Estados Unidos ratificaram prorrogação de tratado nuclear com a Rússia

U.S. Indo-Pacific Command / Flickr

Antony Blinken e Joe Biden

Os Estados Unidos ratificaram a prorrogação por cinco anos do tratado de limitação de armas nucleares New START, já assinado pela Rússia, anunciou hoje o secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken.

“Ao mesmo tempo que trabalhamos com a Rússia para promover os interesses norte-americanos, também trabalharemos para responsabilizar a Rússia pelos seus atos antagónicos e pelas violações dos direitos humanos, em estreita coordenação com os nossos aliados e parceiros”, disse Antony Blinken, num comunicado.

Na passada semana, o Presidente russo, Vladimir Putin, já tinha assinado o prolongamento por cinco anos do tratado russo-americano New START, para a limitação de armas nucleares, dizendo que se tratava de “um passo na direção certa, embora admitindo que a segurança global continuava ameaçada por causa das crescentes tensões internacionais.

“A extensão do tratado New START garante que temos limites verificáveis para mísseis balísticos lançados por submarinos e bombardeiros pesados, até 5 de fevereiro de 2026”, disse Antony Blinken.

“O novo regime de verificação permite-nos monitorizar a conformidade russa e fornece-nos uma maior compreensão da postura nuclear da Rússia, incluindo por meio de trocas de dados e inspeções no local, que permitem que os inspetores dos EUA avaliem as forças e as instalações nucleares russas”, acrescentou o secretário de Estado norte-americano.

O New START é o mais recente, e único em vigor, acordo bilateral deste tipo, que regula o controlo de armas destas duas potências nucleares mundiais.

O seu prolongamento cria a esperança de uma melhoria no diálogo entre Washington e Moscovo, uma semana após a chegada à Casa Branca de Joe Biden, ainda que os dois países já tenham avisado que permanecem firmes nos seus interesses nacionais.

O tratado vai expirar a 5 de fevereiro e é o último acordo remanescente que limita as armas nucleares dos EUA e da Rússia, depois de ter sido assinado, em 2010, pelo Presidente norte-americano, Barack Obama, e pelo Presidente russo, Dmitri Medvedev, para limitar cada país a instalar um máximo de 1.550 ogivas nucleares e restringir a 800 o número de aviões bombardeiros com capacidade de lançar mísseis nucleares.

Durante a campanha presidencial para as eleições, Joe Biden disse ser favorável à extensão do New START, até que seja encontrada uma nova solução, depois de o seu antecessor, o republicano Donald Trump, ter procurado uma substituição para este acordo, incluindo a China nas suas negociações, o que Pequim rejeitou.

Há duas semanas, o secretário-geral da NATO, Jen Stoltenberg, tinha pedido aos dois países para se entenderem à volta do atual tratado New START, acrescentando que um entendimento com a China deve ser tentado mais tarde.

“Contribuição crucial” para a segurança europeia

O Alto Representante da União Europeia (UE) para a Política Externa, Josep Borrell, saudou a prorrogação do tratado de limitação de armas nucleares New START.

“A UE saúda o acordo encontrado entre os Estados Unidos e a Federação Russa para prolongar o tratado New START durante mais cinco anos. A UE atribui a maior importância ao tratado e considera-o uma contribuição crucial para a segurança internacional e europeia”, lê-se numa nota publicada pelo chefe da diplomacia europeia em nome dos Estados-membros da UE.

Frisando que a “redução dos arsenais nucleares mobilizados” prevista no tratado New START é “significativamente melhorada” pelo “sistema de verificação robusto” que contém, Borrell refere também que o acordo contribui para a “redução da reserva global de armas nucleares mobilizadas”.

Lusa // Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Proporção divina identificada na gerbera

Descobrir como se formam os padrões distintos e omnipresentes das cabeças das flores tem intrigado os cientistas há séculos. Quando se pede a alguém que desenhe um girassol, quase todas as pessoas desenham um grande círculo …

Audi apresenta o novo Q4 e-tron que traz uma autonomia até 520 km

Ainda antes do verão, a Audi vai colocar no mercado o seu primeiro SUV elétrico concebido de raiz e não adaptado a partir de uma plataforma concebida para motores a combustão. O Q4 e-tron destaca-se pela …

Vanuatu em alerta depois de um corpo com covid-19 ter dado à costa

Vanuatu proibiu viagens de e para a sua principal ilha três dias depois de ter dado à costa um corpo de um pescador filipino, que testou positivo à covid-19. De acordo com a Radio New Zealand, …

Cientistas russos querem criar a primeira vacina comestível contra a covid-19

O Instituto de Medicina Experimental de São Petersburgo, na Rússia, anunciou o seu plano de concluir dentro de um ano os testes pré-clínicos da primeira vacina comestível do mundo contra o novo coronavírus. Em entrevista à …

Em plena crise política, o país mais pobre das Américas ainda não recebeu nenhuma vacina

Numa altura em que a maior parte dos países já têm o processo de vacinação a decorrer, o governo do Haiti ainda não garantiu uma única dose da vacina contra o coronavírus. O país mais pobre …

Afinal, Leonardo da Vinci não esculpiu o busto de Flora

Está terminada a controvérsia que durou mais de cem anos após a aquisição do Busto de Flora em 1909, por Wilhelm von Bode. A datação por radiocarbono revelou, recentemente, que a obra não foi …

Crise climática "implacável" intensificou-se em 2020, diz relatório da ONU

Houve uma intensificação "implacável" da crise climática em 2020, com a queda temporária nas emissões de carbono devido ao confinamento a ter um impacto pouco significativo nas concentrações de gases de efeito de estufa, revelou …

Já se sabe o que causou a misteriosa "tempestade de asma", que vitimou dez pessoas em 2016

Em 2016, na cidade de Melbourne, aconteceu o evento de "tempestade de asma" mais grave do mundo. Os cientistas descobriram agora o culpado. No dia 21 de novembro de 2016, as urgências de um hospital em …

Carlos César reivindica papel do PS na construção da democracia e no combate à corrupção

O presidente do PS defendeu, esta segunda-feira, que se deveu ao seu partido o aprofundamento da democracia e os avanços no combate à corrupção, embora admitindo desvios", "erros" e "omissões num ou outro momento da …

Para eliminar "veneração do Ocidente", China quer retirar livros de Bill Gates e Steve Jobs das listas de leitura

Este mês, as autoridades chinesas ordenaram que os livros "que veneram as ideias ocidentais" e "abraçam todas as coisas estrangeiras" fossem removidos das listas de leitura e das bibliotecas nas escolas primárias e secundárias.  De acordo …