EUA desconhecem o paradeiro dos rebeldes sírios “moderados” que treinaram

Desapareceram sem deixar rasto os rebeldes sírios que participaram no programa dos EUA para treinar combatentes contra o Estado Islâmico, revelou o porta-voz do Departamento de Defesa, Peter Cook, num briefing apresentado esta terça-feira.

“Temos preocupações sobre a localização de todos estes indivíduos, todos estes estagiários”, confirmou Peter Cook.

“Não posso especificar onde cada um deles se encontra, depois de ter deixado o treino”, acrescentou.

Cook explica que o Departamento de Defesa “tem grandes preocupações” com a possibilidade de algum destes combatentes, treinados pelos EUA, se juntar às fileiras de grupos como a Frente al-Nusra, afiliado da al-Qaeda na Síria.

Segundo dados do Departamento de Defesa dos EUA, o programa foi desenhado para treinar 5.400 rebeldes sírios moderados para combater o Estado islâmico, mas treinou até agora apenas 54 combatentes oposicionistas.

Cerca de uma dezena destes combatentes foram capturados, mas posteriormente foram libertados pela Frente al-Nusra em julho.

Supostamente, os restantes combatentes terão sido mortos ou desapareceram.

Segundo Peter Cook, o programa não atingiu as expetactivas do governo em termos de eficácia, razão pela qual está a ser alvo de “perguntas muito duras”.

“Tiramos lições disto, continuamos a tirar lições e iremos continuar com este programa”, sublinhou o porta-voz do Departamento de Defesa.

Os EUA estão presentemente a apoiar os chamados “rebeldes sírios moderados”, fornecendo ajuda financeira e armas ligeiras.

Além disso, os EUA lideram uma coligação de 62 nações que está a efectuar ataques aéreos contra as posições do Estado Islâmico na Síria desde setembro de 2014.

Porém, a actividade da coligação não é coordenada com as autoridades sírias, o que tem levantado muitas críticas – por exemplo, por parte da Rússia.

20254905825_9ef4a93c02_o

No início do mês, o The Daily Beast, site de notícias e opinião especializado em política e cultura pop, revelou que David Petraeus, o influente ex-director da CIA e ex-comandante das forças americanas no Iraque e Afeganistão, propôs uma cooperação com a Frente al-Nusra, ligada à al-Qaeda, o antigo inimigo dos EUA, para derrubar o Estado Islâmico.

A guerra civil na Síria estende-se desde 2011 e, segundo dados da ONU, já causou a morte de mais de 230 mil pessoas.

O governo sírio luta contra vários grupos rebeldes e organizações militares, incluindo a Frente al-Nusra e o grupo terrorista Estado Islâmico.

No entanto, o Ocidente não quer considerar o presidente da Síria, Bashar Assad, como um aliado na luta contra o grupo terrorista.

O Estado Islâmico, anteriormente designado por Estado Islâmico do Iraque e do Levante, operava inicialmente apenas na Síria, onde os seus militantes lutavam contra as forças do governo.

Posteriormente, aproveitando o descontentamento dos sunitas iraquianos com as políticas de Bagdad, o Estado Islâmico lançou um ataque maciço em províncias do norte e noroeste do Iraque, onde ocupa agora um vasto território.

No final de junho de 2014, o grupo anunciou a criação de um “califado islâmico” nos territórios sob seu controle no Iraque e na Síria.

Sputnik News

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. O mal da guerra na Síria e noutros locais é os EU, Rússia e muitos outros meterem o nariz onde não devem depois resulta numa tragédia imensa como está á vista e ninguém se considera responsável, quanto aos tais moderados o mais provável é já terem passado para o outro lado da barricada.

  2. Quando os Estados Unidos da América, sob a presidência de George W. Bush invadiram o Iraque, a pretexto das inventadas “armas de destruição maciça”, o Rei da Jordânia alertou que isso iria despoletar uma onda islâmica de radicalismos.
    Acessoriamente, lembro o apoio do antigo Primeiro-Ministro Britânico Tony Blair, do ex-PM espanhol José Maria Asnar e… do ex-PM português Durão Barroso, posteriormente Presidente da Comissão Europeia.
    Grandes DEMOCRÁPULAS.

    • TAPADO,
      A diferença entre uma democracia como a norte-americana, sim, uma democracia, com os seus defeitos e os seus podres, e uma ditadura, como qualquer uma das que ainda existem ou estão de regresso, é que uma ditadura teria entrado no Iraque no fim da guerra das armas de destruição massiva e teria encontrado as armas.
      Não haja dúvida, as armas teriam “aparecido”.
      Numa democracia, sim, democracia, os palermas fazem uma guerra por causa das WMD, e no fim passam meses à procura das armas, e no fim, “ooops, parece que afinal não havia armas”.
      Palermas.
      Mas com todos os seus defeitos, prefiro uma democracia podre a uma ditadura fresca.

    • Não era uma boa questão para ser tratada no dia 11 de setembro… De resto, a democracia norte-americana é, na realidade, uma plutocracia.

RESPONDER

Capital das tempestades, Júpiter tem relâmpagos bizarros e chuva "mole" nunca antes vista

Com tempestades constantemente a devastar a sua superfície e uma Grande Mancha Vermelha que se agita há séculos, Júpiter é conhecido como a "capital das tempestades do Sistema Solar". Agora, a missão Juno, da NASA, …

Metro de Nova Iorque pede à Apple para melhorar sistema de reconhecimento facial

A autoridade que gere o metro de Nova Iorque, nos Estados Unidos, pediu à gigante tecnológica Apple para melhorar o reconhecimento facial dos seus dispositivos depois de serem observados vários passageiros a retirar a máscara …

Rival da Tesla diz que o seu carro terá uma autonomia de 832 quilómetros

A empresa Lucid Motors, concorrente direta da Tesla no mercado automóvel elétrico, afirma que o seu carro Air terá uma autonomia de 832 quilómetros. A confirmar-se a autonomia deste carro, o automóvel da Lucid Motors ultrapassará …

Moradores das Maurícias estão a cortar o próprio cabelo para ajudar a evitar um desastre ambiental

Moradores das Maurícias estão a cortar o seu próprio cabelo para para tentar minimizar os danos causados pelo derrame de petróleo de um navio janponês encalhado nos recifes de coral ao largo da ilha. Estima-se que …

Atalanta 1-2 PSG | Reviravolta épica vale bilhete para as “meias”

Um final impróprio para cardíacos e o epílogo perfeito num excelente jogo. O PSG esteve a perder desde o minuto 27, mas em apenas três minutos dos descontos deu a volta ao texto diante da …

Um emblemático transplante nos EUA aconteceu graças a um coração "roubado"

Um dos primeiros transplantes de coração realizados no mundo aconteceu no Estados Unidos. O que muitos não sabem é que este caso de sucesso também deu aso ao primeiro processo civil no país por homicídio …

"Pandemia de sem-abrigo" nos EUA. Há 30 milhões de pessoas sob risco de despejo

Nos Estados Unidos da América avizinha-se uma "pandemia de sem-abrigo". Até ao final de setembro, 30 milhões de norte-americanos estão em risco de despejo devido à covid-19. Nos Estados Unidos, a pandemia de covid-19 pode estar …

Tráfego nas autoestradas cai para quase metade. Foi o pior trimestre de sempre

A rede da Associação Portuguesa das Sociedades Concessionárias de Autoestradas ou Pontes com Portagens (APCAP) registou de abril a junho "o pior trimestre de circulação e tráfego médio desde que há registos", recuando 46% devido …

Bielorrússia cortou acesso à internet e tentou fazer com que parecesse um acidente

No seguimento da reeleição de Alexandr Lukashenko na Bielorrússia, multiplicam-se os apagões de internet. O Governo diz que se trata de um ataque cibernético, mas há suspeitas de que seja um plano do presidente. Os protestos …

Resgatados 28 cães sem registo ou vacinas de barracões onde também vivia a proprietária em Lisboa

Vinte e oito cães foram retirados pela PSP terça-feira de barracões em Lisboa onde também vivia a proprietária, avança a agência Lusa, detalhando que os animais serão depois colocados para adoção.  Os animais foram posteriormente recolhidos …