Falta de apoio psicológico aos alunos do Técnico alimenta uma “cultura de sobrevivência”

Instituto Superior Técnico de Lisboa

Edifício no Campus Tecnológico e Nuclear do Instituto Superior Técnico de Lisboa.

Há enormes filas de espera no gabinete psicológico do Instituto Superior Técnico e na linha telefónica de apoio à saúde mental da Universidade de Lisboa. Os alunos falam numa situação “insustentável”.

A falta de apoio psicológico dado aos alunos no Instituto Superior Técnico  está a ser alvo de críticas pelo presidente da Associação de Estudantes, que alerta para o stress, cansaço e ansiedade que os estudantes sentem.

Gonçalo Mamede revela à TSF que quando os alunos tentam receber apoio no gabinete de psicologia “têm de esperar seis meses pela primeira consulta” e “não conseguem aceder imediatamente”.

“No IST temos cerca de 12 mil estudantes, com um serviço de psicologia que tem cerca de uma dezena de psicólogos ou menos do que isso. Temos à volta de, num cenário muito otimista, um psicólogo por cada mil estudantes“, alerta o representante dos estudantes, considerando que este valor não é suficiente e que o cenário é “insustentável”.

As listas de espera são “enormíssimas e as linhas telefónicas de apoio psicológico, disponibilizadas pela Universidade de Lisboa, tê​​​m vários minutos e horas de espera para atender uma simples chamada”.

Sobre a causa destes stress, o representante dos alunos acredita que é a “exigência muito grande enraizada” no Técnico devido aos “métodos de avaliação que pressionam e exigem demasiado” dos alunos e também devido no novo modelo de avaliação que dividiu cada semestre em dois e que leva à acumulação de projetos e testes ao longo do semestre que depois se juntam aos exames finais.

É por isso necessário e um aumento das verbas destinadas ao apoio psicológico e ao reforço da saúde mental no ensino superior, apela Gonçalo Mamede, para fazer frente a esta “cultura de sobrevivência” no IST.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.