Encontradas evidências de um continente “perdido” que ligava Europa e Ásia

Alexis Licht e Grégoire Métais

Investigadores sugerem que um continente “perdido” serviu de ponte para mamíferos asiáticos colonizarem o sul da Europa, há cerca de 40 milhões de anos.

Europa e Ásia são dois continentes distintos, mas há teorias que argumentam que ambos deveriam ser um só — a chamada Eurásia.

Num artigo publicado este mês na revista científica Earth-Science Reviews, uma equipa de investigadores liderada por Alexis Licht sugere que terá existido um continente há cerca de 40 milhões de anos que pode ter “aberto o caminho” para os mamíferos asiáticos colonizarem o sul da Europa.

Submerso entre a Europa, África e Ásia, este continente esquecido — apelidado de “Balcanatólia” — tornou-se um portão de entrada entre a Ásia e a Europa quando o nível do mar baixou e uma ponte de terra formou-se, há cerca de 34 milhões de anos.

O nome do continente é derivado dos Balcãs e da Anatólia, na Turquia, onde foram encontrados fósseis que ajudam a confirmar esta teoria, escreve o portal InsideHook.

Alexis Licht e Grégoire Métais

Balcanatólia há 40 milhões de anos e o que resta hoje do continente.

O continente terá existido durante o período do Eoceno, em que os mamíferos dominaram. Iniciaram a sua existência no Eoceno animais roedores, artiodáctilos, carnívoros, perissodáctilos e baleias.

A forma como o nível da água do mar caiu durante o Eoceno terá sido crucial para a migração dos animais.

“Este evento por si só teria criado muitas pontes terrestres e é a principal hipótese para explicar a conexão entre Balcanatólia e a Europa”, disse Licht, à NBC News.

Um evento conhecido como “Grande Coupure” tem sido a principal hipótese para explicar a extinção da fauna nativa europeia e a chegada de espécies da Ásia, há 34 milhões de anos.

No entanto, descobertas recentes de fósseis mudaram esta linha temporal, apontando para uma região que parece ter permitido que os mamíferos asiáticos colonizassem o sudeste da Europa de 5 a 10 milhões de anos antes do “Grande Coupure“.

A revista Hyperallergic escreve que os investigadores também encontraram novos depósitos fósseis em Büyükteflek, na Anatólia, que suportam a existência de uma massa de terra independente caracterizada pela presença de espécies de mamíferos da Europa e da Ásia.

Balcanatólia serviu, assim, de ponte terrestre para a invasão de mamíferos asiáticos, coincidindo com algumas “mudanças paleogeográficas dramáticas” conhecidas.

“Os dados existentes mostram que [Balcanatólia] atuou como um cruzamento entre Ásia, Europa e África, mantendo uma fauna única por milhões de anos”, disse Licht em comunicado.

A chegada de mamíferos asiáticos acabaria por levar à extinção de espécies de mamíferos dos Balcãs.

Balcanatólia foi descrita como um arquipélago descontínuo ou uma ilha ampla e contínua, com períodos de submersão parcial e reemergência da água.

“Temos animais na Balcanatólia a viver lado a lado que nunca coabitaram em nenhum outro lugar da Terra”, disse o coautor Christopher Beard à NBC. “Como é que isto aconteceu? Como é que esta ilha estranha e única foi montada?”.

Os investigadores também descobriram fragmentos de uma mandíbula pertencente a um animal semelhante a um rinoceronte. O fóssil, datado de há cerca de 38 a 35 milhões de anos, antecede o “Grande Coupure” em pelo menos 1,5 milhão de anos, sugerindo que os mamíferos asiáticos estavam a caminho da Europa através deste continente “perdido”.

  Daniel Costa, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.