Fundação Dalí quer desmascarar a “Casa de Papel”

(dr) Antena 3

A máscara usada pelos personagens de “A Casa de Papel” está a causar polémica. A fundação Gala-Salvador Dalí está a estudar ação jurídica para regularizar uso do disfarce.

Salvador Dalí e Gala sempre tiveram fama de gostar muito de dinheiro, mas não a ponto de considerarem assaltar um banco. O mestre do surrealismo, que morreu há 30 anos, virou um inusitado protagonista do crime, ou pelo menos no falso crime.

As máscara usadas na muito popular série espanhola que o Netflix recuperou, “A casa de Papel”, usam a famosa imagem de Dali e dos seus bigodes pontiagudos.

Na série, os criminosos pretendem roubar 2,4 mil milhões de euros do Fábrica Nacional de Moeda de Espanha e, durante os episódios, usam uma máscara que remete para uma representação da cara do artista espanhol.

A máscara virou símbolo da série reconhecido mundialmente, mas a Fundação Gala-Salvador Dalí, criada pelo pintor em 1983, com o objetivo de fomentar, proteger, e defender o seu legado está preocupada com a associação à série da Netflix.

“Estamos a tratar de regularizar os usos do direito de imagem de Salvador Dali”, informaram fontes da fundação ao El País.

A série estreou em Espanha em 2017, mas só quando foi adquirida pelo Netflix, que exerceu a sua influência para trabalhar os episódios e depois distribui-os por todo o mundo.

O sucesso foi tal que se tornou a série de língua não inglesa, mais bem sucedida da plataforma de streaming. Os fãs aguardam em 2019 pela nova temporada, que está a ser gravada desde novembro de 2018 e em que a máscara icónica provavelmente voltará a ser usada.

A Fundação Dali não está no entanto, satisfeita, com o disfarce, que em 2018 foi um sucesso de vendas para festas de Carnaval e Halloween. Pior do que isso, há casos de assaltantes que as usaram para roubar bancos, em Santiago do Chile ou em Buenos Aires, imitando os personagens da televisão.

Ora, se cabe à fundação gerir os direitos imateriais derivados da obra e da pessoa Salvador Dalí, o problema não é “económico”, sublinha a instituição. “Qualquer pessoa que deseje exercitar ou explorar algum destes direitos tem de obter autorização prévia da fundação. Se a fundação tem conhecimento que estes direitos foram violados, tenta regularizar os usos não autorizados”. Ainda assim, agora que a série está nas mãos da Netflix, a fundação reconhece que o assunto “se torna mais complexo“.

A produtora inicial da série, a Vancouver Media disse que os disfarces dos personagens, um macacão vermelho e a máscara, foram uma ideia que a direção da série achou interessante. “A máscara é um desenho que faz lembrar Salvador Dalí, mas um bigode assim qualquer um pode usá-lo, mesmo que tenha sido Dalí a popularizá-lo”.

Chegaram a considerar usar um disfarce que fizesse lembrar “D. Quixote” mas optaram por uma máscara que fizesse lembrar Dalí. Ainda avaliaram se era necessário pedir autorização. “Mas o nosso departamento jurídico decidiu que não era necessário por se tratar de uma caricatura”, explicaram.

A mesma opinião tem o Netflix, que reitera que a máscara se vai manter e que “a decisão de utilizar Dalí foi dos criadores“, com apoio do gabinete jurídico. A empresa sublinha ainda que a série “fez com que o pintor seja conhecido em pontos do planeta que doutra maneira não o conheceriam. É o melhor marketing para Dalí em todo o Mundo”.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Navio australiano filma meteoro a desintegrar-se no céu da Tasmânia

O navio de pesquisa científica da CSIRO capturou imagens surpreendentes de um meteoro a desintegrar-se no oceano, muito perto da Tasmânia. Na quarta-feira, o navio de pesquisa científica da CSIRO capturou um meteoro a desintegrar-se no …

Afinal, o Espaço não é assim tão escuro. Há brilho de origem desconhecida

Uma equipa de cientistas usou a New Horizons para medir a luminosidade do Espaço profundo e os resultados surpreenderam-na. Há muito tempo que os cientistas tentam perceber qual a luminosidade do Espaço, se lhe retirarmos todas …

Meteorito atinge casa de homem indonésio e transforma-o em milionário

O caso insólito aconteceu em Kolang, na Sumatra do Norte, Indonésia. Um fabricante de caixões de 33 anos encontrou um meteorito no seu jardim, depois deste atingir o telhado da sua casa em agosto. O protagonista …

Há 20 anos que ninguém sabe do paradeiro de dois cadernos de Charles Darwin

Dois dos cadernos do naturalista Charles Darwin, um dos quais com o rascunho da “Árvore da Vida” (1837), estão desaparecidos há cerca de 20 anos e terão sido muito provavelmente roubados, anunciou esta terça-feira a …

Cientistas reconstruiram explosão de Beirute através das redes sociais

Cientistas forenses recorreram a imagens partilhadas nas redes sociais para reconstruirem a explosão de Beirute, em agosto, que matou 191 pessoas. A 4 de agosto, uma série de explosões causadas por 2.750 toneladas de nitrato de …

Professor alemão do ensino básico é suspeito de canibalismo e homicídio

Depois de uma pilha de ossos ter sido encontrada por transeuntes no parque de Berlim, as autoridades alemãs descobriram que se tratava de uma vítima de canibalismo. As pistas conduziram-nas, mais tarde, à casa do …

Marselha 0-2 FC Porto | Dragão vence e abre porta dos "oitavos"

Basta apenas um ponto para que o FC Porto carimbe uma vaga nos oitavos-de-final da Liga dos Campeões. Na noite desta quarta-feira, os “dragões” venceram o Marseille por 2-0 – com os contributos de Zaidu …

Mais de 100 mil crianças morreram com VIH e 320 mil ficaram infetadas. A pandemia pode piorar o cenário

De acordo com um relatório da UNICEF, a cada 100 segundos uma criança ou jovem com menos de 20 anos foi infetado pelo VIH no ano passado. Com os novos dados, o número total de …

Animação mostra como foram construídas as pontes do século XIV

Construir uma ponte sobre a água parece uma tarefa complicada e a verdade é que, apesar dos inúmeros avanços tecnológicos, os fundamentos pouco alteraram desde os tempos medievais. A Ponte Carlos tem 618 anos, mas não …

Médicos sem Fronteiras deixam hospital da Venezuela devido a restrições

A Médicos sem Fronteiras (MSF) vai se retirar de uma colaboração com um hospital venezuelano que visa tratar pacientes com covid-19 devido a restrições na entrada de especialistas no país, informou a organização na terça-feira. A …