Falsa agressão homofóbica (para esconder infidelidade) incendeia a política espanhola

Party of European Socialists / Flickr

Pedro Sánchez, primeiro-ministro espanhol

A denúncia falsa de um jovem que alegou ter sido agredido, num ataque homofóbico, em Madrid, incendiou os ânimos na política espanhola, com acusações entre o Governo do PSOE e a oposição, em especial o partido de extrema-direita Vox.

Tudo começou quando um jovem de 20 anos disse à polícia ter sido agredido por oito encapuzados, em plena tarde de domingo, em Madrid. Nesta suposta agressão, tatuaram-lhe a palavra “maricón” nas nádegas.

Mas, afinal, descobriu-se que foi um acto consentido pelo jovem que seria adepto de práticas sadomasoquistas.

Ele terá mentido ao namorado que o levou ao hospital, onde o caso foi sinalizado à polícia. A mentira terá sido motivada pelo desejo de esconder do parceiro a sua infidelidade.

Contudo, antes de se saber a verdade, a falsa denúncia acabou por chegar aos media como mais um caso de agressões homofóbicas, sucedendo-se a outras situações semelhantes que têm aparecido nos últimos tempos no país.

As notícias sobre a alegada agressão provocaram um reboliço na política espanhola, com trocas de acusações mútuas entre os vários partidos.

O alvo do Governo de Pedro Sánchez foi logo o Vox, com o argumento de que a suposta agressão homofóbica seria resultado do seu discurso de ódio.

Quando se descobriu que, afinal, a denúncia era falsa, o Vox e o Partido Popular (PP) vieram acusar o Governo de estar a aproveitar-se do caso para fazer propaganda em causa própria.

“Governo de Espanha toma os cidadãos por imbecis”

O Governo chegou a anunciar que ia direccionar mais recursos e mais medidas para combater os crimes de ódio.

E o primeiro-ministro, Pedro Sánchez, convocou uma reunião de emergência para discutir essas medidas, mantendo este encontro mesmo depois de se ter descoberto que a denúncia era falsa.

Contudo, o principal visado das críticas é o ministro do Interior, Fernando Grande-Marlaska, com a oposição a pedir a sua demissão.

No seguimento da suposta agressão, o ministério de Marlaska anunciou medidas como a criação de grupos especializados em crimes de ódio dentro das unidades de informação da Polícia Nacional e da Guardia Civil.

Ora, a oposição diz que é uma falsa medida nova, pois argumenta que já havia especialistas dedicados a este assunto nos corpos policiais.

A presidente da Comunidade de Madrid, Isabel Díaz Ayuso, eleita pelo PP com o apoio do Vox e do Ciudadanos, é uma das vozes que pede a demissão de Marlaska.

“O Governo de Espanha toma os cidadãos por imbecis“, critica Ayuso, notando que “Madrid é uma região aberta, plural, que respeita os direitos de todos os cidadãos”. “Não se pode consentir a imagem que quiseram passar de Madrid”, defende ainda.

No Vox, Santiago Abascal acusa Marlaska de “manipular” a opinião pública e de ser “um mentiroso compulsivo”, enquanto garante que o seu partido não é homofóbico, nem racista ou machista, e que defende “todos os espanhóis”.

“Não entendemos que haja um colectivo LGTBI, entendemos que há espanhóis de umas ideias ou de outras, de uma tendência sexual ou de outra. Não perguntamos aos espanhóis sobre assuntos privados, menos ainda com quem se deitam“, frisa ainda Abascal.

Já o alcaide de Madrid, José Luis Martínez-Almeida, do PP, acusa o Governo de querer “estigmatizar o Vox”, sublinhando, contudo, que não concorda com este partido em várias questões, como na violência de género e na imigração.

Sánchez envia “carinho” às pessoas LGBTI

Entretanto, Marlaska já garantiu que não se demite e pediu para “não banalizar as agressões” e “não circunscrever o problema a um caso concreto”.

Nunca instrumentalizo algo tão importante como são os direitos e liberdades”, disse ainda antes de apontar as garras à oposição.

“Temos um problema estrutural de discursos políticos, com declarações contrárias à tolerância e à diversidade, onde as leis que garantem direitos e liberdades são questionadas”, aponta Marlaska.

E o ministro tem o apoio de Sánchez que já veio notar que esta denúncia falsa não pode tapar “a realidade que sofrem pessoas de muitas orientações sexuais pelo facto de serem como são”.

“Os crimes de ódio contra as pessoas LGBTI aumentaram“, frisa ainda Sánchez, enviando o seu “carinho” a esta comunidade e garantindo “o compromisso do Governo na defesa dos seus direitos”.

A Comissão de Acompanhamento do Plano de Acção de Luta contra os Delitos de Ódio já anunciou que é preciso reforçar os meios para combater este tipo de casos perante o “crescimento constante em torno de 9% por ano” desde 2014, como revela o jornal espanhol El Mundo.

  ZAP //

PARTILHAR

4 COMENTÁRIOS

  1. Mais uma brincadeira de mau gosto de gente de grupos extravagantes, como sabem que de certo modo controlam a comunicação e o poder político, daí logo terem atingido os fins, puseram a classe política que possivelmente não tem casos sérios para resolver, à bulha uns contra os outros!

  2. Eu respeito às preferências das pessoas mas estou farto da proteção aos LGBTs… E os heterosexuais nem merecem a mesma proteção? Fogo, somos todos iguais, mas não tenho de andar a ser importunado pelas extravagâncias sexuais dessa Malta! Subsídios para essa malta, direitos acima dos outros, gaita…. onde está a igualdade? Sejam normais!

  3. “BAIXARIAS” – Não será preciso trazer narrativas das sujeiras ocorridas durante o período cruel e imoral do Império Romano com os Nero, Calígula, Domiciano e outros devassos. Atualmente, tem aparecido na media casos vergonhosos e imorais, envolvendo nobres e “plebeus” por toda velha Europa. Ainda, não´tínhamos esquecido o affair entre a Dignífica Conselheira Úrsula Van der Leyen e o Presidente da República Magiar , Viktor Mihály Orban. Assunto; LGBTI. ” Durma , com um barulho desse”?!! . é o que diz, [email protected]

RESPONDER

O pior desastre nuclear da história dos EUA pode ter sido fruto de uma brincadeira

O SL-1 era um reator nuclear experimental de baixa potência, localizado no Idaho, nos EUA, que tinha como objetivo fornecer energia a pequenas instalações militares remotas no início dos anos 1960. O reator acabou por ficar …

PJ deteve quarto suspeito da morte de jovem no metro das Laranjeiras

A Polícia Judiciária (PJ) deteve, ao final da tarde desta quinta-feira, um quarto suspeito da morte de um jovem, na quarta-feira, na estação de metro das Laranjeiras, em Lisboa. Durante a tarde de hoje, em conferência …

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, a ministra de Estado e da Presidência, Mariana Vieira da Silva, a ministra da Cultura, Graça Fonseca, e a ministra da Saúde, Marta Temido

Saúde, Trabalho e Cultura. As medidas aprovadas pelo Governo para facilitar a negociação do OE

Novo Estatuto do Serviço Nacional de Saúde, Agenda do Trabalho Digno e a versão final do Estatuto dos Profissionais da Cultura foram os grandes destaques da conferência de imprensa após o Conselho de Ministros desta …

Banido do Facebook, Donald Trump aposta na criação da sua própria rede social

Nova rede social deverá estar disponível a partir do início do próximo ano e é uma resposta do antigo presidente às empresas que o decidiram banir. O antigo Presidente dos Estados Unidos, Donald Trump anunciou o …

Um cigarro aceso

"Fumar mata." Deputados britânicos querem que o aviso seja impresso em cada cigarro

Para desencorajar os fumadores, os deputados britânicos querem imprimir o slogan "Fumar mata" em cada cigarro de um maço de tabaco. Deputados britânicos apresentaram, no Parlamento, uma emenda à Lei de Saúde e Cuidados de Saúde …

Ludogorets 0-1 Braga | Horta bracarense dá frutos cedo

O Sporting de Braga conseguiu um importante triunfo por 1-0 na deslocação ao terreno do Ludogorets, no Grupo F da Liga Europa. A formação lusa não quis perder tempo e marcou logo aos sete minutos, por …

PJ admite mais pessoas envolvidas na morte de jovem no metro das Laranjeiras

A Polícia Judiciária (PJ) admitiu, esta quinta-feira, que estejam mais pessoas envolvidas na morte de um jovem, na quarta-feira, na estação de metro das Laranjeiras, em Lisboa. Os dados foram avançados esta tarde, em conferência de …

O Presidente da República, Marcelo Rebelo de Sousa

Marcelo continua a "desejar e a esperar que haja uma possibilidade de o OE passar"

O Presidente da República afirmou, esta quinta-feira, que continua "a desejar e a esperar que haja uma possibilidade de o Orçamento passar" e considerou que os próximos dias, com reuniões partidárias até ao fim-de-semana, "são …

Facebook acorda com parte da imprensa diária francesa pagar "direitos conexos"

O Facebook chegou a um acordo com parte da imprensa diária francesa para pagar "direitos conexos", anunciou a rede social norte-americana, algumas semanas depois de assinar acordos semelhantes com o Le Monde e o Le …

Os trabalhadores que acumulam empregos em teletrabalho — e em segredo

Com a normalização do teletrabalho nos últimos anos, há cada vez mais pessoas que acumulam dois empregos a tempo inteiro — e em segredo. Têm dois endereços de e-mail profissionais, dois computadores, dois patrões e... dois …