Escritor Frederico Lourenço recebe Prémio Pessoa 2016

Ciberdúvidas

O escritor e filólogo Frederico Lourenço

O escritor e filólogo Frederico Lourenço

O Prémio Pessoa 2016 foi atribuído ao escritor e filólogo Frederico Lourenço.

A atribuição do galardão que distingue personalidades com “intervenção particularmente relevante e inovadora na vida artística, literária ou científica” no país, foi anunciada esta sexta-feira no Palácio de Seteais, em Sintra.

Frederico Lourenço, professor universitário, conhecedor das literaturas clássicas, tradutor de Homero, publicou este ano o primeiro volume da nova tradução da Bíblia Grega, “Septuaginta”, o primeiro volume de uma série de seis, com os quatro Evangelhos canónicos, de Mateus, Marcos, Lucas e João.

Docente nas faculdades de Letras da Universidade de Lisboa e de Coimbra, romancista e poeta, Frederico Lourenço publicou vários ensaios sobre a cultura helénica, traduziu os poemas épicos “Odisseia” e “Ilíada”, ambos atribuídos a Homero, que terá vivido, provavelmente, entre 928 e 898 antes de Cristo.

O presidente do júri, Francisco Pinto Balsemão, sublinhou a “rara erudição” do escritor, tradutor e professor universitário.

A mais recente obra publicada de Frederico Lourenço é uma nova tradução da Bíblia, feita do grego a partir da mais antiga versão dos textos sagrados para os cristãos que chegou à actualidade.

No ano passado, o galardão foi atribuído ao escultor Rui Chafes, a quem o júri elogiou a procura pela transcendência, ao utilizar o ferro como matéria-prima criativa.

O Prémio Pessoa, criado pelo jornal Expresso, foi atribuído pela primeira vez em 1987, ao historiador José Mattoso.

Desde então foram reconhecidos, entre outros, o poeta António Ramos Rosa, a pianista Maria João Pires, os investigadores António e Hanna Damásio, o neurocirurgião João Lobo Antunes, recentemente falecido, o arquiteto Eduardo Souto Moura, o constitucionalista José Joaquim Gomes Canotilho, a historiadora Irene Flunser Pimentel e a investigadora Maria Manuel Mota.

O júri do Prémio Pessoa 2016 foi constituído por Francisco Pinto Balsemão (presidente), António Domingues (vice-presidente), António Barreto, Clara Ferreira Alves, Diogo Lucena, Eduardo Souto de Moura, José Luís Porfírio, Maria Manuel Mota, Maria de Sousa, Mário Soares, Pedro Norton, Rui Magalhães Baião, Rui Vieira Nery e Viriato Soromenho-Marques.

Bíblia Grega com tradução de Frederico Lourenço foi lançada em setembro

O primeiro volume da nova tradução da Bíblia Grega, “Septuaginta”, de Frederico Lourenço, foi lançado em setembro, no Centro Cultural de Belém, em Lisboa, pelo padre e poeta José Tolentino Mendonça, o escritor Pedro Mexia e o catedrático Miguel Tamen.

Este é o primeiro volume de uma série de seis, que totaliza a “Septuaginta” ou “Bíblia dos Setenta”, e inclui os quatro Evangelhos canónicos, de Mateus, Marcos, Lucas e João.

A “Bíblia dos Setenta” foi escrita entre os séculos I e o VII depois de Cristo, é traduzida para português diretamente do grego, por Frederico Lourenço, e contém todos os 27 livros do Novo Testamento, iguais em todas as Bíblias atuais e, no Antigo Testamento, tem todos os 46 livros da Bíblia católica, ainda mais sete livros, o terceiro e o quarto Livros dos Macabeus, os Salmos de Salomão, Odes, o Livro de Susana, a história de “Bel e o Dragão”, e a Epístola de Jeremias.

“A Bíblia protestante, por exemplo, não tem nenhum Livro de Macabeus, o cânone católico tem dois, ao passo que a Bíblia Grega, que a Quetzal publica tem quatro”, explicou à Lusa fonte editorial.

No total são 80 livros, mais 14 do que as Bíblias protestantes e mais sete do que a tradução do atual cânone católico, numa edição que termina em janeiro de 2019, disse o editor da Quetzal, Francisco José Vieigas.

Frederico Lourenço realçou então, em declarações aos jornalistas, que a Bíblia Grega, integral, “nunca foi traduzida para português”. Quanto ao facto de a Bíblia Grega ser mais completa, deve-se – explicou – à perda de alguns livros em hebraico e de só ter restado a tradução grega, e haver traduções gregas que não foram contempladas em hebraico.

Os Livros de Daniel e de Ester, por exemplo, “estão mais completos” na “Septuaginta”, acrescentou.

A edição portuguesa inclui uma introdução geral de Frederico Lourenço, e também uma introdução, contextualizando, antecedendo cada um dos livros, e várias notas de pé de página, que visam esclarecer o leitor, numa abordagem histórica, explicou Frederico Lourenço, que se afastou de qualquer comentário teológico, para o qual não se considera preparado.

“Esta é um Bíblia para ser lida por crentes e não crentes”, sublinhou. Para o ensaísta, este projeto “é uma utopia, um sonho e vontade de criar qualquer coisa diferente”.

No ano passado, Frederico Lourenço publicou “O livro aberto: Leituras da Bíblia”, em que afirma no prefácio: “Independente, porém, de uma questão de fé, a Bíblia pode ser lida como o mais fascinante livro alguma vez escrito”.

O ensaísta reconheceu, na apresentação da obra, a sua facilidade em ler o grego, sendo o da Bíblia diferente, em algumas palavras, do de Homero.

ZAP

PARTILHAR

RESPONDER

A água é comum nos mundos extraterrestres (mas surpreendentemente mais escassa do que se esperava)

A presença de água em exoplanetas é comum, mas surpreendentemente mais escassa do que se esperava, concluiu uma nova investigação levada a cabo por cientistas da Universidade de Cambridge, no Reino Unido. Para chegar a …

"Encontrei a minha alma gémea". Presidente do Flamengo disposto a (quase) tudo para segurar Jesus

O presidente do Flamengo, Rodolfo Landim, ficou encantado com Jorge Jesus logo quando o conheceu. É o que o dirigente diz numa entrevista, onde admite que encontrou a sua "alma gémea", não revelando dados sobre …

COP25: uma traição ao Acordo de Paris "e às pessoas em todo o mundo"

Organizações não governamentais ambientalistas consideraram que os projetos de resolução que a cimeira do clima da ONU tem para aprovar são "uma traição" do Acordo de Paris e dos milhões de pessoas que sofrem com …

Governo admite novo aumento extra das pensões (com a simpatia das Finanças e de olho na geringonça)

O Governo está a equacionar um novo aumento extraordinário das pensões no âmbito da preparação da proposta de Orçamento do Estado para 2020 (OE2020). A medida agrada a PCP e Bloco de Esquerda e terá …

Na última noite no Porto, Óliver foi sozinho à Ponte D. Luís (e vieram-lhe as lágrimas aos olhos)

O médio espanhol Óliver Torres confessa que a sua saída do Porto foi "emotiva" e que se despediu do clube e da cidade na Ponte D. Luís, de noite e sozinho, com "as lágrimas nos …

Costa e Centeno discutiram no Conselho Europeu (e foi Centeno quem ganhou)

António Costa e Mário Centeno envolveram-se numa "discussão directa" em pleno Conselho Europeu que deixou os restantes membros do Eurogrupo perplexos. Em causa esteve o primeiro orçamento da Zona Euro, com o primeiro-ministro de Portugal …

Sondagens. Livre cai a pique, Montenegro lidera corrida ao PSD

O PS lidera as intenções de voto com 37,1% e um avanço de 10,2 pontos percentuais sobre o PSD numa sondagem em que o Livre surge com metade da votação alcançada nas legislativas em outubro. Num …

ONU chama a atenção para consumo de tramadol (erradamente considerado menos letal que fentanil)

A crise derivada do consumo excessivo de opóides e as mortes daí decorrentes já levaram empresas norte-americanas que os produzem a receber milhares de ações judiciais. Contudo, a Organização das Nações Unidas (ONU) chama a …

Mais de 50 jornalistas subscrevem abaixo-assinado em defesa de Maria Flor Pedroso

Mais de 50 jornalistas, entre os quais Adelino Gomes, Henrique Monteiro, Anabela Neves e Francisco Sena Santos, subscreveram esta sexta-feira um abaixo-assinado em defesa da jornalista Maria Flor Pedroso, diretora de informação da RTP. "Confrontados com …

O maior sítio arqueológico submerso do mundo é no México (e está a surpreender os especialistas)

Uma equipa de especialistas está a explorar há cerca de quatro anos o Grande Aquífero Maia, localizado no México, e tem feito descobertas surpreendentes que vão desde numerosos sítios arqueológicos a vestígios de homens primitivos.  Durante …