Exército da Tailândia decreta lei marcial

World Breaking News / YouTube

-

O Exército tailandês anunciou a imposição de lei marcial “para preservar a lei e a ordem”, no meio de uma crise política no país.

O anúncio, feito no canal de televisão controlado pelos militares, o Exército também “proíbe todos os meios de comunicação de divulgar ou distribuir quaisquer informações ou fotografias prejudiciais à segurança nacional”.

Os militares insistiram que a medida não se trata de um golpe de Estado.

A lei marcial ocorre depois de uma longa crise política e meses de crescentes tensões entre o governo e a oposição, com protestos que deixaram 28 mortos e centenas de feridos.

O assessor-chefe de segurança do primeiro-ministro interino disse que o governo não tinha sido consultado sobre a decisão do Exército.

Um porta-voz do Exército disse que a imposição da lei marcial não terá impacto sobre o governo interino, que permanece no cargo.

Jonathan Head, correspondente da BBC em Banguecoque, disse que o movimento do Exército – que foi justificado como medida para impedir “grupos mal-intencionados de usar armas de guerra” – foi uma surpresa.

O jornalista explicou que o Exército deixou claro que passa a ser responsável pela segurança e a presença de tropas nas ruas deverá ser muito mais comum.

As tropas tomaram medidas para impedir partidários camisas vermelhas pró-governo de se reunirem no seu lugar habitual nos arredores de Banguecoque.

Os militares tailandeses tomaram o poder pela última vez em 2006.

“Não há necessidade de pânico”

Um anúncio num canal de televisão militar disse que a lei marcial foi imposta “para restaurar a paz e a ordem para as pessoas de todos os lados”.

“O público não precisa entrar em pânico, e pode viver suas vidas normais”, disse o anúncio.

A Tailândia está mergulhada no caos político, com a oposição a exigir que o poder seja entregue a uma administração não-eleita designada para reescrever a Constituição.

O comunicado dos militares foi assinado pelo chefe do Exército Prayuth Chan-Ocha, citando uma lei de 1914, que lhe permite intervir em tempos de crise. A decisão foi tomada porque as manifestações populares entre rivais políticos “poderiam afetar asegurança do país e dos cidadãos”.

Na segunda-feira o primeiro-ministro interino Niwatthamrong Boonsongphaisan insistiu que o seu governo não iria renunciar, resistindo à pressão dos manifestantes anti-governo.

No início de maio, um tribunal ordenou que a primeira-ministra Yingluck Shinawatra e vários ministros renunciassem.

Correspondentes dizem que o impasse na segunda maior economia do sudeste da Ásia piorou desde que Shinawatra dissolveu a Câmara baixa do Parlamento em dezembro e um tribunal ordenou a sua saída e a remoção de nove ministros no início de maio por abuso de poder.

O país está sem um governo funcional desde dezembro e ainda não foi capaz de elaborar o orçamento do Estado deste ano.

Instabilidade arrasta-se há anos

A imposição da lei marcial pode acabar por enfurecer os apoiantes do governo, particularmente se for vista como um golpe de Estado, de acordo com os correspondentes.

O Exército realizou pelo menos 11 golpes de Estado desde o fim da monarquia absoluta em 1932.

Os protestos contra o governo começaram na capital tailandesa no ano passado, com manifestantes a bloquear várias partes da cidade.

Em resposta, Yingluck Shinawatra convocou eleições gerais antecipadas em fevereiro, nas quais o seu partido era visto como o vencedor provável. No entanto, os manifestantes interromperam a votação e a eleição foi, mais tarde, anulada.

Os partidários de Shinawatra acreditam que os tribunais são tendenciosos contra ex-primeira-ministra e posicionam-se a favor da elite urbana no centro do movimento de protesto.

A Tailândia tem enfrentado uma luta pelo poder desde o golpe militar de 2006, que depôs o primeiro-ministro Thaksin Shinawatra, irmão de Yingluck.

ZAP / Lusa / BBC

 

PARTILHAR

RESPONDER

Águas do Porto alerta para cobranças fraudulentas porta a porta

A empresa municipal Águas do Porto alertou, esta segunda-feira, para uma fraude que está a ser cometida em seu nome com falsos funcionários que tentam fazer cobranças à porta. De acordo com a Águas do Porto, …

Um terço dos universitários de Lisboa já sofreu violência sexual física

Um terço dos estudantes universitários da área metropolitana de Lisboa já foi vítima de violência sexual física pelo menos uma vez, mas são muitos poucos os que denunciam as agressões, raramente o fazendo à …

OE2020: Esquerda vai negociar "até ao último minuto". PSD não comenta eventual traição madeirense

O Governo apresentou, nesta terça-feira, na Assembleia da República, as linhas gerais da proposta de Orçamento do Estado para 2020 (OE2020) aos partidos com representação parlamentar. Dos encontros, não saiu fumo branco, com o Bloco …

Turismo fez subir o custo de vida dos portugueses. Salários continuam estagnados

O crescimento do turismo em Portugal fez crescer o custo de vida dos portugueses, especialmente nos que vivem nas grandes cidades, apesar de estes continuarem com os salários estagnados, escreve o Jornal de Notícias. Entre 2013 …

Contrato público. Amazon apresenta queixa em tribunal contra Trump

A Amazon revela que os "insistentes ataques públicos e de bastidores" de Donald Trump contra Jeff Bezos causaram "pressão" que levou à perda de contrato público com o Departamento de Defesa.  A Amazon apresentou uma queixa …

Empurrões, insultos e (talvez) um murro: Sérgio Conceição e Pedro Ribeiro perderam as estribeiras no túnel do Jamor

Os treinadores de FC Porto e Belenenses, Sérgio Conceição e Pedro Ribeiro, desentenderam-se no túnel de acesso ao relvado do Estádio Nacional, ao intervalo do jogo em que as duas equipas empataram a uma bola. …

Acordo entre Rússia e Ucrânia para cessar-fogo até ao final do ano

O Presidente da Rússia, Vladimir Putin, e o seu homólogo ucraniano, Volodymyr Zelensky, chegaram na segunda-feira à noite a um acordo de cessar-fogo que deverá ter efeito até ao final do ano de 2019. "As partes …

Nova Zelândia abre investigação. Erupção do Whakaari já fez pelo menos 13 mortos

Pelo menos cinco pessoas morreram e oito continuam desaparecidas, na sequência da erupção do vulcão Whakaari, na Nova Zelândia. As autoridades afirmam que há poucas chances de terem sobrevivido. "Diria com forte convicção de que ninguém …

Falhas no acesso a remédios não são exclusivo do SNS. No resto da Europa também há, diz ministra

A ministra da Saúde afirmou que as falhas no acesso a medicamentos não são "um exclusivo nacional", estando em discussão entre os Estados-membros uma "estratégia global para o acesso ao medicamento". A ministra da Saúde afirmou …

Canal Panda e jogar sem medo. A receita de Lage para vencer os russos do Zenit

O Benfica joga esta terça-feira com o Zenit de São Petersburgo, na sexta e última jornada do grupo G da Liga dos Campeões. Os encarnados precisam de vencer por dois (ou mais) golos para garantir …