Fósseis revelam criatura pré-histórica tão bizarra que parece de outro planeta

Danielle Dufault

A Hallucigenia, uma criatura pré-histórica tão bizarra que parece que veio de outro planeta. Conceito artístico de Danielle Dufault.

Conceito artístico da hallucigenia, uma criatura pré-histórica tão bizarra que parece que veio de outro planeta.

Após a descoberta de novos fósseis no Canadá, os cientistas conseguiram finalmente completar a imagem de um dos animais mais bizarros da natureza.

A Hallucigenia é uma minúscula criatura marinha que viveu há mais de 500 milhões de anos.

Os primeiros fósseis do animal foram descobertos há mais de 100 anos, mas estavam sempre incompletos, sem a cabeça da criatura.

Mas a descoberta recente no Canadá de um conjunto completo de fósseis da criatura revelou pela primeira vez, para surpresa dos investigadores, o estranho rosto da Hallucigenia.

“A sua aparência é totalmente surreal. É como se tivesse vindo de outro planeta“, diz Martin Smith, investigador da Universidade de Cambridge e co-responsável pela investigação.

O estudo, no qual também participaram investigadores do Royal Ontario Museum e da Universidade de Toronto, foi publicado na revista Nature.

Espinhos e garras

A Hallucigenia tem menos de 2 centímetros de comprimento e é mais fina que um fio de cabelo. E, claro, é muito estranha.

Um dos lados do seu corpo em forma de tubo é coberto com vários pares de espinhos, grandes mas flexíveis. Do outro lado do corpo, há garras pegajosas penduradas.

Além disso, as novas descobertas mostraram que a criatura foi desenhada “de pernas para o ar” quando foi descrita pela primeira vez.

“Só recentemente é que descobrimos de que lado ficavam as patas e de que lado eram as costas”, afirma Smith. “Também havia muita confusão sobre o que era a cabeça e o que era cauda.”

Martin R. Smith

Os fósseis encontrados no Canadá têm mais de 500 milhões de anos

Os fósseis encontrados no Canadá têm mais de 500 milhões de anos

Os fósseis recém-descobertos nas Montanhas Rochosas canadianas eram as peças que faltavam neste quebra-cabeças, que tem intrigado os cientistas há mais de 100 anos.

Com os fósseis canadianos, foi possível identificar que a Hallucigenia tinha uma cabeça em forma de colher, além de algumas outras surpresas.

“Quando observámos o fóssil ao microscópio, ficámos encantados por ver não apenas um minúsculo par de olhos, mas também um sorrisinho semicircular, meio descarado“, contou Smith.

“Parecia que o fóssil estava a sorrir para nós, a rir-se dos segredos que esteve a esconder até agora.”

Na boca da criatura, os investigadores encontraram dentes que iam até ao estômago.

Para Xiaoya Ma, investigadora do Museu de História Natural de Londres, esta descoberta vai ajudar a entender os primórdios da evolução, especialmente no período cambriano, de há 542 milhões a 488 milhões de anos atrás.

“Essa descoberta vai ampliar o nosso conhecimentos sobre a evolução primitiva na linha evolucionária que resultou no que hoje conhecemos como vermes-aveludados”, explica Ma

Há indicações de que a hallucigenia será uma forma ancestral do verme-aveludado do filo Onychophora.

Assim, esta descoberta ajuda a esclarecer como é que as criaturas estranhas da pré-história evoluiram para os animais mais “normais” que temos hoje.

ZAP / BBC

PARTILHAR

RESPONDER

As máquinas estão "muito longe" de serem mais inteligentes (mas muito perto de agir como pessoas)

A especialista em inteligência artificial Daniela Braga considera que as máquinas estão "muito longe" de substituírem totalmente os humanos ou serem mais inteligentes, mas estão "muito perto" de interagirem como as pessoas. "Acho que estamos muito …

Secreto e lucrativo, o mercado de venda de "fezes de cachalote" pode também ser violento

O âmbar cinza é altamente raro, mas também altamente valioso. Usada na indústria dos perfumes, o mercado deste material pode ser muito perigoso. Deixa na pele uma resina oleosa e tem um cheiro a tabaco, madeira, …

Empresa norueguesa garante que pode "parar" furacões antes que estes se tornam destrutivos

Especialistas ambientais advertem que o sistema de "cortina de bolhas" proposto pela empresa pode provocar efeitos indesejados. A OceanTherm, uma startup norueguesa, assegura que a sua nova tecnologia pode evitar que as tempestades tropicais se tornem …

Afeganistão: Familiares consideram "insuficientes" pedido de desculpas dos EUA

Familiares dos civis afegãos mortos por "engano" durante um ataque de um avião não tripulado 'drone' norte-americano no final de agosto em Cabul consideraram este sábado "insuficiente" o pedido de desculpas de Washington, numa entrevista …

Descoberta de pegadas fossilizadas em Espanha revela a existência de um "berçário" de elefantes

Pegadas fossilizadas foram encontradas numa praia no sul da Espanha e mostram o que pode ter sido o berçário de uma espécie extinta de elefantes. O local costeiro, situado na região de Huelva, estava normalmente coberto …

Morreu aos 98 anos o historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França

O historiador, sociólogo e crítico de arte José-Augusto França morreu este sábado, aos 98 anos, na casa de saúde de Jarzé, perto da cidade francesa de Angers, disse à Lusa a pintora Emília Nadal, sua …

Ventura: "Não vejo outra possibilidade senão a ministra da Saúde ou pedir desculpa ou ser afastada"

O Chega vai questionar formalmente o Governo pelo “facto de a ministra da Saúde ter utilizado um carro do Estado” para ir a uma ação de campanha no Porto na sexta-feira, anunciou este sábado André …

Ouvir 30 segundos de uma sonata de Mozart pode reduzir ataques de epilepsia

Ouvir a Sonata para Dois Pianos em Ré Maior (K448), de Wolfgang Amadeus Mozart, durante pelo menos 30 segundos, ajuda a reduzir a atividade elétrica cerebral associada à epilepsia resistente a medicação. Os resultados também sugerem …

Astrónomos resolvem mistério cósmico com 900 anos

Um mistério cósmico com 900 anos, em torno das origens de uma famosa supernova observada pela primeira vez na China no ano 1181, foi finalmente resolvido. Uma nova investigação, publicada dia 15 de setembro no The …

Bons hábitos alimentares podem reduzir a probabilidade de contrair covid-19

Um novo estudo indica que as pessoas que comem muitas frutas e vegetais podem ter menos probabilidades de contrair covid-19. Num pesquisa que envolveu 590 mil adultos, os investigadores descobriram que as pessoas que eram adeptas …