Governo prepara plano para recuperar cirurgias oncológicas que ficaram por fazer

O Ministério da Saúde está a preparar um plano de retoma da atividade cirúrgica na área oncológica para recuperar as cirurgias que não se realizaram na sequência da suspensão da atividade não urgente e prioritária. Em dezembro, 30% dos inscritos para cirurgia eram doentes oncológicos.

Embora os três Institutos Portugueses do Oncologia (IPO) não tenham sido abrangidos pelo despacho, mas “antecipando a importância de ter um plano de recuperação de atividade nesta área”, o Ministério da Saúde promoveu uma reunião de trabalho para delinear um plano para minimizar os efeitos da suspensão sobre a cirurgia oncológica.

Marta Temido referiu que estavam inscritos em dezembro em lista de espera mais de 5000 doentes, dos quais 30% nos IPO.

O SNS realizou menos 1,2 milhões de consultas hospitalares e menos 126 mil cirurgias em 2020 comparando com a atividade realizada no ano anterior. Já nos centros de saúde realizaram-se mais cerca de um milhão de consultas, mas à custa do crescimento das consultas não presenciais.

A ministra frisou que houve uma articulação entre os hospitais gerais e os IPO “para resolução das situações clínicas oncológicas mais inadiáveis”, mas lembrou que estas unidades também têm listas de espera próprias.

Para amenizar a situação, o Programa Nacional para as Doenças Oncológicas está a elaborar “estratégias imediatas para abordar a cirurgia oncológica”.

“Desde logo, a manutenção da realização de cirurgia oncológica até ao nível 3 dos planos de contingência hospitalares, sempre que haja condições para a separação de circuitos, a proteção da capacidade cirúrgica de especial complexidade técnica – cirurgia hepática e pancreática, sarcomas ósseos, neurocirurgia, onco-oftalmologia -, a definição de unidades hospitalares com camas de cuidados intensivos dedicadas e reservadas para os pós-operatórios desta área“, disse a responsável da Tutela.

Temido realça que o programa “pretende ainda que possam funcionar clusters regionais de hospitais com atividade nesta área de forma a ajudar nesta resposta, que precisamos de acelerar nos próximos meses”.

“As regiões de Lisboa e do Vale do Tejo, bem como a região do Algarve, eram as que tinham mais situações de inscritos para além dos Tempos Máximos de Resposta Garantidos e, portanto, são aquelas que irão ter a nossa maior preocupação”, afirmou a governante na Comissão de Saúde, em resposta a questões levantadas por deputados.

Ainda sobre a atividade não covid-19, adiantou que “os centros de saúde, hospitais e unidades de cuidados continuados integrados e também a rede de paliativos tiveram a resiliência suficiente para ao longo do ano de 2020, nos períodos em que a pandemia foi menos intensa, melhorarem os níveis de resposta”.

Contudo, assinalou, “muito ficou por fazer, mas isso vai ser continuado em 2021”.

Ana Isabel Moura, ZAP //

 

PARTILHAR

RESPONDER

Agente de viagens burlou Cristiano Ronaldo em 200 mil euros

Cristiano Ronaldo foi burlado, ao longo de mais de três anos, pela funcionária de uma agência de viagens a quem confiou os seus cartões de crédito e códigos. Jorge Mendes, Gestifute, Nani e Manuel Fernandes …

França diz-se "enganada" pela Austrália após suspensão de contrato de submarinos

Na semana passada, Estados Unidos, Austrália e Reino Unido anunciaram um acordo de defesa que inclui o desenvolvimento de submarinos nucleares na Austrália. O embaixador francês na Austrália, Jean-Pierre Thebault, disse esta segunda-feira que a França …

Sete mortos e 306 infetados nas últimas 24 horas

Portugal registou, esta segunda-feira, 306 novos casos e sete mortes na sequência da infeção por covid-19, de acordo com o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS). Segundo o último boletim da Direção-Geral da Saúde, Portugal …

Rússia Unida anuncia vitória nas legislativas

O partido do Kremlin, Rússia Unida, reivindicou no domingo a vitória nas eleições legislativas russas, mas a sua maioria constitucional na Duma, a câmara baixa do parlamento, está ainda por apurar, após a contagem de …

Cientistas estão a dar vida ao holodeck, um holograma que você pode tocar

Os cientistas estão cada vez mais perto de tornar o holodeck uma realidade. Investigadores estão a criar um holograma que você pode tocar. A série Star Trek: The Next Generation apresentou a milhões de pessoas a …

A partir de novembro, EUA passam a permitir entrada de estrangeiros totalmente vacinados

A partir do início de novembro, os Estados Unidos passam a permitir a entrada de viajantes da União Europeia (UE) e do Reino Unido, desde que estejam totalmente vacinados. Os Estados Unidos vão reduzir as restrições …

Talibãs mandam funcionárias do governo de Cabul ficar em casa

As funcionárias do governo de Cabul devem ficar em casa. A única exceção aplica-se às trabalhadoras cujos cargos não podem ser desempenhados por homens. Só as mulheres "que não podem ser substituídas por homens" podem regressar …

"Tatatatatatata." A bazuca de Costa é, afinal, uma "metralhadora" que dispara de rajada

Rui Rio considera que António Costa devia chamar a bazuca de metralhadora, porque o primeiro-ministro "dispara de rajada" promessas. "HK21 tem fita, carrega-se, e aquilo dispara tatatatatatata." O presidente do PSD, Rui Rio, ironizou esta segunda-feira …

Campanha alerta população sobre cancros de sangue e apela para informação

Uma campanha para quebrar o silêncio sobre os cancros do sangue e alertar para a importância do diagnóstico precoce está nas ruas até final de setembro, lembrando que é essencial estar atento a sintomas e …

Pfizer diz que vacina é "segura" para crianças dos cinco aos 11 anos

A Pfizer/BioNTech anunciaram, esta segunda-feira, que a vacina é segura e parece gerar uma resposta imunitária robusta nas crianças dos cinco aos 11 anos. Depois de um estudo com 2.268 participantes, a Pfizer/BioNTech anunciaram que a …