Forças armadas alemãs ponderam recrutar estrangeiros

O Governo alemão está a ponderar permitir o ingresso de cidadãos de outros estados-membros da União Europeia nas fileiras das Forças Armadas do país (Bundeswehr) como resposta ao problema da falta de pessoal.

Após o fim do serviço militar obrigatório em 2011, a Bundeswehr passou a enfrentar dificuldades em recrutar novos membros para as suas fileiras. Hoje, o país conta com pouco menos de 180 mil homens e mulheres, mas o Governo pretende aumentar esse número para quase 200 mil até 2024.

A Alemanha está sob pressão dos EUA para aumentar os gastos militares e a sua participação na OTAN. A longo prazo, as Forças Armadas lutam contra o tempo: metade dos seus membros no ativo deve aposentar-se até 2030, e o envelhecimento da população impõe novos desafios para substituir o atual efetivo.

Desde a sua criação, em 1955, a Bundeswehr só permite a entrada de cidadãos alemães. “A Bundeswehr está a crescer e para isso precisamos de pessoal qualificado. Estamos a considerar com cuidado todas as opções”, disse um porta-voz do Ministério da Defesa.

A possibilidade de permitir o ingresso de cidadãos de outros países da União Europeia está a ser estudada desde 2011, mas nos últimos dois anos vem ganhando força no Governo.

Em 2016, a hipótese foi incluída pela primeira vez no chamado “Livro Branco” da política de segurança da Bundeswehr, que estabelece as diretrizes estratégicas para o futuro das Forças Armadas.

Esta semana, o deputado Florian Hahn, que atua como porta-voz para os assuntos de defesa da União Social-Cristã (CSU), disse ao jornal Augsburger Allgemeine que é favorável à ideia de recrutar cidadãos dos outros 26 Estados-membros da UE.

“Com base na estrutura do liberalismo europeu, um modelo pode ser desenvolvido aqui”, disse Hahn, que também fez uma ressalva: “Um certo nível de confiança com relação a cada soldado precisa ser garantido”.

Já o deputado Karl-Heinz Brunner, porta-voz para assuntos de defesa do Partido Social-Democrata (SPD) – também se mostrou favorável ao plano de incluir estrangeiros na Bundeswehr, mas apenas se forem de outros países da UE. Segundo o governante, seria uma forma de fortalecer a integração europeia.

Já no caso de estrangeiros de fora do bloco, Brunner sublinha que existe o risco de a Bundeswehr “se tornar um exército de mercenários” se a contrapartida para o alistamento for a concessão da nacionalidade alemã.

Segundo o porta-voz, outros estrangeiros têm primeiro de se tornar cidadãos alemães antes de se juntarem ao Exército. “Quem obtiver um passaporte alemão como parte do processo de integração será cordialmente convidado”, disse.

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

  1. A pressão dos EU sobre a Nato e os Países da UE, não é nada mais do que tentar fortalecer uma aliança, que sirva os interesses cada vez mais obscuros dos EU. De facto, vemos os EU e nomeadamente o seu actual presidente, criar atritos e confusões um pouco por todo o mundo, sem consultar os seus aliados da Nato ou da UE. Como se fossem os donos disto tudo e não são. Existem três grandes potências no mundo actual. EU, Rússia e China.
    Ao que parece, Rússia e China, desejam ter boas relações com os Estados Unidos, mas existem sempre entraves e desconfianças que o impedem. Porquê? Porque os EU não abdicam da ideia de mandar na casa dos outros.
    Temos, na Rússia e na China, dois líderes políticos de mão cheia, com tanto ou mais poder que Trump.
    Uma diplomacia baseada no respeito mútuo e na compreensão dos anseios dos outros, poderia ser uma porta aberta para o fortalecimento da tolerância e paz no Mundo. E Putin e o presidente chinês, já demonstraram ter mais inteligência e fairplay que Trump. Basta que os EU mostrem alguma tolerância e respeito, para que as coisas possam melhorar ao nível global e que a política externa americana deixe de ser uma política fomentadora de atritos e invenções mirabolantes. Pode não parecer, mas os EU, serão os principais responsáveis pelas crises que assolam o mundo. Basta um país não se submeter ao seu jugo e temos o caldo entornado.

RESPONDER

Fenprof reconhece abertura da tutela do Ensino Superior para negociar apesar de divergências

A Federação Nacional dos Professores (Fenprof) reconheceu esta segunda-feira a abertura do Governo para negociar algumas questões do Ensino Superior, depois de uma reunião em que a tutela e a organização sindical nem sempre estiveram …

Bombeiros vão receber verba adicional de três milhões de euros

As associações humanitárias de bombeiros vão receber uma verba adicional de três milhões de euros em 2021 para fazer face aos constrangimentos financeiros devido à pandemia de covid-19, segundo uma proposta do PS hoje aprovado. Este …

Media Capital desafia ERC e elege Mário Ferreira como presidente

Os acionistas da Media Capital elegeram, esta terça-feira, o empresário Mário Ferreira presidente da dona da TVI. A assembleia-geral esteve inicialmente convocada para 28 de outubro, tendo sido suspensa, retomando hoje os trabalhos e com uma …

Estado de emergência. Maioria dos portugueses concorda com novas medidas de restrição

Uma sondagem da Intercampus para o Correio da Manhã revela que a maioria dos portugueses concorda com o regresso ao estado de emergência e com as restrições impostas pelo Governo. De acordo com o Correio da …

Taarabt é o terceiro jogador do Benfica infetado com covid-19

O internacional marroquino também testou positivo à covid-19, dois dias antes de o Benfica, que já tinha previstas oito baixas no plantel, defrontar o Rangers para a Liga Europa.  Depois de Darwin Nuñez e Julian Weigl …

Oposição israelita pedirá dissolução do parlamento e novas eleições

O líder da oposição israelita, Yair Lapid, anunciou na segunda-feira que apresentará na próxima semana uma iniciativa para dissolver o Knesset (parlamento) e convocar eleições, num contexto de tensão na coligação governamental, noticiou a agência …

PSD de Castelo Branco pede demissão da deputada do PS Hortense Martins

O PSD de Castelo Branco pediu esta segunda-feira a demissão da deputada socialista Hortense Martins, alegando que não tem condições para representar o distrito, depois de condenada a pagar o arquivamento de um processo onde …

Bruxelas anuncia sexto contrato para vacinas, desta vez com a Moderna

A presidente da Comissão Europeia anunciou, esta terça-feira, um novo contrato para assegurar vacinas contra a covid-19, desta feita com a norte-americana Moderna, que fornecerá até 160 milhões de doses. "Estou feliz por anunciar que aprovámos …

Shinzo Abe investigado por alegado uso ilegal de fundos para financiar eventos privados

Procuradores no Japão estão a investigar o gabinete pessoal do antigo primeiro-ministro Shinzo Abe pela alegada utilização ilegal de fundos para financiar eventos privados, para os quais foram convidados apoiantes do líder japonês entre 2013 …

Rússia anuncia eficácia de 95% da vacina Sputnik V

A Rússia anunciou, esta terça-feira, que sua vacina Sputnik V, desenvolvida pelo Centro Nacional de Epidemiologia e Microbiologia Gamaleya, tem uma eficácia de 95%, segundo resultados preliminares. Em comunicado no site oficial da vacina russa, o Centro …