Forças de segurança afegãs fogem enquanto os Talibã ocupam vários distritos do país

EPA / NAWEED HAQJOO

O rápido avanço do Talibã no norte do Afeganistão prosseguiu no domingo, com a ocupação de mais de uma dezena de distritos, enquanto o Reino Unido avança para os últimos da sua colocação de duas décadas no país.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Mais de 300 membros das forças de segurança afegãs fugiram pela fronteira com o Tajiquistão para escapar aos Talibã, que controlam agora as províncias de Badakhshan e Takhar, além das respetivas capitais regionais, noticiou no domingo o Guardian.

Embora não tenha sido divulgada uma data oficial para a retirada total, algumas fontes tinham revelado que as missões dos Estados Unidos (EUA) e do Reino Unido terminariam a 04 de julho. Na sexta-feira, os norte-americanos entregaram a base aérea de Bagram, o que significa que não podem mais realizar operações significativas no país.

Logo depois, numa conferência de imprensa, o Presidente dos EUA, Joe Biden, ignorou as perguntas sobre o fim da missão norte-americana. Desde então, a porta-voz da Casa Branca, Jen Psaki, tem indicado que os últimos militares provavelmente deixarão o Afeganistão no final de agosto.

No domingo, o Ministério da Defesa do Reino Unido disse que algumas tropas continuam no Afeganistão. O plano dos britânicos deve ficar mais claro após a reunião do primeiro-ministro, Boris Johnson, com o conselho de segurança nacional, que determinará o futuro diplomático e qualquer presença militar residual naquele país.

Tal como outros países da NATO que encerraram as suas missões nas últimas semanas, o Reino Unido parece estar a planear uma partida militar muito discreta.

Os Talibã controlam já cerca de um terço dos quase 400 distritos do Afeganistão. Embora ainda não tenham tomado nenhuma capital de província, estão a cercar várias, desde a cidade de Ghazni, no leste, até Maimana, em Faryab, no norte. Em muitas áreas, as forças de segurança se renderam sem luta, através de acordos mediados por anciãos locais.

Em Badakhshan, o rápido avanço do grupo levou a que políticos e funcionários do governo se aglomerassem junto dos postos de evacuação para Cabul. No domingo, forças especiais chegaram de helicóptero para proteger a cidade e tentar recuperar alguns distritos.

  Taísa Pagno //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.