Exército norte-americano no Japão proibido de beber álcool

Cpl. Joey Holeman / Wikimedia

MArines norte-americanos em exercícios de resistêncis física na praia de Okinawa

MArines norte-americanos em exercícios de resistêncis física na praia de Okinawa

Os militares do exército americano no Japão foram proibidos de consumir álcool, anunciou hoje o exército, depois de um dos seus membros ter conduzido alcoolizado, o que aumentou a oposição à base militar americana em Okinawa.

Os EUA estão outra vez sob pressão depois de um funcionário de uma base militar no Japão ter, alegadamente, abandonado o corpo de uma mulher de 20 anos de Okinawa, que a polícia suspeita ter sido violada e assassinada.

Os comportamentos dos funcionários dos EUA têm sido alvo de protestos na ilha estratégica e têm piorado as relações entre os dois países.

O Presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, prometeu, no mês passado, medidas para prevenir crimes de americanos. Os militares impuseram restrições incluindo o toque de recolha.

Apesar das medidas, um oficial da marinha foi preso no fim de semana depois de, alegadamente, ter conduzido embriagado e em sentido contrário e ter insultado duas pessoas, uma gravemente, segundo a polícia de Okinawa.

Os marinheiros dos EUA que estão no Japão foram proibidos de beber, tanto dentro como fora da base, por um período indeterminado e vão ter outras restrições, disse num comunicado as Forças Navais dos EUA no Japão.

“Durante décadas, tivemos uma relação forte com o Japão”, disse o comandante naval no Japão, Matthew Carter.

“É imperativo que cada marinheiro perceba a forma como as nossas ações afetam as relações, e a aliança EUA-Japão como um todo”, continuou.

O primeiro-ministro, Shinzo Abe, disse hoje aos funcionários do governo que o caso da condução sob efeito de álcool “é extremamente deplorável… por ter acontecido logo após os EUA terem dito que iriam fazer esforços para reforçarem a disciplina”, informou o jornal Jiji Press.

O porta-voz do governo, Yoshihide Suga, considerou o incidente escandaloso.

No domingo, os habitantes de Okinawa votaram nas eleições regionais, mostrando um esmagador apoio ao governador Takeshi Onaga, que quer que a base militar dos EUA seja retirada da ilha.

Mas Suga desvalorizou o impacto do voto num acordo Japão-EUA para mudar a localização das instalações para outra parte de Okinawa, repetindo a posição do governo de que essa é a “única solução”.

Os habitantes de Okinawa planeiam uma reunião para o final do mês para protestarem contra as bases militares e o comportamento dos funcionários da marinha norte-americana.

Mais de metade dos 47.000 tropas americanos no Japão está em Okinawa, devido a uma aliança de segurança de décadas.

A ilha foi palco de uma grande batalha entre os dois países, durante a Segunda Guerra Mundial, à qual se seguiu uma ocupação de 27 anos pelos EUA.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Morreu Rogério "Pipi", histórico jogador do Benfica

O ex-futebolista internacional português, que se evidenciou ao serviço do Benfica nas décadas de 40 e 50 do século passado, morreu este domingo, um dia depois de completar 97 anos. "Foi com profunda tristeza e pesar …

Milhares de manifestantes voltam às ruas de Hong Kong

A polícia de Hong Kong deteve, este domingo, onze pessoas e apreendeu várias armas, incluindo uma pistola, pouco antes do início de uma manifestação convocada para a cidade, para a qual se espera uma forte …

Irão e Estados Unidos trocam prisioneiros

Irão e Estados Unidos realizaram, este sábado, uma troca de prisioneiros que envolveu a troca de um investigador sino-americano por um cientista iraniano detido pelos EUA, num avanço diplomático que surge após meses de tensão …

Coreia do Norte anuncia "teste muito importante" em local de lançamento de mísseis

A Coreia do Norte anunciou ter realizado um "teste muito importante" no local de lançamento de mísseis de longo alcance, defendendo que terá um efeito fundamental na futura posição estratégica do país. A Agência Central de …

Balas que assassinaram John F. Kennedy preservadas em modelo 3D

A partir do próximo ano, os Arquivos Nacionais dos Estados Unidos vão disponibilizar, no seu catálogo online, imagens 3D das balas que assassinaram o antigo presidente norte-americano John F. Kennedy. Para criar os modelos das …

Pela primeira vez, neurónios artificiais foram criados para curar doenças crónicas

Uma equipa de investigadores conseguiu recriar as propriedades biológicas dos neurónios em chips, que podem ser úteis ajudar na cura de doenças neurológicas crónicas. Naquele considerado um feito única na ciência, investigadores da Universidade de Bath …

Cientistas encontram uma relação negativa "muito forte" entre inteligência e religiosidade

Uma equipa de investigadores sugere que pessoas religiosas tendem a ser menos inteligentes do que pessoas sem crenças religiosas. O estudo tem gerado uma grande controvérsia. A religião é um tema forte, capaz de juntar ou …

Descoberta nova espécie de tubarão pré-histórico que podia chegar aos sete metros

Uma nova espécie de tubarão pré-histórico foi descoberta no Kansas, nos Estados Unidos. Este predador podia crescer até quase sete metros de comprimento. De acordo com a revista Newsweek, Kenshu Shimada, da Universidade DePaul, e Michael …

Conhecido medicamento para diabetes pode conter um carcinógeno

A Food and Drug Administration, agência federal e reguladora do Departamento de Saúde e Serviços Humanos dos Estados Unidos, está a testar amostras de metformina, um medicamento para diabetes que pode conter o carcinógeno N-Nitrosodimetilamina …

Nobel da Física diz que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra

Didier Queloz disse, este sábado, estar convencido de que o ser humano não está concebido para viver fora da Terra, razão pela qual está "zangado" com alguns argumentos do cofundador da Tesla, Elon Musk. Os suíços …