Estudo descobre provas de consciência depois da morte durante vários minutos

O maior estudo já feito sobre experiências de quase morte mostrou que cerca de 40% dos pacientes têm algum tipo de memória sobre o período em que estiveram clinicamente mortos.

O estudo, publicado no jornal Ressuscitation, sugere que uma pessoa pode continuar com actividade cerebral até três minutos depois de o seu coração parar completamente.

Durante quatro anos, cientistas da Universidade de Southampton, em Inglaterra, analisaram os casos de 2.060 pessoas que sofreram paragens cardíacas em 15 hospitais na Grã-Bretanha, Estados Unidos e Áustria.

Entre os 330 que sobreviveram, 140 puderam ser entrevistados e, destes, 55 (39%) mostraram ter alguma percepção ou lembrança do período em que estavam tecnicamente mortos.

nourfoundation.com

Sam Parnia, professor de Medicina na Universidade Estadual de Nova Iorque.

Sam Parnia, professor de Medicina na Universidade Estadual de Nova Iorque.

Entretanto, apenas duas pessoas relataram lembranças precisas sobre as suas experiências de quase morte.

Uma luz brilhante

Uma destas pessoas, um homem de 57 anos, relatou que observou de um canto da sala, enquanto os médicos executavam o procedimento de reanimação do seu corpo.

“Nós sabemos que o cérebro não pode funcionar depois de o coração parar de bater”, explicou Sam Parnia, um dos autores do estudo.

“Mas neste caso parece que a consciência continuou funcionando durante pelo menos três minutos”, acrescentou Parnia, professor de Medicina na Universidade Estadual de Nova Iorque.

“O homem descreveu tudo o que se passou no quarto. Descreveu de forma precisa as pessoas, os sons e actividades da sua reanimação”, explica o investigador.

“Tudo o que ele disse pareceu-nos credível e foi confirmado pelas outras pessoas presentes no local. Os registos médicos confirmam o relato”, conta Parnia, citado pelo Telegraph.

Segundo o estudo, o normal é a ocorrência de actividade cerebral residual entre 20 a 30 segundos após a paragem cardíaca.

A maior parte dos entrevistados não se lembrava de detalhes, mas descreveu sensações e imagens que se repetiram nos relatos. Cerca de 20% dos entrevistados disseram que se sentiram em paz, e 27% disseram que o tempo desacelerou ou acelerou.

Alguns lembram-se de ver uma luz brilhante, outros relataram medo, sensação de afogamento ou de ser sugado para águas profundas.

13% disseram que se sentiram separados dos seus corpos e o mesmo número diz que os seus sentidos ficaram mais aguçados do que o normal.

Além disso, 8% disseram ter encontrado algum tipo de presença mística ou voz identificável, e 3% viram espíritos religiosos ou de pessoas mortas.

Ninguém relatou ter vivido experiências do futuro.

O estudo destaca que, apesar de os pacientes terem aparentemente mais tempo de consciência durante a morte clínica, as suas memórias podem ser afectadas pelo impacto do processo de reanimação no cérebro ou pelos sedativos usados.

Os autores do estudo, citados pela BBC, apontaram no entanto limitações na investigação, em particular o baixo número de pacientes com memórias explícitas sobre o momento da morte clínica, o que impediu que houvesse análises mais profundas.

ZAP // BBC

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. eu tb tive experiencias destas. senti o calor do inferno e ouvi vozes. fui reanimado duas vezes antes de voltar a vida. qdo cheguei e vi que o passos ainda estava ca, desejei voltar.

  2. Eu enquanto vagava pelas portas do além vi o Diabo que me disse estar à espera do Passos, pelo que regressei na esperança de não o encontrar por aqui… enganou-me!

RESPONDER

Cada vez mais mulheres denunciam abusos médicos durante o parto

Um número crescente de mulheres tem vindo a denunciar casos de abuso durante o trabalho de parto. No entanto, pouco está a ser feito para mudar isto. Durante o parto, as mulheres ficam numa posição vulnerável …

Já podemos explorar "Melckmeyd", naufrágio holandês do século XVII

Nas profundezas do Oceano Atlântico, perto da costa da Islândia, encontram-se os destroços de um navio holandês que afundou há 360 anos, no qual agora podemos "mergulhar" graças a uma experiência de realidade virtual. Quando a …

Os furacões podem provocar atividade sísmica tal como um terramoto

Uma equipa de cientistas descobriu um novo fenómeno geofísico no qual furacões ou fortes tempestades podem produzir vibrações no fundo do oceano tão fortes quanto um terramoto de magnitude 3.5. "As tempestades, furacões ou ciclones extratropicais …

Quem anda mais devagar pode envelhecer mais rapidamente

A velocidade a que caminham as pessoas aos 45 anos pode ser um indicador de como é que o cérebro e o corpo envelhecem, revela um novo estudo levado a cabo por uma equipa de …

Sporting apresentou participação disciplinar à FPF contra o Alverca

O Sporting participou ao Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) contra a utilização de Luan pelo Alverca no jogo da Taça de Portugal, confirmou à agência Lusa fonte ligada ao processo. Em causa, …

Há um país europeu que está a "importar" padres da Índia

O clero irlandês está a ficar cada vez mais envelhecido e as novas gerações parecem menosprezar a profissão. Por isso, a Igreja procura soluções no exterior. Há dois anos, o padre Francis Xavier Kochuveettil aterrou no …

Fábio Silva fez história na goleada frente ao Coimbrões

Fábio Silva, o jovem avançado do FC Porto, fez este sábado história no jogo frente ao Coimbrões: tornou-se o mais jovem de sempre a marcar pelos dragões. No jogo deste sábado para a Taça da …

Relação com o PS "nunca foi fácil", diz Catarina Martins

O Bloco de Esquerda assumiu este sábado que a relação com o PS “nunca foi fácil” e recusou que a perda de votos e a falta de um acordo de maioria parlamentar possam ser encarados …

Pedro Rodrigues, ex-líder da JSD, quer liderar a bancada do PSD

O antigo líder da JSD Pedro Rodrigues quer liderar a bancada parlamentar do PSD durante a próxima legislatura, avança o Expresso este sábado, dando conta que o deputado eleito por Lisboa já está a recolher …

Boris Johnson pede novo adiamento do Brexit (e reitera que não o quer)

Depois do Dia D que pouco ou nada definiu no Parlamento britânico, o primeiro-ministro Boris Johnson assegurou esta sábado ao presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, que vai fazer um novo pedido de adiamento do …