/

FC Porto admite batalha legal com o Sporting devido ao caso Palhinha

3

José Coelho / EPA

Os azuis e brancos contestam a utilização de João Palhinha no jogo frente ao Benfica, a contar para a 16.ª jornada da Liga, e admitem uma batalha legal. A polémica está relacionada com a utilização do jogador, após ter visto cinco cartões amarelos.

O FC Porto está preparado para levar o caso Palhinha até às últimas consequências. Segundo apurou o jornal Record, os ‘dragões’ estão a estudar diversos mecanismos legais que possam colocar em causa a utilização do jogador, após este ter visto o quinto cartão amarelo na Liga, no jogo com o Boavista, antes do Clássico frente ao Benfica.

O quinto cartão amarelo mostrado por Fábio Veríssimo no jogo com o Boavista gerou contestação e o Sporting recorreu da decisão. A suspensão viria a ser anulada, permitindo a João Palhinha jogar no encontro com os ‘encarnados’.

Agora, o amarelo visto pelo jogador em Famalicão foi considerado, pelo Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol, como a 6.ª admoestação da época. Assim, João Palhinha estará disponível para o embate com o Farense, esta sexta-feira.

Caso o internacional português venha a ser utilizado no jogo com os algarvios, o FC Porto admite recorrer às vias legais.

“É das coisas mais surrealistas, não me lembro de nada como isto, é uma singularidade que bate todos os recordes. O amarelo foi mal mostrado, seria legítimo tirar o amarelo ao Palhinha, que em vez de ter cinco cartões e cumprir castigo, aquele amarelo não existiria e ficava com quatro”, começou por dizer o diretor de comunicação dos portistas, Francisco J. Marques.

“A verdade é que não cumpre castigo mas aproveita para limpar. É um atentado à verdade desportiva. Isto descredibiliza, arruma com o TAD, arruma com a credibilidade do TAD, dá vontade de rir”, atirou.

O Benfica já tinha apresentado uma participação ao Conselho de Disciplina (CD) para “apuramento de alegado recurso a tribunais estaduais e eventual utilização/participação irregular de jogador”.

A direção sportinguista não se mostra preocupada e está confiante nas decisões que tomou.

“João Palhinha jogou, porque o tribunal suspendeu a decisão. Não foi o Sporting que decidiu e quem marcou o golo foi o Matheus Nunes”, disse fonte oficial do clube ao jornal Record.

O responsável pela comunicação dos ‘leões’ criticou também o recurso da Federação Portuguesa de Futebol à decisão desfavorável do Tribunal Arbitral do Desporto.

“Estão a perpetuar uma injustiça. Foi muito infeliz. Não compreendo que a Federação, Liga ou clubes queiram insistir num erro e que não valorizem que um árbitro tenha tido a coragem de admitir que errou. O Sporting não descobriu um tribunal para levar este caso, limitou-se a olhar para a lei”, disse Miguel Braga.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

  Daniel Costa, ZAP //

3 Comments

  1. É realmente estranho… Também é realmente estranho o FCP estar a tentar ganhar o campeonato na secretaria porque não o consegue fazer no campo. Ainda por cima foi num jogo contra o SLB! Joguem! Lutem! Deixem-se de mer……!!!!!

  2. Mas isto está plenamente de acordo com o DNA do FC Porto (como diz o Conceição): não olhar a meios para atingir os fins. Sempre foi este o timbre daquele clubezeco, que toda a gente sabe de que formas subiu.
    Felizmente tenho poucos amigos adeptos daquela sociedade recreativa de província, mas os que conheço também têm esta postura: não olhar a meios para atingir os fins. Quando o caminho a seguir é, afinal, só um: saber jogar bem futebol.

    • Calma aí, sr Filipe! Clubezeco não! É um grande clube! Só porque o presidente é o que é, não quer dizer que o clube e a sua história desaparece! Alguém terá dito: Os presidentes passam o clube fica.

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.