Falta uma semana para os britânicos decidirem se ficam ou saem da UE

bisgovuk / Flickr

O primeiro-ministro britânico, David Cameron

O primeiro-ministro britânico, David Cameron

Os britânicos decidem dentro de uma semana se o Reino Unido continua como membro da União Europeia ou sai, num referendo que se espera participado e disputado e que ameaça turbulência económica e política em caso de “brexit”.

Os eleitores são chamados às urnas em 23 de junho para responder à questão “O Reino Unido deve permanecer como membro da União Europeia ou sair da União Europeia?“, assinalando uma de duas opções: “Permanecer na União Europeia” ou “Sair da União Europeia”.

A Comissão Eleitoral prevê uma participação eleitoral próxima dos 80%.

As sondagens, que até ao final de maio davam vantagem ao “Permanecer”, apontam agora para uma vitória do “Sair”, com uma vantagem de seis a sete pontos percentuais.

Um novo inquérito de opinião divulgado esta quinta-feira pelo instituto Ipsos MORI para o jornal Evening Standard mostra que 53% da população britânica apoia o “Brexit”, contra 47% que defendem a permanência do Reino Unido na União Europeia.

Na semana passada, sondagens da ORB, ICM e YouGov davam todas uma vantagem média de 6% aos apoiantes do Brexit.

Campanha eleitoral

O referendo nasceu na campanha eleitoral para as legislativas britânicas de 2015, de uma a promessa do primeiro-ministro conservador David Cameron em resposta a crescentes pressões da ala eurocética do seu partido e à popularidade do eurocético Partido da Independência do Reino Unido (UKIP).

Reeleito, Cameron anunciou que renegociaria a relação de Londres com Bruxelas antes do referendo, após o que, se as suas exigências fossem satisfeitas, faria campanha pela permanência.

O acordo alcançado ficou aquém dos objetivos de Cameron, segundo muitos observadores, mas permitiu consagrar algumas das ideias-chave.

Entre elas, a redução do abono para filhos de imigrantes a residir no país de origem, o “travão de emergência” que suspende a concessão de benefícios aos imigrantes durante quatro anos, a proteção dos serviços financeiros da City em relação à zona euro e o “cartão vermelho” que permite rejeitar legislação europeia a que se oponham 55% dos parlamentos nacionais.

Brexit

Do lado do “Sair” a campanha “Leave” é liderada por Nigel Farage, do UKIP (UK Independence Party), partido eurocético de direita que venceu as últimas europeias e obteve quase quatro milhões de votos nas gerais de 2015, e pelo ex-presidente da câmara de Londres e possível sucessor de Cameron na liderança do Partido Conservador, Boris Johnson.

Apoiam ainda o “Brexit” cerca de metade dos deputados conservadores, incluindo cinco membros do governo, alguns deputados trabalhistas e o Partido Democrático Unionista (DUP), da Irlanda do Norte.

Argumentam que a UE impõe demasiadas restrições às empresas e cobra demasiadas quotas sem dar grande coisa em troca, além de impedir o país de controlar as suas fronteiras e travar a entrada em massa de migrantes.

Opõem-se ainda ao princípio de uma integração europeia crescente que, consideram, levará à criação de uns “Estados Unidos da Europa”.

Juntaram-se à campanha pelo “Brexit” figuras como o fundador do Wikileaks Julian Assange, os humoristas John Cleese e Michael Caine, os músicos britânico Roger Daltrey e canadiano Bryan Adams e o jornal mais vendido no país, o The Sun.

Remain

Apoiam o “Permanecer” (“Remain”) David Cameron e 16 dos seus ministros, o Partido Trabalhista, os Liberais-Democratas, o Partido Nacionalista da Escócia (SNP) e o partido do País de Gales (Plaid Cymru), além de quase todos os restantes Estados membros da UE e os EUA.

Pelo “Permanecer” já se manifestaram também figuras públicas como o milionário Richard Branson, o arcebispo de Cantuária, o físico Stephen Hawking, o ator do filme “Senhor dos Anéis” Ian McKellen, o músico irlandês Bob Geldof ou o ex-ministro das Finanças grego Yanis Varoufakis.

Para estes, permanecer na UE é a melhor forma de assegurar o crescimento económico, pelo acesso ao mercado comum europeu e pela entrada de migrantes que contribuem maioritariamente para a sustentabilidade do sistema.

Por outro lado, permanecer na UE é também, asseguram, a melhor forma de garantir a segurança e a estabilidade no país, na UE e na NATO, num contexto global marcado pela ameaça do terrorismo em que a cooperação policial e judicial são instrumentos decisivos.

“Uma década perdida”

As questões económicas têm sido centrais na campanha, sobretudo as advertências para os riscos de uma vitória do “Sair”: governo, patronato e sindicatos, grandes e pequenas empresas, multinacionais e organizações internacionais (G7, G20, OCDE, FMI, BCE, OMC, entre outras) advertem que uma saída da UE levará à desvalorização da libra, aumento dos impostos, taxas alfandegárias, taxas de juro e preços, à estagnação e à perda de competitividade.

Uma década perdida“, alertou David Cameron, citando longas negociações para redefinir a relação com a UE.

“No mínimo sete anos”, disse o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, referindo a dissolução dos vínculos, a renegociação da relação e sua aprovação pelos restantes países membros e pelo Parlamento Europeu.

Para os que defendem a saída, três anos bastariam para completar o processo, segundo assegurou o deputado conservador Chris Grayling, para quem a retirada da UE se pode efetivar em finais de 2019 e a conclusão de um acordo comercial com os 27 até 2020.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Pessoas a explorar o mapa 3D mais detalhado do Universo com realidade virtual

Google Earth do Espaço. Já é possível navegar pelo mapa mais detalhado do Universo

Investigadores da Escola Politécnica de Lausanne (EPFL), na Suíça, lançaram este mês um software de código aberto que permite visitas virtuais ao Espaço. O Virtual Reality Universe Project (VIRUP) utiliza o maior conjunto de dados do …

Otamendi e Vertonghen disputam a bola com Lewandowski

Benfica 0-4 Bayern | Primeiro a ilusão, depois o rolo bávaro

A ilusão durou 70 minutos. Ao longo de toda a partida, o Bayern foi melhor, criou inúmeros lances de golo, viu dois anulados, acertou no ferro, Vlachodimos fez defesas importantes, mas o Benfica deu luta, …

China quer punir pais de crianças mal-educadas

O regime chinês está a analisar um projeto de lei que prevê que os pais possam ser punidos se os seus filhos exibirem um mau comportamento ou cometerem crimes. De acordo com a agência Reuters, o …

Rui Moreira com Francisco Rodrigues dos Santos e Carlos Moedas

Rui Moreira promete manter a "identidade do Porto" e concluir os projetos que a pandemia atrasou

O presidente da Câmara Municipal do Porto tomou posse, esta quarta-feira, e comprometeu-se a "tudo fazer" para manter a identidade do Porto e a concluir os projetos que a pandemia atrasou. "Quero concluir os projetos que …

Já há um medicamento para tratar a covid-19 em casa (e vários países assinaram acordos de compra)

Países asiáticos já estão na luta pelo novo comprimido antiviral, cujo uso ainda nem sequer foi autorizado, contra a covid-19. Países da região asiática estão já a fazer encomendas da mais recente arma contra a covid-19: …

A Facebook vai implementar uma nova estratégia e o nome vai ser das primeiras coisas a mudar

As últimas semanas têm sido tumultuosas para a empresa de Mark Zuckerberg, que se viu confrontada com os testemunhos de antigos trabalhadores no Senado norte-americano. As notícias da última semana que resultaram do testemunho, no Senado …

Cadetes da Escola Naval investigados por alegados comportamentos abusivos

A Marinha está a investigar uma denúncia sobre alegados comportamentos abusivos entre cadetes da Escola Naval. "A Marinha informa que hoje, 19 de outubro, teve conhecimento de uma denúncia sobre alegados comportamentos abusivos praticados entre cadetes …

Índia. "Montanha de lixo" que garante sobrevivência de pobres será substituída por estação de tratamento

As "montanhas de lixo" das cidades da Índia em breve serão substituídas por estações de tratamento de detritos. A maior de todas — equivalente a um prédio de 18 andares — garante a sobrevivência de …

Candidatura de Nuno Melo acusa direção de não facultar cadernos eleitorais e de sanear senadores

A candidatura de Nuno Melo à liderança do CDS-PP acusou, esta quarta-feira, os opositores de não facultarem os cadernos eleitorais nem possibilitarem a fiscalização da eleição de delegados ao congresso, apontando também a substituição de …

Bolsonaro acusado de nove crimes pela comissão de inquérito sobre gestão da pandemia

O relatório apresentado, esta quarta-feira, na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Senado brasileiro pede o indiciamento do Presidente por nove crimes durante a pandemia de covid-19. No texto, com mais de 1200 páginas, pede-se que …