Estudo mostra como era ser lésbica durante a Alemanha Nazi

Bundesarchiv, B 145 Bild-F051673-0059 / CC-BY-SA / Wikimedia

Adolf Hitler e Eva Braun.

Adolf Hitler e Eva Braun.

Uma nova pesquisa realizada na Universidade de Stanford, nos EUA, revela que o regime nazi tinha uma “tolerância limitada” para com a homossexualidade feminina, provavelmente por considerar que as mulheres não tinham tanta importância social como os homens.

O investigador Samuel Clowes Huneke analisou ficheiros da polícia da década de 1940, envolvendo casos de homossexualidade, e chegou à conclusão de que havia “uma existência mais normal na experiência diária de algumas lésbicas no Terceiro Reich”, cita a Universidade de Stanford no seu site.

Os homossexuais homens eram perseguidos, durante o regime nazi, e cerca de 50 mil terão sido condenados nesse período. Destes, entre cinco mil a 15 mil foram enviados para campos de concentração e 60% deles terão morrido, segundo os dados disponíveis.

A Lei incluía a criminalização explícita de actos homossexuais entre homens, mas não tinha referência às mulheres e há, de resto, muito poucos documentos ou referências a lésbicas durante a ditadura de Hitler.

Apesar disso, Huneke encontrou quatro casos de oito mulheres investigadas pela polícia criminal da Alemanha nazi – a Kriminalpolizei ou Kripo -, por acusação de homossexualidade.

O investigador chegou a estes ficheiros pelos arquivos estatais de Berlim, com depoimentos assinados das acusadas e de testemunhas, e apurou que todas tinham sido denunciadas por vizinhos, colegas de trabalho ou familiares.

“Que estas oito mulheres tenham sido denunciadas à polícia criminal de Berlim, no início dos anos 1940, é impressionante só por si, dado o silêncio dos arquivos no que se refere à homossexualidade feminina”, escreve Huneke no artigo científico publicado no Journal of Contemporary History.

O investigador também encontrou anotações de que não haveria indícios suficientes para as condenar.

Ora, “para estudiosos habituados a ver no estado nazi uma selva de jurisdições sobrepostas, de iniciativa pessoal e de lei baseada apenas nos desejos do Führer, este é um retrato curioso do sistema de justiça nazi, marcado por uma inesperada preocupação pela estrita interpretação dos estatutos”, considera ainda Huneke.

O caso de Margot Holzmann, uma lésbica judia que vivia em Berlim, espantou especialmente o investigador. Esta mulher casou, em 1941, com um empregado chinês, passando a deter a nacionalidade chinesa e terá evitado, deste modo, a deportação para um campo de concentração.

Foi o marido que a denunciou quando teve conhecimento do seu caso lésbico, mas a polícia acabou por não fazer nada contra ela.

“É francamente bizarro que a polícia criminal insistisse, em vários documentos, sobre as protecções conferidas a uma lésbica judia alemã em virtude da sua cidadania chinesa”, assinala Huneke na investigação.

Perante estes dados, o investigador não duvida de que havia “um nível de tolerância” para com a homossexualidade feminina no regime.

“O género é, talvez, a razão porque as lésbicas não eram perseguidas da mesma forma” que os homossexuais masculinos, conclui Huneke, notando que a homossexualidade feminina era “menos ameaçadora” para a sociedade e para o ideal de reprodução da espécie.

E, no fundo, as mulheres teriam também menos importância social, uma vez que não tinham grande participação na vida política activa.

Huneke repara ainda que esta “tolerância” para com as lésbicas reflecte também “as negociações complexas entre repressão e tolerância de que os regimes autoritários dependem”.

SV, ZAP //

1 COMENTÁRIO

  1. (…) “as mulheres teriam também menos importância social”… melhor não ter tanta importância social e não serem perseguidas e mortas do que ter um cargo de visibilidade que conduz à morte. Em todo o caso… mulheres feministas lésbicas (assim como feministas heterosexuais e homens feministas) não podem dizer que foram e são oprimidas e que o machismo é que mata. Só esta notícia esclarece que as mulheres são beneficiadas (uma vez mais) pelo sistema.

RESPONDER

May promete facilitar permanência de cidadãos europeus no Reino Unido

A primeira-ministra britânica prometeu, esta quinta-feira, "facilitar" a estadia dos cidadãos europeus no Reino Unido depois do Brexit, ao mesmo tempo que garantiu que o consenso com a União Europeia nesta matéria está "muito perto". Theresa …

Bruxelas deve considerar despesas dos incêndios como “excecionais”

O comissário europeu dos Assuntos Económicos, Pierre Moscovici, defendeu esta quinta-feira que as despesas públicas resultantes dos devastadores incêndios em Portugal sejam consideradas como "circunstâncias excecionais", sem consequências na avaliação orçamental a fazer por Bruxelas. "Parece-me …

Creme anticelulite tem ingrediente proibido

A Associação Portuguesa para a Defesa do Consumidor (DECO) pediu ao Infarmed a retirada do mercado do creme 'Depuralina Celulite', por conter um ingrediente proibido em cosméticos, na União Europeia, desde 2015. De acordo com um …

Benfica recebe o V. Setúbal, FC Porto o Portimonense e Sporting o Famalicão

O sorteio realizado, esta quinta-feira, na Cidade do Futebol, em Oeiras, ditou que os três grandes vão jogar em casa. Benfica e FC Porto jogam com outras duas equipas da I Liga, enquanto que o …

Líder neonazi britânico declara-se homossexual, revela ser judeu e abandona movimento

Um proeminente líder neonazi da Frente Nacional (NF) britânica deixou o movimento depois de se declarar homossexual e revelar a sua herança judaica. O líder fez as revelações sobre o seu passado violento enquanto renunciava …

Costa pediu finalmente desculpas (contrariado e só como cidadão)

"Se me quer ouvir pedir desculpas, eu peço desculpas". Eis como António Costa fez um mea culpa contrariado pelos trágicos incêndios que mataram mais de 100 pessoas, nos últimos meses, num debate parlamentar onde confessou …

Material de Tancos abre guerra entre o Ministério Público e militares

A Polícia Judiciária Militar não informou o Ministério Público nem os procuradores da Unidade Nacional de Contraterrorismo da PJ de que tinha encontrado o material de guerra roubado, em junho passado, em Tancos. Segundo o Diário …

Sócrates "usou" ministros em benefício próprio

A actual ministra do Mar, Ana Paula Vitorino, e os antigos ministros Mário Lino, António Mendonça e Carlos Fonseca foram "instrumentalizados" por José Sócrates para favorecerem os seus interesses e os Grupos Lena e Espírito …

Benfica alvo de buscas por suspeitas de corrupção passiva e ativa

Elementos da Polícia Judiciária (PJ) estão a fazer buscas em instalações do Benfica, no âmbito do caso dos emails, numa investigação que se centra em suspeitas de corrupção passiva e activa. Fonte oficial do Benfica confirmou …

Ex-Comandante Nacional desviou meios do grande incêndio de Mação

A fita do tempo veio confirmar as suspeitas que o presidente da câmara de Mação, Vasco Estrela, que falava num desvio de meios e equipas no primeiro incêndio que tomou conta do concelho. No início de …