Ser generoso pode ser a chave secreta para ser mais atraente

De acordo com um novo estudo, as pessoas mais generosas são avaliadas como mais atraentes, e as pessoas que são mais atraentes também têm uma maior probabilidade de doar. Esta pode ser uma peça fundamental na forma como os outros nos veem.

Sara Konrath, uma das autoras do estudo, publicado a 28 de agosto, defende que esta conclusão não é de agora, uma vez que ao longo dos anos “poetas e filósofos têm sugerido a ligação entre beleza moral e física”.

Konrath explica que “o estudo confirma que as pessoas que são tidas como mais atraentes, são mais suscetíveis a ser mais generosas. Talvez ser generoso possa ser a próxima tendência de beleza”, acrescenta a também professora.

Segundo o Futury, as investigadores basearam as suas conclusões em três grandes estudos. Um dos estudos examinou adultos mais velhos, e os outros analisaram pessoas no final da adolescência, acompanhando os participantes durante anos.

Para desenvolverem a sua pesquisa, as investigadoras fizeram apenas duas perguntas. “Os indivíduos que assumem mais comportamentos associados à doação são classificados como fisicamente mais atraentes?”, e fizeram também a pergunta inversa: “as pessoas fisicamente mais atraentes têm maior probabilidade de assumir comportamentos de doação?”

As classificações do que se considera ser mais atrativo fisicamente não tinham informações sobre os comportamentos de doação dos participantes, permitindo assim às investigadoras determinar se os comportamentos de doação de uma pessoa se correlacionavam com a atratividade física.

No que diz respeito aos idosos, o voluntariado e o carinho estiveram relacionados com os maiores índices de atratividade. Quando se trata de jovens, os que se voluntariaram para doações tiveram uma classificação mais elevada.

Femida Handy, co-autora do estudo, diz que “embora não possamos explicar de forma rigorosa por que razão existe uma ligação entre generosidade e atração física, encontramos uma consistência notável nos três estudos, apesar de serem realizados em momentos diferentes, usando participantes diferentes e métodos e medidas diferentes”.

Para Konrath, este estudo pode ser considerado um avanço pois refuta a perceção de que as pessoas bonitas são mais egocêntricas e vaidosas. Pelo contrário, o estudo conclui que as pessoas classificadas como mais atraentes eram também mais generosas.

Konrath diz que as pessoas gastam muito dinheiro em produtos de beleza para melhorar a sua aparência, mas podiam aplicar uma parte desse dinheiro para fazer o bem, e assim trazer ao de cima a sua beleza interior. “As nossas descobertas sugerem que os produtos e procedimentos de beleza podem não ser a única maneira de aumentar a atratividade de um indivíduo”.

ZAP ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Astrónomos descobrem uma super-Terra perto de uma estrela gelada

Uma equipa de investigadores descobriu uma super-Terra a orbitar GJ 740, uma estrela anã fria localizada a cerca de 36 anos-luz do nosso planeta. Nos últimos anos, os cientistas têm levado a cabo uma busca exaustiva …

Já pode "adotar" um pedaço de Notre-Dame para ajudar na sua reconstrução

Uma organização está a dar a oportunidade de o público ajudar na reconstrução de artefactos específicos da catedral de Notre-Dame, em França, que foi parcialmente destruída por um incêndio em 2019. De acordo com a cadeia …

Proporção divina identificada na gerbera

Descobrir como se formam os padrões distintos e omnipresentes das cabeças das flores tem intrigado os cientistas há séculos. Quando se pede a alguém que desenhe um girassol, quase todas as pessoas desenham um grande círculo …

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …

Em plena crise política, o país mais pobre das Américas ainda não recebeu nenhuma vacina

Numa altura em que a maior parte dos países já têm o processo de vacinação a decorrer, o governo do Haiti ainda não garantiu uma única dose da vacina contra o coronavírus. O país mais pobre …

Afinal, Leonardo da Vinci não esculpiu o busto de Flora

Está terminada a controvérsia que durou mais de cem anos após a aquisição do Busto de Flora em 1909, por Wilhelm von Bode. A datação por radiocarbono revelou, recentemente, que a obra não foi …

Crise climática "implacável" intensificou-se em 2020, diz relatório da ONU

Houve uma intensificação "implacável" da crise climática em 2020, com a queda temporária nas emissões de carbono devido ao confinamento a ter um impacto pouco significativo nas concentrações de gases de efeito de estufa, revelou …

Já se sabe o que causou a misteriosa "tempestade de asma", que vitimou dez pessoas em 2016

Em 2016, na cidade de Melbourne, aconteceu o evento de "tempestade de asma" mais grave do mundo. Os cientistas descobriram agora o culpado. No dia 21 de novembro de 2016, as urgências de um hospital em …