As bactérias percebem o ambiente como os humanos

As bactérias, assim como os seres humanos, sentem o ambiente, uma descoberta que pode levar ao desenvolvimento de melhores medicamentos contra infecções bacterianas, revelaram cientistas da Universidade do Colorado, em Boulder, nos Estados Unidos.

A descoberta, divulgada esta quarta-feira e considerada “a primeira observação documentada” do sentido do tacto em bactérias individuais, é o resultado de um estudo realizado com bactérias Escherichia coli.

Segundo Giancarlo Bruni, do Departamento de Biologia Molecular, Celular e de Desenvolvimento da universidade, tanto as bactérias como os humanos utilizam pequenos impulsos elétricos gerados por iões de cálcio para transmitir informação do ambiente ao sistema nervoso e sensorial (ou seu equivalente bacteriano).

“Os humanos e as bactérias não são assim tão diferentes”, afirmou Bruni no estudo publicado na revista especializada “Proceedings of the National Academy of Sciences”, realizado com Joel Kralj, Andrew Weekley e Benjamin Dodd.

Os cientistas já sabiam que as bactérias reagem ao ambiente e se comportam de maneira distinta caso, por exemplo, tenham acesso ou não ao açúcar, ou se estiverem sobre uma superfície rígida ou macia, mas o novo estudo percebeu que as bactérias também “sentem” o que está ao seu redor.

Para comprovar isso, Bruni e os colegas colocaram as bactérias dentro de uma superfície pegajosa e observaram-nas com um microscópio. Se nada tocasse nas bactérias, estas mantinham-se estáticas. Quando eram tocadas ou empurradas, “acendiam”, ou seja, emitiam uma luz ténue indicando que estavam a usar eletricidade para transmitir informação.

“Acreditamos que as bactérias usam esses sinais elétricos para modificar o seu estilo de vida”, explicou o professor Kralj, do Instituto BioFrontiers.

Isto significa que as bactérias e os humanos partilham “uma ferramenta comum para sentir o ambiente circundante”, e os sinais elétricos e as origens do sistema neurológico humano, a partir de uma perspectiva evolutiva, remontam a “milhares de milhões de anos”, já que bactérias estão presentes entre os organismos mais antigos do planeta.

Mas também quer dizer que a “ferramenta comum” pode ser usada contra as bactérias, já que é exatamente essa ferramenta que faz com que certas bactérias sobrevivam aos antibióticos. Por isso, o passo seguinte do estudo, segundo os investigadores, será determinar de que maneira as bactérias usam os seus impulsos elétricos para infectar as células humanas.

“Se bloquearmos a atividade elétrica da bactéria, talvez estas tenham menos hipóteses de infectar, basicamente, porque não saberão onde estão e, portanto, não saberão como agir”, afirmou Kralj.

ZAP // EFE

PARTILHAR

RESPONDER

Este casaco foi desenhado para nos ajudar a dormir em qualquer lado

A britânica Vollebak lançou um casaco, inspirado nos astronautas, que facilita a ideia de poder dormir, literalmente, em qualquer lado. A pensar em todas aquelas pessoas que gostam de fazer uma sesta ou outra, independentemente do …

DJ Juice WRLD morre aos 21 anos

A estrela do hip-hop norte-americano Juice WRLD faleceu este domingo (8), depois de sofrer convulsões no Aeroporto de Midway, em Chicago, avança o TMZ. O rapper tinha feito 21 anos a 2 de dezembro. De acordo …

"A Favorita" arrebata prémios do cinema europeu

O filme "A Favorita", do realizador grego Yorgos Lanthimos, arrecadou oito prémios da Academia de Cinema Europeu, numa cerimónia realizada em Berlim. "A Favorita" conquistou, entre outros, os prémios de Melhor Filme Europeu, Melhor Comédia, Realização …

Belenenses 1-1 Porto | "Dragão" escorrega e deixa fugir líder

O FC Porto não foi além de um empate na visita ao Jamor, ante o Belenenses. André Santos abriu as “hostilidades” e Alex Telles, na marcação de uma grande penalidade, fixou o resultado final. Com esta …

Caligrafia desleixada de Isabel I denuncia-a como a tradutora anónima de um livro romano

A rainha Isabel I de Inglaterra foi identificada como a tradutora anónima do livro "Anais" de Tácito. As idiossincrasias da sua caligrafia acabaram por ser fundamentais para a descoberta. Na análise a uma tradução de século …

Hashtags políticas como #MeToo tornam as pessoas menos propensas a acreditar em notícias

Tendem a passarem despercebidas, mas as hashtags são mais importantes do que julgamos. A questão que se impõe é: serão benéficas para a saúde democrática da Internet? Uma hashtag (#) é uma marca funcional, amplamente usada …

Sporting 1-0 Moreirense | "Leão" resolve à cabeçada

O Sporting regressou às vitórias na Liga NOS, embora não sem sentir algumas dificuldades, em especial no ataque. Os "leões" bateram o Moreirense por 1-0, numa partida em que remataram muito (28, máximo na Liga até …

Orçamento do Estado. "Sentido de voto do BE está completamente em aberto"

A coordenadora do BE afirmou, este domingo, que o sentido de voto do partido sobre o Orçamento do Estado para 2020 está "completamente em aberto", desejando que o Governo socialista atenda às reivindicações bloquistas. "Fizemos uma …

João Cotrim Figueiredo eleito presidente da Iniciativa Liberal com 96% dos votos

João Cotrim Figueiredo foi eleito, este domingo, presidente da Comissão Executiva da Iniciativa Liberal, uma candidatura única que recolheu 96% dos votos na III Convenção Nacional do partido. A III Convenção Nacional do partido decorre hoje …

Inteligência artificial decifra manuscrito que pode mudar história da Austrália

A Terra Australis Incognita, hoje conhecida como Austrália, foi descrita por um jesuíta espanhol quase cem anos antes da descoberta em 1770 pelo marinheiro britânico James Cook, segundo um manuscrito decifrado através de inteligência artificial. A …