Estudo descobre provas de consciência depois da morte durante vários minutos

O maior estudo já feito sobre experiências de quase morte mostrou que cerca de 40% dos pacientes têm algum tipo de memória sobre o período em que estiveram clinicamente mortos.

O estudo, publicado no jornal Ressuscitation, sugere que uma pessoa pode continuar com actividade cerebral até três minutos depois de o seu coração parar completamente.

Durante quatro anos, cientistas da Universidade de Southampton, em Inglaterra, analisaram os casos de 2.060 pessoas que sofreram paragens cardíacas em 15 hospitais na Grã-Bretanha, Estados Unidos e Áustria.

Entre os 330 que sobreviveram, 140 puderam ser entrevistados e, destes, 55 (39%) mostraram ter alguma percepção ou lembrança do período em que estavam tecnicamente mortos.

nourfoundation.com

Sam Parnia, professor de Medicina na Universidade Estadual de Nova Iorque.

Sam Parnia, professor de Medicina na Universidade Estadual de Nova Iorque.

Entretanto, apenas duas pessoas relataram lembranças precisas sobre as suas experiências de quase morte.

Uma luz brilhante

Uma destas pessoas, um homem de 57 anos, relatou que observou de um canto da sala, enquanto os médicos executavam o procedimento de reanimação do seu corpo.

“Nós sabemos que o cérebro não pode funcionar depois de o coração parar de bater”, explicou Sam Parnia, um dos autores do estudo.

“Mas neste caso parece que a consciência continuou funcionando durante pelo menos três minutos”, acrescentou Parnia, professor de Medicina na Universidade Estadual de Nova Iorque.

“O homem descreveu tudo o que se passou no quarto. Descreveu de forma precisa as pessoas, os sons e actividades da sua reanimação”, explica o investigador.

“Tudo o que ele disse pareceu-nos credível e foi confirmado pelas outras pessoas presentes no local. Os registos médicos confirmam o relato”, conta Parnia, citado pelo Telegraph.

Segundo o estudo, o normal é a ocorrência de actividade cerebral residual entre 20 a 30 segundos após a paragem cardíaca.

A maior parte dos entrevistados não se lembrava de detalhes, mas descreveu sensações e imagens que se repetiram nos relatos. Cerca de 20% dos entrevistados disseram que se sentiram em paz, e 27% disseram que o tempo desacelerou ou acelerou.

Alguns lembram-se de ver uma luz brilhante, outros relataram medo, sensação de afogamento ou de ser sugado para águas profundas.

13% disseram que se sentiram separados dos seus corpos e o mesmo número diz que os seus sentidos ficaram mais aguçados do que o normal.

Além disso, 8% disseram ter encontrado algum tipo de presença mística ou voz identificável, e 3% viram espíritos religiosos ou de pessoas mortas.

Ninguém relatou ter vivido experiências do futuro.

O estudo destaca que, apesar de os pacientes terem aparentemente mais tempo de consciência durante a morte clínica, as suas memórias podem ser afectadas pelo impacto do processo de reanimação no cérebro ou pelos sedativos usados.

Os autores do estudo, citados pela BBC, apontaram no entanto limitações na investigação, em particular o baixo número de pacientes com memórias explícitas sobre o momento da morte clínica, o que impediu que houvesse análises mais profundas.

ZAP // BBC

PARTILHAR

9 COMENTÁRIOS

  1. eu tb tive experiencias destas. senti o calor do inferno e ouvi vozes. fui reanimado duas vezes antes de voltar a vida. qdo cheguei e vi que o passos ainda estava ca, desejei voltar.

  2. Eu enquanto vagava pelas portas do além vi o Diabo que me disse estar à espera do Passos, pelo que regressei na esperança de não o encontrar por aqui… enganou-me!

RESPONDER

E Tudo o Vento Levou… há 80 anos

E Tudo o Vento Levou celebra este domingo 80 anos de vida, marcando a data da sua estreia nos Estados Unidos. Oito décadas depois, o filme mantém-se como uma das maiores obras primas do cinema …

O problema impossível mais simples do mundo está a levar matemáticos à loucura

Matemáticos avisam os seus colegas para se manterem longe da conjetura de Collatz. No entanto, Terence Tao decidiu arriscar, e está muito perto de resolver aquele que muitos chamam de o problema impossível mais simples …

Soldados da Guerra Civil dos EUA pintavam o cabelo para ficar melhor nas fotografias

Investigadores encontraram evidências que indicam que soldados da Guerra Civil norte-americana pintavam o cabelo para ficar melhor nas fotografias. Escavações em Camp Nelson, no Kentucky, revelaram restos de um estúdio de fotografia com 150 anos, o …

Chuva, vento forte e neve. Mau tempo vai agravar-se nas próximas 48 horas

A Proteção Civil alertou este domingo para um agravamento do estado do tempo nas próximas 48 horas, com períodos de chuva, possibilidade da queda de neve nas terras alta do norte e centro e ainda …

Descoberta nova espécie de aranha-violinista no Vale do México

Cientistas identificaram, no México, uma nova espécie de aranha com um veneno que, apesar de não ser fatal, é capaz de causar necrose na pele humana. Uma equipa de cientistas da Universidade Nacional Autónoma do México …

Já sabemos sobre o que conversam os orangotangos

Um novo estudo da Universidade de Exeter, em Inglaterra, desvendou a linguagem secreta dos orangotangos, descobrindo o que significam 11 sinais vocais e 21 gestos. Os investigadores passaram dois anos a filmar mais de 600 horas …

COP25 aprovou conclusões. Não há acordo para regulação dos mercados de carbono

A cimeira da ONU sobre o clima terminou hoje em Madrid assinalando a urgência para conter as alterações climáticas, mas a mais longa cimeira sobre o clima de sempre sem chegar a acordo nos pontos …

Afinal, os deuses da Antiguidade eram às cores (e já as podemos ver)

https://vimeo.com/379277357 Nos nossos livros da escola e em museus de todo o mundo, as obras de arte da antiga Grécia e Roma não têm cores: são simples, puro e branco mármore. Mas será este apenas um mito? …

A sede do petróleo está a levar os povos indígenas do Equador à extinção

Os povos indígenas do Equador estão sob ameaça dos interesses do território em que habitam. Quase metade das reservas equatorianas de petróleo estão debaixo do Parque Nacional Yasuní. Os interesses dos políticos e dos grandes magnatas …

"Lesmas-leopardo" acasalam da forma mais espantosamente bizarra (e ninguém sabe porquê)

As "lesmas-leopardo" têm talvez o acasalamento mais intrigante e espantoso de todo o reino animal. Os biólogos ainda não conseguiram decifrar porque razão estes moluscos acasalam desta forma. Na escuridão da noite, duas grandes "lesmas-leopardo" começam …