Fábrica suspeita de poluir afluente do Tejo contesta ordem de encerramento

Paulo Cunha / Lusa

A Fabrióleo diz que é a empresa da região que mais investe na área ambiental e garante que irá contestar as medidas cautelares que incluem o encerramento da exploração, determinadas na sequência de uma vistoria realizada a semana passada.

A Fabrióleo, uma fábrica de óleos vegetais, localizada em Torres Novas, contesta a ordem de encerramento de exploração industrial que recebeu esta terça-feira depois de a Agência Portuguesa do Ambiente (APA) considerar que a fábrica em causa não tem condições para continuar a operar.

Um dos argumentos é que está a trabalhar com uma equipa de investigadores da Universidade Nova de Lisboa para a introdução de melhorias permanentes nos seus processos produtos e na realização de um estudo sobre a bacia hidrográfica, no âmbito do qual já foram identificadas mais de 50 fontes poluentes naquela zona.

Segundo a TSF, a fábrica contratou a equipa de investigadores independentes em 2016, coordenada por João Joanaz de Melo, professor e dirigente da associação ambientalista GEOTA. Num relatório do ano passado, a equipa afirma que a poluição provocada pela Fabrióleo é ínfima, ao contrário do que acontece com outros poluidores.

O relatório admite a necessidade de mais análises na bacia hidrográfica, mas até ao momento não foram encontradas quaisquer evidências de que a poluição no Ribeiro do Serradinho e na Ribeira da Boa Água tenha influencia significativa da Fabrióleo, acrescentando que há poluidores mais graves na zona.

Além disso, o relatório refere que o facto de a fábrica não ter licença para estar em zona de reserva ecológica nacional, reserva agrícola nacional e no domínio público hídrico, é uma questão política. “Há aspetos do processo que não estão completos, mas a fábrica tem uma licença de laboração e de descarga“, consta no relatório.

Joanaz de Melo defende que, apesar de ser um trabalho pago pela empresa, não trabalha para a Fabrióleo e que esta não tem qualquer influência nas conclusões dos relatórios.

A fábrica de óleos vegetais vai contestar a ordem de encerramento nos dez dias que tem para o fazer, avança o Público. Embora a Fabrióleo garanta que não é responsável pelos “maus cheiros e poluição” do Rio Almonda, afluente do Tejo, o Ministério do ambiente mantém a sua posição e entende que a empresa não te condições para continuar a operar.

Ainda não está decidido que a empresa irá fechar. De acordo com fonte oficial do Iapmei, citada pelo Público, um projeto desta determinação de encerramento foi enviado à empresa na passada terça-feira e esta tem, agora, dez dias para se pronunciar antes de a agência tomar uma decisão final.

Fonte da Fabrióleo disse à agência Lusa que vai exercer o direito de contraditório, estando a preparar a argumentação, com o apoio dos especialistas que a têm assessorado no esforço de melhorar o seu desempenho ambiental.

Em comunicado, a empresa afirma estar a ser alvo de “tratamento discriminatório” e que “é falsa a falta de legalidade” da sua estação de tratamento de águas residuais, “dado que existe uma sentença do Tribunal Administrativo e Fiscal de Leiria” que o confirma.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Alguns distritos de Portugal continental e Madeira com avisos meteorológicos até domingo

Alguns distritos de Portugal continental e o arquipélago da Madeira vão estar a partir de hoje e pelo menos até domingo com vários avisos meteorológicos devido à agitação marítima, vento e queda de neve, de …

R abaixo de 1 em Portugal. Um milhão de pessoas pode já ter tido contacto com o vírus

Um doente covid-19 em Portugal está a infetar, em média, menos de uma pessoa, segundo dados do Instituto Ricardo Jorge revelados esta quinta-feira, que mostram que o Rt voltou a estar abaixo do 1. “Atualmente, o …

EUA aprovam legislação que pode excluir firmas chinesas do seu mercado de capitais

O Congresso norte-americano aprovou esta quinta-feira legislação que força as empresas chinesas a saírem dos índices bolsistas norte-americanos a menos que cumpram as regras de contabilidade nos Estados Unidos. A legislação, que pode afetar dezenas de …

Polícia Judiciária faz buscas na Câmara de Vila Verde

A Polícia Judiciária está a fazer buscas na Câmara de Vila Verde, no distrito de Braga, relacionadas com "adjudicações a juntas de freguesia", confirmou esta quarta-feira à Lusa fonte daquela força policial. Segundo a mesma fonte, …

Reino Unido começa a vacinar já na próxima semana

O Reino Unido vai começar a vacinar a sua população contra a covid-19 na próxima semana. Depois da aprovação do uso da vacina da Pfizer, os primeiros a receber a vacina serão os trabalhadores e …

Governo já garantiu 370 camas no setor privado

O Governo já garantiu 370 camas no setor privado, sendo que quase metade, 164, são para doentes covid. Há atualmente 3.338 pacientes infetados com o novo coronavírus internados em hospitais. A informação foi confirmada por fonte …

Covid-19 pode ter chegado aos EUA em dezembro de 2019. País prepara-se para o pior inverno da história

Depois de ter sido confirmado que o novo coronavírus já circulava em Itália desde setembro de 2019, agora surge um relatório que refere que a covid-19 pode ter infetado um pequeno número de pessoas nos …

Maior parte dos médicos aposentados que voltam ao SNS prefere trabalhar em tempo reduzido

A maior parte dos médicos aposentados que regressa ao Serviço Nacional de Saúde (SNS) opta por trabalhar em tempo reduzido, adianta o Jornal de Notícias. De acordo com o Jornal de Notícias, do total de 216 …

Bruxelas ameaça avançar com Fundo de Recuperação sem Hungria e Polónia

A Comissão Europeia (CE) está a perder a paciência e, caso não haja progressos nas negociações, ameaça avançar com o Fundo de Recuperação europeu sem a 'luz verde' da Hungria e da Polónia. O ultimato foi …

Empresas que reforcem lay-off não podem fechar portas, mas podem reduzir horários a 100%

O chamado “apoio à retoma progressiva” vai permitir que em dezembro as empresas saltem para o escalão seguinte, que garante mais financiamento, mas o Governo exige que mantenham atividade. Contudo, garante que tal não condiciona …