Fenprof quer processar Estado em nome dos professores expostos a amianto

Paulo Novais / Lusa

O secretário-geral da FENPROF, Mário Nogueira

A Fenprof anunciou, esta quinta-feira, que vai avançar para tribunal contra o Estado em nome dos professores que trabalham em escolas com amianto, por aumentar as possibilidades de serem vítimas de doenças de foro oncológico.

Para a maior estrutura sindical representativa dos professores, o Governo não tem feito “praticamente nada” no que toca a remover o amianto das escolas.

A Fenprof anunciou em comunicado que decidiu apresentar ações em tribunal contra o Estado português “em representação coletiva dos professores que exercem funções em estabelecimentos onde ainda existe amianto, por incumprimento da legislação em vigor, aumentando as possibilidades de os profissionais serem vítimas de doenças do foro oncológico”.

Além dos tribunais nacionais, também apresentará queixa junto da Comissão Europeia por “indevida transposição da diretiva comunitária que impõe medidas para sinalização, monitorização e remoção de amianto”.

A Fenprof vai ainda requerer as listas atualizadas de estabelecimentos de educação e ensino com amianto ao ministério da Educação, instituições de Ensino Superior, câmaras municipais, associações de empregadores privados de educação assim como governos regionais da Madeira e Açores.

A agência Lusa questionou, no início da semana, o Ministério da Educação sobre o número de escolas que ainda têm estruturas com amianto que representam perigo para a saúde de alunos, professores e funcionários mas não obteve qualquer resposta até ao momento.

O Sindicato de Todos os Professores (STOP), que avançou com uma greve nacional contra o amianto nas escolas que se vai prolongar até 22 de outubro, estima que haja mais de uma centena de escolas, onde “a saúde de alunos, professores e funcionários está em risco”.

Existe um grupo de trabalho que desde 2016 tem vindo a atualizar e completar a listagem de materiais com amianto nos edifícios que prestam serviços públicos, assim como elencar, segundo graus de prioridade, as intervenções a efetuar e encontrar soluções para o seu financiamento e célere execução.

A Fenprof recordou hoje o relatório do grupo de trabalho que, em 2017, identificou 3.739 edifícios a precisar de intervenção, estimando-se que após a conclusão do diagnóstico o número ainda pudesse subir para 4.263 edifícios e que as intervenções custariam cerca de 422 milhões de euros.

“Daí para cá, o que foi feito? Praticamente nada! Essa inoperância do Governo não poderá arrastar-se, como não se poderá manter o seu silêncio sobre problema tão grave e que o mesmo reconhece como tal”, criticou a Fenprof em comunicado.

A Fenprof esteve este mês reunida com as associações ambientalistas Quercus, Zero e o movimento Mesa e já pediu uma reunião com responsáveis da Autoridade para as Condições do Trabalho (ACT).

“Caso destas iniciativas não resulte o indispensável cumprimento da lei — culminando com a remoção de todo o amianto, o que deverá ser antecedido com a atualização da lista de edifícios públicos e a divulgação dos privados (empresas) onde o amianto está presente, a monitorização da qualidade do ar e a informação aos seus utilizadores —, a Fenprof promoverá outras iniciativas e ações destinadas a exigir ao governo que tome as medidas a que está obrigado”, alertaram.

Entretanto, o STOP avançou no início de outubro com uma greve nacional contra o amianto e hoje anunciou que os protestos se vão prolongar até 22 de novembro.

// Lusa

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. estes chul0s têm de fazer valer a mensalidade que os professores lhes pagam…
    mas alguém tem de lhes explicar que o amianto que se encontra nos telhados só por si não é prejudicial, o problema é quando é mexido e com isso as fibras se soltam, sendo que em locais fechados pode ser de facto muito perigoso, mas em locais abertos como é o caso, é completamente irrelevante!
    É mais um faitdiver desses energumenos…

  2. Quando se negligencia o sistema educativo privado e se mete os ovos todos no público — por questões ideológocas que nada têm a ver com a qualidade — dá nisto. O sistema educativo fica nas mãos de um sindicato e de um líder sindical cujo mantra é “a luta continua” e os alunos ficam esquecidos e sem alternativa (privada).

  3. Na Europa o amianto já é proibido faz séculos como Portugal não faz parte da Europa mas sim de África compreendemos perfeitamente que haja amianto nos edificios rsrsrsrsrsrs

  4. Se não fosses um palerminha ignorante, saberias que a produção de amianto é proibida em Portugal e em toda a EU desde 2005 – mesmo em Africa, e proibido em vários países.
    Mas como és “africano”, não sabes nada de nada…
    A produção é proibida, mas o amianto continua existir pela Europa fora em milhões de edifícios, etc, etc…
    A Holanda e o Reino Unido são dos países com mais amianto nos edifícios.
    “Exposição a amianto faz 3 mil mortes na Europa”

RESPONDER

Irão disponível para negociações sobre acordo nuclear nas próximas semanas

O Irão retornará às negociações sobre a retomada do acordo nuclear de 2015 nas próximas semanas, avançou o Ministério dos Negócios Estrangeiros esta terça-feira, apesar das suspeitas das potências ocidentais sobre a estratégia de Teerão …

Depois do Loon, nasce o Taara. Projeto usou lasers para transmitir 700TB de dados

Depois da morte do Projeto Loon, no início do ano, nasceu o Projeto Taara, que utilizou lasers para transmitir 700TB de dados através do rio Congo. O projeto muda, o nome é diferente, mas a missão …

Vizela - Paços de Ferreira bateu recorde de assistência na I Liga

Maior número de adeptos do campeonato também foi registado nesta jornada, no Benfica-Boavista; mas em termos de ocupação do estádio, o Vizela deixou longe toda a concorrência. Desde os anos 80 do século passado que não …

150 anos antes da viagem histórica de Colombo, um frade italiano escrevia sobre a America

Por volta do ano 1340, Galvano Fiamma registou, na sua Cronica universalis, a existência de terras a oeste da Gronelândia habitadas "por gigantes". Trata-se da primeira menção documentada do continente americano no Mediterrâneo, cerca de …

Os antigos compadres zangaram-se de vez. Trump puxa os cordelinhos nos bastidores para correr com McConnell

A relação de altos e baixos entre os dois azedou de vez depois de McConnell ter reconhecido a vitória de Joe Biden. Trump quer agora que um Republicano concorra contra McConnell pelo cargo da liderança …

Bombeiros embrulharam a maior árvore do mundo em papel de alumínio. Tudo para a proteger

O incêndio consumiu milhares de acres na Califórnia e o National Park Service viu-se obrigado a intensificar os seus esforços para proteger as jóias naturais, incluindo as maiores árvores do mundo. Os incêndios Colony e Paradise …

EUA trocaram "guerra implacável" por "diplomacia implacável" no Afeganistão, diz Biden

O Presidente dos Estados Unidos (EUA), Joe Biden, disse esta terça-feira à Assembleia Geral das Nações Unidas (ONU) que o país se está a concentrar na "diplomacia implacável" e no encerramento de uma era de …

Presidente de El Salvador autodenomina-se "Ditador de El Salvador"

O Presidente de El Salvador, Nayib Bukele, alterou no domingo a descrição do seu perfil no Twitter para "Ditador de El Salvador", passando depois para "Ditador mais 'cool' do mundo mundial", situação registada após os …

Ordem dos Médicos abre processo disciplinar contra Fernando Nobre

O Conselho Disciplinar Regional do Sul da Ordem dos Médicos abriu um processo contra Fernando Nobre, por causa das suas declarações numa manifestação de negacionistas em frente à Assembleia da República. A Ordem dos Médicos (OM) …

Crise da energia obriga UE a enfrentar dependência do gás natural

Os países europeus estão a tentar proteger os consumidores de energia, numa região onde, desde o início do ano, os preços do gás aumentaram 250%, resultado de uma série de forças económicas, naturais e políticas.  Na …