Afinal, fóssil de “folha” com 570 milhões de anos é de um animal

(dr) Jennifer Hoyal Cuthill

Um misterioso organismo, semelhante a uma folha, floresceu em águas rasas. Agora, depois de décadas de discussão, os cientistas chegaram à conclusão de que este organismo era mesmo um animal.

Durante décadas, os cientistas não sabiam se esta “folha” era um fungo, uma alga, um protozoário ou mesmo um animal. A discussão perdurou até agora, altura em que novos fósseis sugerem que este organismo era, de facto, um animal.

Se se confirmar, estes organismos estariam entre os primeiros animais no registo fóssil, datando de, pelo menos, 571 milhões de anos atrás – a era dos fósseis de frondes mais antigos. Esta data é cerca de 30 milhões de anos antes da Explosão Cambriana, quando muitos dos grupos de animais de hoje entraram em cena pela primeira vez.

Os misteriosos fósseis de frondes datam do período Ediacarano, que durou entre 635 e 542 milhões de anos atrás. As impressões fossilizadas sugerem que os organismos eram muito macios e que alguns frondes se ramificavam como as algas marinhas. Mas, mesmo 60 anos após esta descoberta, os cientistas continuavam sem saber o que eram essas “folhas”.

Agora, num artigo publicado este mês na Paleontology, a paleontóloga Jennifer Hoyal Cuthill e Jian Han, descreveram a descoberta de 206 fósseis de um animal diferente, o Stromatoveris psygmoglena, datado de aproximadamente 518 milhões de anos atrás. Os fósseis foram encontrados em Chengjiang, na China, e somam-se à coleção de oito fósseis de S. psygmoglena descobertos em 2006.

S. psygmoglena também tinha as tais misteriosas folhas e eram muito parecidos com os antigos fósseis de frondes Ediacaranos. Os cientistas usaram, inclusivamente, um computador de modo a comparar os dois grupos, analisando as suas relações evolutivas e as suas características físicas, com base em mais de 80 fotografias de fósseis.

Cuthill e Han descobriram que ambos os conjuntos de fósseis pertenciam ao mesmo grupo na árvore da vida chamado Petalonamae, o que significa que os organismos ediacaranos também tinham de ser animais.

“Esta descoberta sugere que as espécies animais estavam a diversificar-se muito antes da Explosão Cambriana”, afirmou Cuthill.

Dado que estas criaturas podem ser encontradas durante dezenas de milhões de anos no registo fóssil, é muito provável que Petalonamae tenha evoluído com sucesso. Como o registo fóssil dos organismos ediacaranos parecia ter desaparecido quando surgiu o cambriano, os investigadores pensaram que os organismos haviam sido extintos.

No entanto, a nova análise sugere que, afinal, viveram nos primeiros 20 milhões de anos do período Cambriano.

O facto de os cientistas terem encontrado mais de 200 fósseis significa ainda que estes organismos eram muito comuns, o que indica que “esta espécie era um membro importante no seu ecossistema“, conclui a investigadora.

PARTILHAR

RESPONDER

Canadá. Indígena e neta de 12 anos detidos ao tentarem abrir conta em banco

Um indígena apresentou duas queixas por racismo após ter sido detido e algemado, juntamente com a sua neta de 12 anos, quando tentava abrir uma conta no BMO - Banco de Montreal, no Canadá. Em dezembro, …

ONG encontra alianças de casal de migrantes que sobreviveu a naufrágio

As alianças encontradas pela ONG espanhola pertencem a um casal de migrantes argelinos que sobreviveu, em outubro, a um naufrágio ao largo da costa de Lampedusa, em Itália. De acordo com o jornal The Guardian, foi no …

Turquia condena 337 pessoas a perpétua por ligação à tentativa de golpe

Mais de 300 pessoas foram condenadas a prisão perpétua, esta quinta-feira, na maioria oficiais e pilotos militares, no principal julgamento relacionado com a tentativa de golpe falhado de 2016. De acordo com o jornal Público, a …

Rangers 2-2 Benfica | "Power" das águias chega para empatar

Num último assomo, o Benfica conseguir empatar um jogo que parecia irremediavelmente perdido. No espaço de três minutos – dos 78 aos 81 -, um autogolo de Tavernier, com intervenção decisiva de Gonçalo Ramos, e …

Lulas gigantes estão a deixar enormes cicatrizes em tubarões brancos

Cientistas marinhos encontraram evidências que sugerem que grandes tubarões brancos (Carcharodon carcharias) estão a ser atacados por lulas gigantes no Oceano Pacífico. Uma equipa de investigadores encontrou 14 tubarões brancos (Carcharodon carcharias) com evidências de cicatrizes …

Twitter passa a alertar utilizadores que colocam "like" em informações incorretas

O Twitter passou a alertar os utilizadores quando estes tentam 'curtir' uma publicação que contenha informações consideradas incorretas, medida que faz parte da esforço da empresa para combater a desinformação. Esta mudança significa que os utilizadores …

Erosão causada por tempestade tropical revela naufrágio do século XIX na Florida

Depois da tempestade tropical Eta arrebatar o norte da Florida no início deste mês, um banhista fez uma descoberta inesperada enquanto caminhava na costa de St. Augustine. Ao caminhar pelas dunas de areia de Crescent Beach, …

Uma mentira de um trabalhador de uma pizzaria forçou o confinamento na Austrália do Sul

O estado da Austrália do Sul decretou um confinamento geral, no dia 18 de novembro, depois de um funcionário de uma pizzaria ter mentido. Segundo o Huff Post, o homem, de nacionalidade espanhola, estava infetado com …

Jogar Monopólio, Scrabble ou até bilhar pode ser (ainda) mais divertido com uma nova mesa touch

Por mais divertidos que sejam os jogos de tabuleiro, estes podem ser um passatempo caro pois quem realmente gosta não se cansa de os comprar. Agora, a empresa Arcade1Up criou o Infinity Game Table que …

A apreensão histórica de cetamina na Tailândia não foi assim tão histórica. Eram só aditivos alimentares

Análises laboratoriais revelaram que a apreensão "histórica" de cetamina anunciada pelo Governo da Tailândia há cerca de duas semanas foi, na verdade, uma apreensão de aditivos alimentares e agentes de limpeza. As autoridades tailandesas anunciaram, …