Funcionários do INEM obrigados a devolver milhares em salários

António Cotrim / Lusa

Vários trabalhadores de diversos institutos públicos podem ter de devolver ao Estado verbas recebidas a mais ou terão de receber valores devidos pela entidade empregadora, dado um erro na posição remuneratória, no âmbito da mobilidade intercarreiras, noticia o Público.

Segundo o jornal, a situação foi detetada pela Direção-Geral da Administração e do Emprego Público (DGAEP) e só no Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) há 18 casos, alguns dos quais podem ter de devolver valores que chegam aos 40.000 euros.

De acordo com o jornal Público, “os trabalhadores receberam 1.201,48 euros, em vez de receberem 995,51 euros mensais”.

“Há funcionários que terão de devolver, no mínimo, 17.301 euros que se referem a seis anos. E há outros que apenas terão de devolver dois anos de salários. Nestas situações a devolução mínima ronda os 5.700 euros”, escreve o matutino.

Contudo, os valores variam consoante o trabalho efetuado pelos funcionários, uma vez que, por exemplo, terão de ser contabilizadas verbas referentes às horas extraordinárias.

“Mas os valores ainda não estão totalmente apurados, uma vez que variam consoante o trabalho efetuado pelos funcionários. Terão de ser contabilizados valores referentes às horas extraordinárias, por exemplo. Uma das funcionárias em causa, apurou o PÚBLICO, é uma psicóloga do INEM que fez as contas e percebeu que o valor que terá de devolver ultrapassa os 40 mil euros”, adianta o diário.

A situação foi detetada no início do ano, quando a direção dos recursos humanos do INEM, no âmbito de pedidos de consolidação das carreiras, solicitou parecer à DGAEP, que concluiu que havia um erro na posição salarial e que os funcionários deviam repor os valores já recebidos.

Alguns funcionários do INEM revelam ao jornal que, assim que forem notificados, tencionam avançar com processos em tribunal e a Federação dos Sindicatos da Administração Pública já veio dizer que estes trabalhadores terão de ser apoiados juridicamente.

Fonte do gabinete de comunicação do INEM confirmou ao Público que “foi identificado um problema que está a ser devidamente analisado” e que foi “aberto um processo de inquérito”.

Em resposta ao jornal Público, o Ministério das Finanças confirma a situação, explicando que “o processo de mobilidade intercarreiras é feito pelos diversos serviços da administração pública aos quais se aplica a Lei Geral do Trabalho em Funções Públicas, de forma descentralizada”.

A tutela confirma que, durante a mobilidade, “alguns serviços colocaram os trabalhadores em posições remuneratórias superiores ou inferiores àquelas em que os trabalhadores deveriam ficar”, mas não adianta o número total de casos nem o montante total envolvido.

ZAP // Lusa

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Estes devolvem, por erros no processamento das verbas. Contudo, os gestores, administradores, deputados e outros que tais, recebem indevidamente e devolvem… NADA!

  2. É uma verdadeira VERGONHA, eles provocam os erros, mas não são responsabilizados, e agora querem que os funcionários paguem, e os políticos???? não são chamados a repor o que roubam as descaradas????

RESPONDER

Boris quer destronar Thatcher com mais uma década no poder

Há quem acredite que o atual primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, quer bater o recorde de Margaret Thatcher, que exerceu o cargo de 1979 a 1990. Um membro do Governo britânico terá dito ao The Times que …

Itália passa a exigir certificado verde a todos os trabalhadores

Medida é das mais restritivas atualmente em vigor no mundo inteiro, já que todos os regimes de obrigatoriedade que vigoram atualmente aplicam-se sobretudo a profissionais do setor da saúde. A partir de 15 de outubro, itália …

Com receio de que violência negacionista possa escalar, PSP reforça segurança pessoal de políticos

As forças de segurança temem que a violência negacionista aumente e o movimento atraia pessoas desequilibradas. No passado sábado, vários negacionistas, reunidos em mais uma manifestação, desta vez com o mote “Pelas nossas crianças – Rumo …

Promessa eleitoral de Costa em Coimbra arranca um aviso da CNE. Rio ficou "chocado"

António Costa tem estado activo na campanha eleitoral, ao lado dos candidatos do PS às autárquicas, e até sacou da cartola uma maternidade em Coimbra. Uma promessa que deixou Rui Rio "chocado" e que leva …

O voto que dá que falar. "Não há um centímetro quadrado de Portugal que seja indigno" do Constitucional

Três juízes do Tribunal Constitucional contestaram o parecer dos seus pares que considera "desprestigiante" a mudança deste órgão de Lisboa para Coimbra, mas é o voto contra de Mariana Canotilho que dá que falar, uma …

T-shirt reduz efeitos da menopausa

T-shirt portuguesa reduz sintomas da menopausa e ajuda quem tem cancro (e já está à venda)

A investigadora da Universidade do Minho (UM) Filipa Fernandes criou uma t-shirt que atenua os efeitos da menopausa e melhora a qualidade de vida de pacientes com cancro, graças a um tecido com um revestimento …

Estrela Vermelha 2-1 Braga | Guerreiros com mira desalinhada

Inglório. O Sporting de Braga foi a Belgrado perder com o Crvena Zvezda, ou Estrela Vermelha, por 2-1, na primeira jornada do Grupo F da Liga Europa. Os minhotos tiveram mais bola, criaram diversos lances de …

Após "humilhação" frente ao Ajax, Sporting abre caça a novo reforço

O Sporting tem apenas quatro jogadores para a posição de defesa-central. Rúben Amorim vai ter de esperar pelo mercado de inverno para trazer um reforço. As opções para o trio de centrais do Sporting são escassas. …

"Tempestade perfeita" ajuda a explicar "descontrole" nos preços da luz (mas as eléctricas deixam uma promessa)

Os preços da electricidade no mercado de energia atingiram, neste mês de Setembro, um valor recorde e estão "completamente descontrolados" numa altura em que se formou o que os especialistas dizem ser uma "tempestade perfeita". …

Bolsonaro garante que irá à Assembleia Geral da ONU mesmo sem estar vacinado

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, que recusa vacinar-se contra a covid-19, afirmou que participará ainda assim na Assembleia Geral da ONU, na próxima semana, em Nova Iorque, onde deverá ser exigido um certificado de vacinação. "Estarei …