Genética ajuda a desvendar o mistério dos “dois irmãos” egípcios com 4000 anos

Manchester Museum / The University of Manchester

Os “dois irmãos”, as duas múmias mais antigas e mais conhecidas do Museu de Manchester, no Reino Unido.

Graças a técnicas avançadas de sequenciamento genético, investigadores da Universidade de Manchester, no Reino Unido, descobriram que os famosos “dois irmãos” egípcios, duas múmias com 4000 anos, eram, na verdade, meio-irmãos.

O túmulo com as duas múmias foi encontrado por arqueólogos da Escola Britânica de Arqueologia em Deir-Rifeh, localidade situada a alguns quilómetros do Cairo, no Egipto, em 1907. Datando de cerca de 1800 antes de Cristo, foram identificadas como as múmias de dois homens da elite egípcia, mais precisamente Khnum-nakht e Nakht-ankh.

Ao longo dos anos, a descoberta foi alvo de muitas especulações. Após a análise às inscrições hieroglíficas dos dois caixões, sugeriu-se que os dois seriam filhos de um governador local e que teriam mães com o mesmo nome, Khnum-aa. E foi assim que as múmias ficaram conhecidas como “Os dois irmãos”, explica a Universidade de Manchester em comunicado.

Mas uma nova análise efectuada em 1908, concluiu que “as morfologias dos dois esqueletos eram bastante diferentes”, o que dava a entender que não teriam qualquer relação familiar, refere a instituição de ensino.

Depois, ainda apareceu a ideia de que um dos irmãos seria adoptado. E só as técnicas de sequenciação genética mais avançada permitiram desfazer o mistério, segundo o artigo científico sobre a investigação, publicado no Journal of Archaeological Science.

Em 2015, investigadores da Universidade de Manchester, liderados por Konstantina Drosou, da Escola de Ciências da Terra e do Ambiente, extraíram ADN dos dentes dos “dois irmãos”.

A “captura de hibridação das fracções mitocondriais e do cromossoma Y, sequenciadas por um método de próxima geração”, mostraram que os dois “pertenciam ao haplótipo mitocondrial M1a1”, o que significa que teriam “uma relação maternal”, afiançam os investigadores.

“As sequências do cromossoma Y eram menos completas, mas mostraram variações entre as duas múmias, indicando que Nakht-Ankh e Khnum-Nakht tinham pais diferentes e que, por isso, eram, muito provavelmente, meios-irmãos”, salientam ainda.

“Foi uma longa e exaustiva jornada até chegar aos resultados”, constata Konstantina Drosou, frisando que “são estes momentos que nos fazem acreditar no ADN antigo”.

“Conseguimos acrescentar uma pequena, mas muito importante peça ao grande puzzle da história e estou certo de que os irmãos ficariam muito orgulhosos de nós”, conclui o investigador.

Este foi “um dos primeiros estudos” a utilizar com sucesso “a tipagem de ADN mitocondrial e do cromossoma Y em múmias egípcias”, explica-se no comunicado sobre a pesquisa.

As duas múmias estão em exibição no Museu de Manchester, sendo “as mais antigas e mais conhecidas” da sua colecção egípcia.

SV, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Planetas anormalmente gigantes detetados a orbitar uma estrela jovem

Investigadores identificaram uma jovem estrela com quatro planetas do tamanho de Júpiter e de Saturno em órbita, a primeira vez que tantos enormes planetas foram detetados num sistema tão jovem. O sistema também quebrou o recorde …

Diminuição de insetos tem efeitos "inimagináveis" para os seres humanos

A diminuição do número de insetos é um problema muito mais grave do que se julgava. Nova investigação afirma que essa diminuição põe em causa cadeia alimentar e traz "consequências inimagináveis para os seres humanos". O …

Cientistas confirmam que os eletrões são perfeitamente redondos

Com uma precisão sem precedentes, cientistas mediram a forma da carga de um eletrão confirmando que é extremamente redonda. O resultado apoia o Modelo Padrão das Partículas Física e força a revisão de várias teorias …

Morte de Khashoggi foi um "erro monumental". Riade diz não saber do corpo

Em entrevista à Fox News, o ministro dos Negócios Estrangeiros saudita, Adel al-Jubeir, afirmou neste domingo não saber onde se encontra o corpo do jornalista Jamal Khashoggi, considerando que a sua morte foi um "erro monumental". …

Médicos voltam a integrar Conselho Nacional de Saúde após renúncia do presidente

A Ordem dos Médicos decidiu voltar a integrar o Conselho Nacional de Saúde, após a renúncia ao cargo do atual presidente do organismo, disse à agência Lusa o bastonário. De acordo com Miguel Guimarães, o Conselho …

Numa vila turca, os muçulmanos têm rezado na direção errada durante décadas

Os muçulmanos de uma pequena aldeia no oeste da Turquia foram obrigados a ajustar as suas orações, depois de descobrirem que estavam a rezar na direção errada durante décadas.  A descoberta partiu do imã Isa Kaya, …

Há um superaglomerado de galáxias escondido no Universo primitivo

É a maior estrutura astronómica alguma vez conhecida do antigo Universo. As evidências sugerem que a sua massa seja equivalente às maiores estruturas encontradas no Universo atual. A equipa de investigadores, liderada por Olga Cucciati, do …

Trump anuncia saída dos EUA de tratado nuclear com a Rússia

Os Estados Unidos vão retirar-se de um tratado sobre armas nucleares assinado com a Rússia durante a Guerra Fria, anunciou hoje o presidente norte-americano, Donald Trump, acusando Moscovo de violar o acordo “há muitos anos”. “A …

Os portugueses têm menos filhos do que gostariam

A diretora da representação do Fundo de População das Nações Unidas (UNFPA) disse que em Portugal a fertilidade desejada está bastante abaixo da realizada, tendo o país uma taxa de fecundidade baixa. Mónica Ferro, que neste …

"Piranha" da era dos dinossauros aterrorizou os mares do Jurássico

Uma nova espécie de peixe, semelhante a uma piranha e que viveu há 150 milhões, no tempo dos dinossauros, é descrita na edição desta sexta-feira da revista científica Current Biology. O peixe ósseo tinha dentes como …