Peritos propõem financiamento dos hospitais em função da qualidade dos cuidados

Mário Cruz / Lusa

Os administradores hospitalares defendem que o financiamento vindo do Orçamento do Estado deve depender dos resultados clínicos e da experiência do paciente.

A Associação Portuguesa de Administradores Hospitalares (APAH) entende que é urgente mudar a forma como são financiados os hospitais públicos. Desta forma, a associação pretende apostar nos resultados e na qualidade dos serviços, em vez de apostar na quantidade de procedimentos realizados – análises, consultas ou exames.

Esta é uma das dez propostas da Associação, numa iniciativa denominada 3F – Financiamento Fórmula para o Futuro, depois de ouvir 23 especialistas em financiamento da saúde. As recomendações vão ser apresentadas esta quarta-feira na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

Mas há outras medidas em cima da mesa, como reforçar os cuidados de saúde primários, ligar melhor os cuidados de saúde primários aos cuidados de saúde secundários e aos cuidados continuados e promover a participação das pessoas no sistema de saúde, avança a TSF.

O jornal Público dá conta de que, além das recomendações, o projeto deu também origem a uma lista de 90 iniciativas que as unidades de saúde podem levar a cabo e que já serviram de mote a dois projetos-piloto que pretendem testar novas formas de financiamento e de melhorar a ligação entre todos os níveis de cuidados do Serviço Nacional de Saúde (SNS).

Um desses projetos chama-se Farol e é desenvolvido pelo IPO do Porto. Passa pela medição dos custos de tratamento do cancro do pulmão e o objetivo é conhecer os custos globais desta doença, e não apenas os custos com as cirurgias.

O outro projeto-piloto – o Polaris – está a ser desenvolvido no Centro Hospitalar de Trás-os-Montes e Alto Douro e baseia-se em “receber financiamento de acordo com a população servida, podendo haver transferência de e para outra unidade de saúde, se esse for o local certo para tratar aquele doente”, com a respetiva transferência do financiamento.

O relatório conclui que o “atual modelo de financiamento em Portugal não incentiva a integração de cuidados, os resultados em saúde e o investimento, nem está alinhado com as necessidades crescentes e distintas da população”.

Por esse motivo, é “urgente repensar o modelo de organização do sistema“, desviando-se a atenção da prestação de cuidados e focando-se na promoção da saúde e prevenção da doença através da integração de cuidados.

Alexandre Lourenço, presidente da associação que representa os administradores hospitalares, diz que não faz sentido que o Estado continue a pagar aos hospitais conforme o volume de cuidados prestados.

“São recomendações feitas para todo o universo do SNS, não só para o Governo. O nosso objetivo é influenciar todas as forças políticas. Queríamos dentro do setor da saúde encontrar caminhos para a alocação de recursos, para reduzir o desperdício e procurar novas formas de prestação de cuidados. Isso não é possível sem inovar”, refere.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Documentário "low cost" afirma que Jesus era, afinal, um filósofo grego

O documentário Bible Conspiracies (Conspirações Bíblicas, em tradução livre), disponível na Amazon Prime desde novembro de 2017, tem dado que falar. Durante o filme, realizado em 2016, são proferidas várias afirmações que contrariam o que …

Choupette já é a gata mais rica do mundo e pode herdar fortuna de Karl Lagerfeld

A gata do estilista Karl Lagerfeld, Choupette, pode ser uma das beneficiárias da sua fortuna de mais de 170 milhões de euros. Não é que o felino precisasse, já que tem, só por si, um …

Gravuras rupestres descobertas na Serra da Gardunha

Um conjunto de rochas com gravuras rupestres foi descoberto na Serra da Gardunha, Fundão, e a primeira análise indica que serão do período entre o Calcolítico e a Idade do Bronze, disse o arqueólogo Martinho …

Cinco telemóveis são apreendidos por dia nas prisões portuguesas

O número de apreensões de telemóveis, drogas e armas brancas nas prisões portuguesas caiu em 2018. Ainda assim, foram confiscados 1934 aparelhos, o que dá uma média superior a cinco por dia. Para os guardas prisionais, …

Estado vai dar incentivo de 250 euros para compra de bicicletas elétricas

Visando impulsionar o uso de veículos mais verdes, o Governo vai conceder um incentivo de 250 euros para a compra de uma bicicleta elétrica. Os detalhes das novas regras deverão ser anunciadas já nos próximos …

Lisboa em primeiro lugar no ranking das cidades mais atrativas para investir

A capital portuguesa subiu do 10.º para o 1.º lugar no ranking das cidades mais atrativas para investir, da PricewaterhouseCoopers, avança a Visão. Lisboa foi alvo de uma ascensão sem precedentes, subindo do 10.º para o …

O Sol vai brilhar e os termómetros vão chegar aos 26 graus este fim de semana

As temperaturas máximas vão subir e o fim de semana promete ser solarengo, com os termómetros a chegarem aos 26 graus Celsius. A temperatura máxima vai subir nos próximos dias em Portugal continental, com a máxima …

Lidl deixa de vender sacos de plástico em Portugal

O Lidl Portugal vai deixar de vender sacos de plástico em todas as suas lojas no mercado português até ao final do ano, medida que será faseada e arranca em maio na região Norte, anunciou …

As mulheres ganham menos 2464 euros do que os homens por ano

Em média, as mulheres em Portugal ganham menos 176 euros por mês do que os homens. Anualmente, cria-se um fosso de 2464 euros, segundo dados de 2017 acedidos pelo Diário de Notícias. O diário avança estes …

Vem aí um novo Cartão de Cidadão e vai ser igual ao dos restantes países da UE

O Cartão do Cidadão vai mudar. As alterações serão residuais e poderão ser observadas já a partir de 2021, ano limite para que se atualize o formato de todos os documentos de identidade na União …