Sexta-feira é dia de Clássico. FC Porto procura o inédito 5.º triunfo consecutivo frente ao Benfica

José Coelho / Lusa

O FC Porto pode conseguir na sexta-feira o quinto triunfo consecutivo frente ao Benfica, na ronda 14 da I Liga de futebol, algo que nenhuma das duas formações alcançou no Clássico, em quase 90 anos de história.

Desde o primeiro encontro, no longínquo dia 28 de junho de 1931 (3-0 para o Benfica, na final do Campeonato de Portugal), o recorde de qualquer dos clubes é de quatro triunfos, conseguidos quatro vezes pelos ‘dragões’ e um pelas ‘águias’.

O último registo dos ‘azuis e brancos’ está, no entanto, ativo, pelo que os comandados de Sérgio Conceição podem fazer história no embate marcado para o Estádio do Dragão, depois de três vitórias na época passada e uma já em 2020/21.

Há menos de um mês, em 23 de dezembro de 2020, o FC Porto impôs-se aos ‘encarnados’ por 2-0, em Aveiro, na Supertaça Cândido de Oliveira, graças aos golos de Sérgio Oliveira, aos 25 minutos, de penálti, e do suplente colombiano Luis Díaz, aos 90.

Na época transata, os ‘dragões’ também se superiorizaram nos três encontros com o Benfica, o primeiro na Luz, em 24 de agosto de 2019, para a terceira jornada da I Liga: o cabo-verdiano Zé Luís (22 minutos) e o maliano Marega (86) selaram o 2-0.

Na segunda volta, no Dragão, os ‘encarnados’ vinham com intenções de somar o 17.º triunfo consecutivo na prova, precisamente depois do desaire caseiro com os portistas, mas os comandados de Sérgio Conceição voltaram a prevalecer, por 3-2.

Em 8 de fevereiro de 2020, Sérgio Oliveira, aos 10 minutos, Alex Telles, aos 38, de grande penalidade, e Vlachodimos, aos 44, na própria baliza, selaram o triunfo dos portistas. Pelo Benfica, Vinícius logrou um ‘bis’, com tentos aos 18 e 50.

A terminar uma época muito longa, culpa da pandemia da covid-19, os ‘dragões’ também derrotaram as ‘águias’ na final da Taça de Portugal, em 01 de agosto, mesmo reduzido a 10 elementos desde os 38 minutos, por expulsão de Luis Díaz.

O central congolês Chancel Mbemba vestiu a capa de ‘herói’ e resolveu o encontro com dois cabeamentos certeiros, aos 47 e 59 minutos, após livres de Alex Telles e Otávio, respetivamente, com Vinícius a marcar novo golo que para nada serviu (84, de penálti).

Benfica não vence o Porto desde 2018/2019

Para encontrar um ‘clássico’ entre Benfica e FC Porto que não tenha acabado com triunfo ‘azul e branco’ é preciso recuar a 2018/19, mais precisamente a 2 de março de 2019, dia em que o ‘onze’ de Bruno Lage triunfou em pleno Dragão por 2-1.

O espanhol Adrián López adiantou os anfitriões, aos 19 minutos, mas João Félix, aos 26, e Rafa, aos 52, selaram a reviravolta no encontro da 24.ª jornada e também na edição 2018/19 da I Liga, lançando o Benfica para o 37.º título.

Depois disso, o FC Porto já vai em quatro vitórias, igualando o registo máximo em clássicos, que os ‘dragões’ já tinham alcançado entre 1956/57 e 57/58, entre 83/84 e 84/85 e entre 2001/02 e 2003/04, e o Benfica entre 1971/72 e 72/73.

Na primeira vez, os ‘dragões’ bateram em casa o Benfica por 3-0 na ronda 17 do campeonato de 1956/57 e, na época seguinte, venceram os três jogos disputados: 1-0 em casa e 3-2 fora, para o campeonato, e 1-0 na final da Taça de Portugal.

Entre 1983/84 e 84/85, Benfica e FC Porto defrontaram-se nada menos do que 12 vezes, à média de seis por temporada, e, pelo meio, os ‘azuis e brancos’ venceram os dois últimos jogos de 1983/84 época e os dois primeiros de 84/85.

Os ‘dragões’ começaram por um 2-1 fora na segunda mão da Supertaça, arrecadando a prova, e, depois, ganharam três jogos seguidos para o campeonato, os dois primeiros nas Antas (3-1 em 83/84 e 2-0 em 84/85) e o outro na Luz (1-0 em 84/85).

No início do século, o terceiro registo ‘atravessou’ três épocas e só incluiu jogos da I Liga, três em casa (3-2 em 2001/02, 2-1 em 2002/03 e 2-0 em 2003/04) e um na Luz (1-0 em 2002/03). Quanto ao Benfica, que já tem um atraso de nove vitórias em relação ao FC Porto no histórico dos 245 jogos, só conseguiu uma vez quatro triunfos de ‘rajada’, há quase meio século.

Os ‘encarnados’ fizeram o pleno em 1971/72, com um 3-1 nas Antas, a abrir o campeonato, um 1-0 caseiro, na segunda volta do ‘nacional’, e, a fechar, um 6-0 na Luz, nas meias-finais da Taça de Portugal, com ‘bis’ de Nené e Vítor Baptista.

Na época seguinte, o Benfica venceu em casa o primeiro duelo para o campeonato, por 3-2, num embate decidido por Humberto Coelho, aos 90 minutos, para ao segundo, já campeão, falhar nas Antas o quinto (Flávio empatou para os anfitriões aos 86 minutos), depois de 23 triunfos nas primeiras 23 jornadas.

Sexta-feira, nas Antas, os comandados de Sérgio Conceição podem conseguir o que os seus antepassados, os de um lado ou do outro, nunca conseguiram no ‘clássico’, uma inédita quinta vitória consecutiva.

  // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Novo ano letivo marcado pelo recorde de pedidos de bolsas de estudo no superior

Número crescente de alunos e perda de rendimentos das famílias são duas das razões apontadas para os pedidos recorde. O ano letivo 2021/22 ainda agora arrancou, mas já está a bater recordes no que respeita aos …

Urgências em Lisboa estão cheias. Situação pode piorar nas próximas semanas

As urgências do Hospital de Santa Maria, em Lisboa, e do Hospital Beatriz Ângelo, em Loures, estão em situação crítica, com tempos de espera elevados. A situação de calamidade multiplica-se em vários hospitais do país, de …

Portugal já tem 86% da população totalmente vacinada contra a covid-19

A vacinação completa contra a covid-19 abrange já 86% da população portuguesa e são já mais de nove milhões de pessoas as que têm pelo menos uma dose da vacina, de acordo com os dados …

Direção do CDS desautoriza Telmo Correia e defende eleições "o mais brevemente possível"

A direção do CDS-PP não gostou de ouvir o líder parlamentar dizer que a melhor altura para realizar eleições legislativas seria no final de janeiro ou fevereiro. Depois de uma reunião com o presidente da Assembleia …

Órban e Le Pen apoiam a Polónia e criticam "imperialismo" da UE

O primeiro-ministro húngaro, Viktor Órban, e a líder da União Nacional (RN, na sigla em francês), Marine Le Pen, manifestaram esta terça-feira apoio à Polónia no conflito que mantém com a UE, a qual acusam …

Após goleada frente ao Bodø/Glimt, Mourinho põe de lado quatro jogadores

Em duas convocatórias consecutivas, José Mourinho deixou de fora quatro futebolistas que participaram na derrota por 6-1 frente ao Bodø/Glimt. Naquela que foi a maior derrota de sempre da carreira de José Mourinho, o Tottenham perdeu …

O que cai e o que fica: as medidas que o chumbo do OE deita por terra e as que permanecem

O grosso das medidas previstas na proposta de Orçamento do Estado para 2022 não deverá sair do papel. As aprovadas em Conselho de Ministros, por sua vez, manter-se-ão viáveis, já foram discutidas fora da sede …

Truque permite que o Orçamento não seja votado esta quarta-feira

Há um mecanismo que, se for acionado, permite que o Orçamento do Estado para 2022 sobreviva mesmo que não seja votado. O Orçamento do Estado para 2022 pode baixar à comissão sem votação. Este mecanismo, nunca …

Conceição reconhece supremacia do Santa Clara e admite culpa na derrota

O treinador do FC Porto, Sérgio Conceição, reconheceu que o Santa Clara foi superior e diz-se culpado pela derrota pesada que deixa o clube fora da Taça da Liga. O FC Porto está fora da Taça …

"Vechtpartij", quadro de Jan Steen.

Antigos jogos de bebida acabavam em vinho derramado e esfaqueamentos

Hoje vistos como jogos de diversão para jovens, na antiguidade, os drinking games (jogos de bebida) eram comuns em toda a sociedade — e, por vezes, terminavam mal. O kottabos era um antigo jogo de bebida …