Gotas para os olhos retiradas do mercado português

Oito lotes de Ectodol não tinham a ectoína que deveriam ter. Infarmed recomenda interrupção imediata da aplicação.

A farmacêutica alemã bitop AG está a recolher oito lotes das gotas para os olhos Ectodol, comercializadas em Portugal, após ter sido detetada uma redução do principal componente, divulgou, esta terça-feira, o regulador nacional do medicamento (Infarmed).

Os lotes em causa são A841E, A841F, A841G, B841D, B841E, B841F, B841G e B841H, elenca a Autoridade Nacional do Medicamento e Produtos de Saúde (Infarmed) numa circular informativa que data de segunda-feira e hoje divulgada no seu portal.

O Infarmed recomenda, de acordo com as medidas previstas pelo fabricante, a “interrupção imediata da solução oftálmica e a sua devolução ao estabelecimento de aquisição” apesar de, segundo a avaliação efetuada pela farmacêutica, “a eficácia e o desempenho” das gotas não serem afetados, não constituindo risco para a saúde.

A recolha dos lotes visados foi iniciada “após ter sido identificada uma diminuição da concentração prevista de ectoína, componente principal da solução, e a presença de produtos de degradação desta substância”.

Até à data, segundo o Infarmed, “não foram comunicados casos de incidentes associados à utilização destes lotes”.

Contudo, o Infarmed aconselha, “em caso de qualquer efeito secundário indesejado, como irritação ocular ou conjuntivite, o contacto com um profissional de saúde”.

As gotas oftálmicas Ectodol atuam na “redução da inflamação da conjuntiva e na regeneração da conjuntiva irritada e sensível”.

  // Lusa

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.