/

Família de McAfee questiona tese de suicídio e pede segunda autópsia

NullSession / Wikimedia

John McAfee, criador do antivírus com o mesmo nome

Dúvidas levantadas pela família e pelo advogado de McAfee têm por base os últimos contactos feitos com o informático nas horas antes da sua morte.

A morte de John McAfee, inventor do famoso antivírus e suspeito de inúmeros crimes de fraude fiscal, foi classificada pelas autoridades espanholas como “suicídio”, depois de o seu corpo ter sido encontrado sem vida na cela da prisão de Barcelona onde se encontrava detido enquanto aguardava a decisão final do tribunal sobre a sua extradição para os Estados Unidos da América.

A morte terá acontecido horas depois da decisão judicial ter sido confirmada. No entanto, a família do inventor de software duvida da tese avançada pelas autoridades e posteriormente divulgada pela agência Reuters.

“As últimas palavras que ele me disse foram ‘amo-te e ligo-te mais tarde’. Essas não são as palavras de alguém com pensamentos suicidas”, disse a esposa de McAfee à mesma fonte, exigindo uma investigação mais profunda ao sucedido.

O advogado da família, Javier Villalba, informou que irá pedir uma segunda autópsia, desta feita independente, ainda antes dos resultados da primeira perícia serem conhecidos. Também o El Pais noticia esta intenção da família.

Enquanto que a tese de suicídio é encarada pelo advogado como uma possibilidade, este alega não ter motivos para acreditar que McAfee pôs realmente termo à sua vida.

“Eu tinha contacto telefónico com ele constantemente. Em nenhum momento ele mostrou uma preocupação especial ou pista de que nos deixasse a pensar que isto fosse acontecer”, declarou o advogado à Reuters.

Na passada sexta-feira, a viúva de McAfee culpara as autoridades norte-americanas pela morte do marido, defendendo que as acusações existentes tinham motivação política.

  ARM, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.