Farida Khalaf veio pedir a Portugal que reconheça o genocídio dos yazidis

Farida foi uma das muitas mulheres yazidis que, em 2014, foi capturada pelo Estado Islâmico, tendo sido usada e vendida como escrava sexual. Esteve, esta quarta-feira, em Portugal para lutar pelo reconhecimento formal do genocídio contra esta minoria étnica.

Farida Khalaf vivia em Kocho, na zona iraquiana de Sinjar, quando, em agosto de 2014, o Estado Islâmico atacou a sua aldeia e levou todos os habitantes yazidis, a minoria étnica perseguida pelo grupo terrorista. O pai e o irmão mais velho foram mortos. A jovem, na altura com 18 anos, ficou em cativeiro, foi vendida, espancada e violada.

Esta quarta-feira, conta o Expresso, Farida regressou a Portugal. Em 2017, foi uma das convidadas das Conferências do Estoril, onde contou o terror vivido às mãos do Daesh. Agora, foi ouvida por duas comissões parlamentares na Assembleia da República e ali deu a conhecer o seu objetivo.

Farida quer que todos os Governos reconheçam formalmente o genocídio contra os yazidis e que todos os envolvidos sejam condenados por crimes contra a Humanidade no Tribunal Penal Internacional (TPI).

“Tento ser a voz dos que ainda estão em cativeiro”, afirma, citada pelo semanário, referindo-se às cerca de três mil pessoas que, quatro anos depois do ataque, ainda estão nas mãos dos terroristas ou continuam desaparecidas.

Desde os partidos de esquerda aos da direita, os deputados presentes concordaram por unanimidade que é fundamental aprovar uma resolução conjunta nesta matéria.

“Tudo faremos para podermos consagrar ao nível da totalidade da Assembleia da República que seja aprovada uma posição para vir a reconhecer estes crimes como crimes cometidos contra a Humanidade, como um genocídio”, assegurou o deputado do PSD, José Cesário, coordenador da comissão de Negócios Estrangeiros e Comunidades Portuguesas.

(dr) Estoril Conferences

Farida Khalaf, a yazidi que foi escrava sexual do Estado Islâmico

Já o bloquista Maria Manuel Rola afirmou que “tem de haver uma voz forte em relação a estes crimes” e espera que venha a existir “um reconhecimento por parte do Parlamento português dos crimes cometidos contra a Humanidade e que tenham o respetivo seguimento”.

A deputada centrista Vânia Dias da Silva afirmou que do seu partido “podem esperar todo o apoio” e garantiu que “estará para muito breve uma resolução sobre o genocídio e o reconhecimento da perseguição do povo yazidi”.

Segundo o semanário, a jovem yazidi faz desta a sua luta pessoal e não se importa com as recentes ameaças de morte que levaram a que a sua segurança tivesse de ser reforçada. “Não me importa, não vou parar”, afirma.

Farida não é o seu nome verdadeiro mas é aquele que tem de usar para se proteger dos terroristas que conseguiram chegar à Europa, onde agora vive, depois de ter conseguido escapar e uma rede de tráfico humano lhe ter carimbado o passaporte. Vive na Alemanha, onde voltou a estudar, e tem casamento marcado para breve.

No Parlamento, esteve acompanhada de Teresa Violante, diretora das Conferências do Estoril, e dos representantes oficiais em Portugal da Organização Yazda.

De acordo com o jornal i, a responsável acredita que o recurso ao TPI “não é fácil” mas explica que esta é “a instância própria à luz do direito internacional para julgar, para avaliar, para indagar, para inquirir” sobre este momento trágico da história.

Depois da passagem pela Assembleia, Farida espera agora que Portugal se junte ao Reino Unido, França e Canadá, países que já reconheceram formalmente o genocídio dos yazidis.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Comité da ONU preocupado com condições das prisões em Portugal

As condições de detenção, a sobrelotação das prisões, o alegado uso da força e outros abusos contra pessoas pertencentes a grupos raciais e étnicos são as principais preocupações do Comité da ONU contra a Tortura …

Cientistas identificaram organismo que prospera ao comer meteoritos

O micróbio Metallosphaera sedula tem uma propensão para comer minerais. E não estamos a falar de granito ou giz, mas de rochas muito mais especiais como meteoritos. Segundo o Science Alert, uma equipa internacional de cientistas …

Médicos estrangeiros em Portugal atingem o valor mais alto da última década

O número de médicos estrangeiros registados em Portugal atingiu, em 2019, o valor mais elevado da última década, situando-se em 4192, mais 9,1% face a 2009, revelam dados da Ordem dos Médicos (OM). A maioria dos …

O único carro-avião do mundo vai ser vendido em leilão

O Taylor Aerocar, aquele que é o único carro-avião legalizado em todo o mundo, vai a leilão no início do próximo ano. Este modelo da marca data do ano de 1954. Se é um apaixonado por …

Marcha pelo Clima. Polícia espanhola deteve duas pessoas com facas e martelos

A Polícia Nacional de Espanha deteve, na sexta-feira, duas pessoas que pretendiam perturbar a manifestação pelo clima em Madrid, tendo apreendido vários materiais, como facas e martelos. Um homem e uma mulher foram detidos e enviados …

Reflexão, ritual ou mundo idealizado. Um Natal sem filmes, não é Natal

Se é daquelas pessoas que passa a noite da Natal com uma chávena na mão, meias nos pés e um filme na televisão, saiba que não está sozinho. Nesta altura do ano, os filmes tornam-se …

Musk ilibado depois de ter chamado "pedófilo" a mergulhador no resgate da gruta da Tailândia

O magnata fundador da Tesla, Elon Musk, foi absolvido na sexta-feira no processo por difamação movido pelo espeleólogo britânico Vernon Unsworth, que alegava ter sido chamado de pedófilo. Após cerca de uma hora de deliberações, o …

Luzes nas redes de pesca? Os golfinhos e as tartarugas agradecem

A implementação de luzes nas redes de pesca reduz a probabilidade de tartarugas marinhas e de golfinhos serem apanhados por acidente. Luzes LED nas redes de pesca eliminariam a "captura acidental" de tartarugas marinhas em mais …

Presidente da República passa o fim de ano na ilha do Corvo

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa, vai passar a noite de 31 de dezembro para 1 de janeiro na ilha do Corvo, nos Açores, de onde será transmitida a sua mensagem de Ano …

O calor extremo está a fazer com que os bebés nasçam mais cedo

Investigadores descobriram que o calor extremo faz com que os bebés nasçam mais cedo. Tal como quase tudo neste mundo, as coisas só vão piorar com as alterações climáticas. Segundo o Science Alert, os dois investigadores …