Os gatos não são antissociais. Nós é que somos

Jamie Baker/Flickr

Os gatos têm a fama de serem arrogantes e insensíveis. No entanto, um estudo recente sugere que essas características são totalmente injustificadas: afinal, os antissociais somos nós.

Há quem acredite que os gatos são antissociais e insensíveis, capazes de ignorar as pessoas sem que se sintam culpados por tal ato de malvadez. No entanto, um recente estudo mostrou que, afinal, estes animais só tratam assim quem não lhes dá atenção, fazendo jus ao ditado popular “a vingança é um prato que se serve frio”.

Assim, se o seu gato insiste em ignorá-lo é porque, muito provavelmente, não lhe está a dar a atenção que devia. Por outras palavras, o seu animal de estimação está apenas a exibir o comportamento espelhado do ser humano.

A investigação sobre o comportamento dos felinos foi realizada por cientistas da Universidade do Estado de Oregon, nos Estados Unidos. Nas experiências, os voluntários passaram algum tempo com dois grupos de gatos: o primeiro grupo vivia com os seus donos no conforto do lar, enquanto que o segundo era formado por gatos que viviam em abrigos para animais abandonados.

Kristyn Vitale, principal autora do estudo publicado recentemente na Behavioral Processes, explicou que, em ambos os grupos, os cientistas se aperceberam que os gatos passam muito mais tempo com pessoas que lhes dão atenção do que com pessoas que os ignoram.

O resultado obtido pela equipa de Vitale derruba o mito de que os gatos são animais antissociais e que não retribuem a atenção dos seres humanos. Afinal, a peça mal encaixada do puzzle somos nós, e não estes animais.

Outra curiosidade observada pelos investigadores está relacionada com a carência dos felinos. Os cientistas notaram que os gatos que viviam em abrigos passaram mais tempo com as pessoas que os ignoravam do que os gatos domésticos por estarem muito carentes de atenção.

John Bradshaw, da Universidade de Bristol, no Reino Unido, defende que os gatos são animais muito territorialistas e que podem ter comportamentos diversos dependendo do lugar onde se encontram. Ainda assim, é inegável que a maioria destes felinos é mais amigável do que o que a maioria das pessoas pensa, adianta o IFL Science.

Para Vitale, o principal objetivo deste estudo é derrubar mitos. “A ideia de que os cães são mais sociáveis do que os gatos está muito presente. Mas existem muitas variabilidades nestas duas populações”, aponta a investigadora.

Esta investigação pode não ser suficiente para convencer os amantes de cães, mas parece ser suportada por estudos anteriores que provaram que os gatos preferem passar mais tempo a interagir com humanos do que com brinquedos ou comida.

É certo que cada gato é um gato. Ainda assim, com as evidências científicas a darem um empurrão, é provável que estes felinos percam a reputação de antissociais em breve.

LM, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Défice fica nos 0,8% do PIB no primeiro semestre do ano

O défice situou-se em 0,8% do PIB no primeiro semestre deste ano, em contas nacionais, abaixo dos 2,2% registados no período homólogo, mas longe da meta para o conjunto do ano, de 0,2%. "No conjunto do …

Pelo menos sete crianças morreram após colapso de escola no Quénia

Pelo menos sete crianças morreram e 57 ficaram feridas após o colapso do edifício de uma escola em Nairobi, no Quénia, esta segunda-feira, confirmaram os serviços de socorro e as autoridades locais. "Depois do colapso do …

“Há uma mudança histórica na Madeira”

Este domingo, no seu espaço habitual de comentário, Luís Marques Mendes disse que, embora ainda não tenham sido apurados todos os resultados das eleições na Madeira, tudo aponta para que haja uma “mudança histórica” no …

O outono chegou e traz aguaceiros. Mas o calor ainda pode aparecer em outubro

O outono começou oficialmente às 8h50 desta segunda-feira. Este é o dia do equinócio, a data em que, segundo o saber popular, o dia e a noite têm a mesma duração. A data que assinala o …

Portugal não aderiu a programa da UE criado de propósito após os incêndios de 2017

No ano passado, a União Europeia criou um programa de proteção civil devido aos incêndios de 2017 em Portugal. Contudo, o país não aderiu ao mecanismo. Em 2017, Portugal viveu momentos difíceis devido aos incêndios que …

Boris responsabiliza Irão por ataque a petrolífera saudita

Boris Johnson diz que o país atribui ao Irão, "com muito alto grau de probabilidade, os ataques à gigante petrolífera saudita". O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, acusou esta segunda-feira o Irão de ser, muito provavelmente, responsável …

41 países comprometem-se com iniciativa "Clima e Qualidade do Ar"

A iniciativa "Clima e Qualidade do Ar", apresentada na véspera da Cimeira da Ação Climática, propõe alcançar até 2030 uma qualidade do ar saudável e a harmonização das políticas de luta contra as alterações …

Reino Unido. Trabalhistas querem abolir ensino privado se formarem Governo

O Partido Trabalhista britânico compromete-se a abolir o ensino privado no Reino Unido caso venha a formar Governo. O plano do partido liderado por Jeremy Corbyn implica nacionalizar e integrar no sistema educativo público todas …

Rio acusa PS de se comportar como "dono disto tudo" (e diz que também tem um "Centeno")

No último debate a dois antes das legislativas de 6 outubro, os líderes do PSD e PS trocaram esta segunda-feira críticas - em tom leve e cordial -, recordando telhados de vidro de cada força …

Em decisão histórica, partidos árabes recomendam Gantz como primeiro-ministro de Israel

O Presidente de Israel, Reuven Rivlin, iniciou este domingo as suas consultas para a formação de um novo Governo. A Lista Conjunta, uma coligação que reúne os principais partidos árabes do país (Balad, Hadash, Ta’al …