Rede de notícias falsas ligada a funcionários e filhos de Bolsonaro eliminada pelo Facebook

palaciodoplanalto / Flickr

Eduardo Bolsonaro, filho de Jair Bolsonaro

O Facebook eliminou uma série de contas e páginas dedicadas à difusão de notícias falsas ligadas a funcionários do Presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, e a dois dos seus filhos, o deputado Eduardo Bolsonaro e o senador Flávio Bolsonaro.

Segundo noticiou a agência Lusa, a rede social informou na quarta-feira que removeu um total de 35 contas pessoais, 14 páginas e um grupo no Facebook e outros 38 perfis no Instagram, algumas das quais se faziam passar por meios de comunicação, criavam pessoas fictícias e promoviam “discursos de ódio”.

A empresa indicou que a rede está ligada a funcionários dos escritórios de Bolsonaro e dois dos seus filhos, Eduardo e Flávio, além de dois parlamentares do Partido Social Federal (PSL, formação política com que o atual Presidente se elegeu mas que abandonou no ano passado), Alana Passos e Anderson Moraes.

“Embora as pessoas por detrás dessa atividade tentassem ocultar as suas identidades e coordenação, a nossa investigação encontrou ligações para indivíduos associados ao PSL e a alguns dos funcionários dos escritórios de Anderson Moraes, Alana Passos, Eduardo Bolsonaro, Flávio Bolsonaro e Jair Bolsonaro”, indicou o Facebook em comunicado.

O diretor de segurança cibernética do Facebook, Nathaniel Gleicher, explicou, num relatório, como se processava essa rede de desinformação. “Fazia publicações sobre notícias locais e eventos, incluindo política interna e eleições, memes políticos, críticas à oposição, a organizações de media e jornalistas, e, mais recentemente, sobre a pandemia de coronavírus. Parte do conteúdo publicado por esta rede já havia sido retirada por violações dos Padrões da Comunidade, incluindo discursos de ódio”, referiu Gleicher.

O Facebook revelou ainda que cerca de 883 mil perfis seguiam uma ou mais das páginas vinculadas a Bolsonaro e outras 917 mil pessoas eram seguidores de uma ou de mais contas no Instagram, que foram agora removidas.

O anúncio feito pelo Facebook faz parte da eliminação de redes de desinformação que operavam em quatro territórios, disseminando conteúdo relacionado com assuntos políticos. Foram também eliminadas redes nos Estados Unidos, na Ucrânia e na América Latina – em países como El Salvador, Argentina, Uruguai, Venezuela, Equador e Chile.

Bolsonaro é investigado pelas autoridades eleitorais em processos por alegadamente ter usado robôs para difundir notícias falsas durante a campanha eleitoral que o levou à presidência, em 2018.

Também o Supremo Tribunal Federal brasileiro abriu uma investigação no mês passado contra aliados e amigos próximos do Presidente, por suspeitas de usarem as redes sociais para espalhar propostas antidemocráticas, como encerramento do Congresso e do Supremo, assim como o regresso de uma ditadura militar.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Ferro Rodrigues arrasado após pedir deslocação "massiva" de portugueses a Sevilha para apoiar Selecção

Numa altura em que o Governo se prepara para anunciar um travão no desconfinamento devido ao aumento de casos de covid-19, Ferro Rodrigues, presidente da Assembleia da República, é duramente criticado por ter apelado à …

Certificado digital vai permitir livre circulação em todo o país

O Certificado digital Covid-19 da União Europeia vai também servir de "passaporte" em todo o país para cidadãos em determinadas situações, prevê o decreto-lei que o governo vai apresentar esta quinta-feira. Segundo apurou o jornal Público, …

covid, Lisboa

Travão no desconfinamento em todo o país. Porto à beira do alerta e Lisboa pode recuar 2 meses

Os números da pandemia de covid-19 "continuam a aumentar", reconhece Marta Temido numa altura em que o Governo deverá anunciar o travão no desconfinamento em todo o país. Mas a situação em Lisboa é mais …

Todos contra o Chega. Parlamento chumba projeto sobre enriquecimento injustificado

O Parlamento rejeitou projecto de lei de André Ventura sobre enriquecimento injustificado com os votos contra de todos os partidos, exceto do PAN, que se absteve, e da deputada Cristina Rodrigues. O projeto de lei de …

Canon obriga funcionários na China a sorrir para irem trabalhar

Os funcionários do escritório de Pequim da multinacional japonesa são avaliados por um sistema de inteligência artificial que determina se estão felizes o suficiente para trabalhar. A medida foi criticada por invadir a privacidade dos …

Cristiano Ronaldo é o terceiro jogador mais decisivo do Euro 2020 (atrás de um belga e de um italiano)

O italiano Marco Verratti, o belga Kevin de Bruyne e o português Cristiano Ronaldo são os três jogadores mais decisivos do Euro 2020 até agora, altura em que acabou a fase de grupos da prova. …

John McAfee encontrado morto em prisão espanhola

O criador do antivírus McAfee, John McAfee, foi encontrado morto esta quarta-feira na sua cela numa prisão espanhola, aparentemente por suicídio, horas depois de a justiça espanhola ter aprovado a extradição para seu país de …

PS nacional impõe filho de dinossauro do PSD como candidato à Maia. "Inexplicável e duvidoso"

Alguns dias depois da polémica com a escolha do candidato do PS à Câmara do Porto devido a divergências internas, há mais um caso semelhante na Maia. Teresa Almadanim retirou-se da corrida depois de ter …

Computador principal do Hubble deixou de funcionar (e a NASA ainda não sabe porquê)

O Telescópio Espacial Hubble, da NASA, está em "modo de segurança" depois de o computador principal ter deixado de funcionar repentinamente no dia 13 de junho. A 13 de junho, o computador principal do Hubble deixou …

Relatório: Lisboa enviou dados para o Irão, Arábia Saudita e (27 vezes) para a Rússia

O Relatório interno da Câmara de Lisboa sobre o caso do envio de dados de ativistas a embaixadas de países estrangeiros desculpabiliza Fernando Medina, mas revela que a CML enviou dados para o Irão, a …