos nos locais de hospitalares porquê??? Permite que as máquinas funcionem em outros locais públicos do país, permite que os produtos em questão sejam comercializados no mercado alimentar, e é por as pessoas adquirirem dentro de uma unidade hospitalar que vão adoecer ou ficarem mais doentes?…

RESPONDER

Museu de Nova Iorque devolve ao Egito "caixão dourado" roubado em 2011

O Museu Metropolitan (MET) de Nova Iorque vai devolver ao Egito um sarcófago roubado em 2011, durante as manifestações da chamada "Primavera Árabe", anunciou este domingo a instituição nova-iorquina. Construído em ouro para o sacerdote Nedjemankh, …

Quase um terço da população chinesa terá mais de 65 anos em 2050

Trinta por cento da população chinesa terá mais de 65 anos, dentro de três décadas, informou hoje um jornal chinês, ilustrando o rápido envelhecimento do país, apesar de ter abolido a política de filho único. “O …

Trump pede à Europa que julgue os seus "jihadistas" (ou os EUA terão de os libertar)

O presidente dos Estados Unidos apelou aos países europeus, nomeadamente o Reino Unido, a França e a Alemanha, para repatriarem e julgarem os seus combatentes do Estado Islâmico feitos prisioneiros na Síria. Caso contrário, aponta …

Depois de 11 mortes e 1800 condenações, franceses querem o fim dos Coletes Amarelos

A maioria dos franceses defende que devem parar os protestos nas ruas dos “coletes amarelos”, três meses após o início das primeiras manifestações que fizeram 11 vítimas mortais, noticia esta segunda-feira a agência France Presse. Uma …

Uma tese de doutoramento levou Marcelo à capa do El País

A tese de doutoramento sobre Marcelo Rebelo de Sousa é de autoria de uma professora universitária e jornalista da RTP. O tema já chegou ao jornal espanhol El País. O jornal percorre as provas de popularidade …

Seguros de saúde sobem para 2,6 milhões com crise no SNS

No primeiro semestre de 2018 o número de contratos de seguros de saúde aumentou 3%, em termos homólogos, para 2,6 milhões, escreve esta segunda-feira o Jornal de Notícias na sua edição impressa. Os dados, da Autoridade …

PSP usa critérios étnicos para avaliar risco de bairros problemáticos

Apesar de a recolha de dados étnico-raciais não ser permitida em Portugal, a PSP utiliza ainda critérios étnicos na avaliação do grau de risco de zonas urbanas sensíveis (ZUS), avança o jornal Público esta segunda-feira. Segundo …

Pyongyang fala em “momento decisivo” em vésperas de nova cimeira com Washington

O principal diário norte-coreano, Rodong Sinmun, escreve esta segunda-feira que o país enfrenta "um momento decisivo", em termos de desenvolvimento económico, a pouco mais de uma semana da cimeira entre o líder norte-coreano e dos …

OCDE quer tribunais especiais para julgar a corrupção

Portugal precisa de fortalecer os mecanismos de prevenção da corrupção, defende a OCDE, que sugere a criação de tribunais especializados e a redução das possibilidades de recurso dos arguidos.  O retrato da análise da corrupção …

Costa "está a colocar todos os potenciais sucessores no palco”

No seu habitual espaço de comentário político semanal na SIC, Luís Marques Mendes falou sobre as recentes alterações no Governo, a moção de censura do CDS que "não faz sentido" e a "crise anunciada" da …