Estudo mostra que nem o dinheiro faz com que as pessoas queiram fazer exercício físico

Agora que se sabe que a vida sedentária está ligada a consequências prejudiciais para a saúde, alguns cientistas estão a criar incentivos, como pagar às pessoas para serem ativas.

A trabalhar com três mil e 515 participantes que usavam rastreio de fitness comerciais, uma equipa de investigadores tentou criar um incentivo monetário que levasse as pessoas a fazerem mais passos por dia.

Segundo os resultados do estudo publicado, na semana passada, na JAMA Open Network, no geral, as pessoas que receberam um incentivo constante por passo percorreram uma média de 306,7 passos a mais por dia do que as pessoas num grupo controlado.

O grupo de investigadores fez três cenários possíveis: no primeiro, 879 participantes receberam um pagamento constante por duas semanas — o que equivale a cerca de 1,80€ por 10 mil passos.

No segundo, foram oferecidos incentivos crescentes a 881 pessoas. Começaram com uma taxa de 45 cêntimos por 10 mil passos, mas em duas semanas essa taxa aumentou para cerca de 3,20€ por 10 mil passos. Na terceira condição, as pessoas receberam cada vez menos dinheiro ao longo de duas semanas.

Os participantes na condição de diminuição registaram, em média, um aumento de 96,9 passos por dia. Já os voluntários na condição de aumento não viram mudanças significativas na contagem de passos em comparação com o grupo controlado.

Os resultados foram claros: o incentivo constante funcionou significativamente melhor do que os pagamentos crescentes e decrescentes.

schroederhund / Pixabay

Fazer com que as pessoas se exercitem é mais complicado do que parece

O incentivo constante também lucrou mais para os seus participantes, do qual o seu grupo ganhou cerca de 14,09 euros durante duas semanas. Já os grupos de pagamento crescente e decrescente ganharam, respetivamente, 13,23 euros e 13,35 euros.

“Nas outras estratégias, receber quantias diferentes por realizar a mesma atividade pode ter sido confuso, ou até mesmo injusto, o que potencialmente pode ter contribuído para a relativa ineficácia destas estratégias”, lê-se no artigo.

O pagamento constante teve ainda outra vantagem. Quando o benefício terminou, as pessoas em incentivo constante deram 329,5 passos a mais do que o grupo controlado, na primeira semana sem receber o pagamento. Na segunda semana depois do fim de testes deram mais 315 passos.

Contudo, os efeitos só se notaram a curto prazo: na terceira semana após os incentivos terminarem, as pessoas voltaram aos seus hábitos antigos.

Mas os autores, liderados por Chethan Bachireddy, foram capazes de mostrar que a criação de um esquema de pagamento certo pode mudar quantos passos adicionais as pessoas fazem e por quanto tempo estas mantêm a mudança  o que sugere que pode haver futuras formas de corrigir o problema a longo prazo.

O estudo evidencia que embora o dinheiro seja uma boa forma de iniciar as pessoas a fazerem exercício físico, não é o suficiente para fazer com que estas mudem os seus hábitos e comportamentos antigos.

DR, ZAP //

PARTILHAR

1 COMENTÁRIO

RESPONDER

Depressão Jorge traz fim-de-semana com chuva e vento

O Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA) prevê um fim-de-semana chuvoso e ventoso, a começar já a partir de sábado. Em causa está a passagem da depressão Jorge por Portugal. O tempo de primavera …

Dieselgate. Volkswagen vai pagar 800 milhões de euros a clientes

O fabricante de automóveis Volkswagen está disposto a pagar cerca de 800 milhões de euros a 460.000 clientes afetados pela manipulação de motores 'diesel', após um acordo extrajudicial com o gabinete de proteção do consumidor …

Novo partido Volt Portugal perto de receber luz verde do Tribunal Constitucional

O novo partido Volt Portugal (VP) está muito perto de receber luz verde do Tribunal Constitucional para a sua formalização. De acordo com a edição desta sexta-feira do jornal Público, o processo dura já há quatro …

Vitalino Canas e Clemente Lima chumbados para o Tribunal Constitucional

A Assembleia da República 'chumbou' hoje Vitalino Canas e António Clemente Lima para juízes do Tribunal Constitucional (TC) e voltou a rejeitar reconduzir o ex-ministro Correia de Campos para presidir ao Conselho Económico e Social …

Turquia declara guerra ao regime sírio e abre portas da Europa aos refugiados após baixas em Idlib

A Turquia vai deixar de impedir que refugiados cheguem à Europa, por terra ou por mar, decisão que antecipa a chegada de refugiados da província de Idlib, no norte da Síria, onde a ofensiva do …

Cerca de 80% dos processos de racismo acabam arquivados

Cerca de 80% dos processos instaurados pela Comissão pela Igualdade e Contra a Discriminação Racial (CICDR) entre 2006 e 2016 acabaram arquivados, concluiu um estudo do Centro de Estudos Sociais (CES) da Universidade de Coimbra, …

Liga Europa. Há um duelo entre treinadores portugueses nos "oitavos"

Com todas as equipas portuguesas fora de prova, conhecem-se os clubes que se vão defrontar nos oitavos-de-final da Liga Europa. Em competição continuam três treinadores portugueses. O sorteio dos oitavos-de-final da Liga Europa foi dado a …

Desigualdade entre homens e mulheres é "estúpida" e "inaceitável", diz Guterres

O secretário-geral das Nações Unidas, António Guterres, declarou esta sexta-feira que a desigualdade entre homens e mulheres é "estúpida" e "inaceitável" e enumerou ainda cinco áreas que necessitam de igualdade de género para "mudar o …

Isabel dos Santos comprou casa em Lisboa através de um dos paraísos fiscais mais secretos do mundo

A empresária Isabel dos Santos utilizou uma empresa com sede no Estado norte-americano de Delaware, considerado um dos paraísos fiscais mais secretos do mundo, para comprar um imóvel de luxo em Lisboa, que está avaliado …

"Não é aceitável". Alentejo de fora dos descontos nas portagens

Carlos Pinto de Sá, presidente da Câmara de Évora, considera “incompreensível” que a A6 (Autoestrada Marateca-Caia), que atravessa o Alentejo, não esteja incluída na lista das autoestradas que vão beneficiar de uma redução do preço …