As estrelas recém-nascidas impedem o nascimento de outros astros vizinhos

O vento estelar das estrelas recém-nascidas na Nebulosa de Órion está a impedir a formação de novas estrelas nas proximidades, de acordo com a NASA.

Segundo um novo estudo, com recurso ao Observatório Estratosférico da NASA para a Astronomia Infravermelha (SOFIA), cujas operações científicas são geridas pela Associação Universitária de Pesquisa Espacial, as estrelas recém-nascidas geram ventos estelares que podem soprar o material necessário para formar novas estrelas.

Isso é surpreendente porque, até agora, os cientistas pensavam que outros processos, como a explosão de estrelas chamadas supernovas, eram responsáveis ​​pela regulação da formação de estrelas.

A Nebulosa de Órion está entre os melhores objetos observados e mais fotografados no céu noturno. É o berçário estelar mais próximo da Terra e ajuda os cientistas a explorar a forma como as estrelas se formam.

Um véu de gás e poeira envolve todo o processo de nascimento da estrela. A luz infravermelha pode atravessar o véu nebuloso, permitindo que observatórios especializados, como o SOFIA, revelem muitos dos segredos da formação de estrelas que, de outra forma, permaneceriam ocultos.

No coração da nebulosa encontra-se um pequeno agrupamento de estrelas jovens, massivas e luminosas. Observações do instrumento da SOFIA revelaram, pela primeira vez, que o forte vento estelar da mais brilhante dessas estrelas bebés, chamado Theta1 Orionis C, varreu uma grande quantidade de material da nuvem onde esta estrela se formou.

“O vento é responsável por soprar uma bolha enorme em redor das estrelas centrais”, explicou Cornelia Pabst, da Universidade de Leiden, na Holanda, e principal autora do artigo. “Isto perturba a nuvem natal e impede o nascimento de novas estrelas.”

Os investigadores usaram o instrumento GREAT para medir a linha espetral – que é como uma impressão digital química – do carbono ionizado. Devido à localização aérea da SOFIA, acima de 99% do vapor de água na atmosfera da Terra que bloqueia a luz infravermelha, os cientistas puderam estudar as propriedades físicas do vento estelar.

Os astrónomos usam a marca espetral para determinar a velocidade do gás em todas as posições através da nebulosa e estudar as interações entre as estrelas massivas e as nuvens onde nasceram. O sinal é tão forte que revela detalhes críticos dos berçários estelares escondidos. Mas esse sinal só pode ser detetado com instrumentos especializados que conseguem estudar luz infravermelha.

No centro da Nebulosa de Órion, o vento estelar forma uma bolha e interrompe o nascimento de estrelas na sua vizinhança. Ao mesmo tempo, empurra gás molecular para as bordas da bolha, criando novas regiões de material denso onde futuras estrelas podem vir a formarse.

Estes efeitos de feedback regulam as condições físicas da nebulosa, influenciam a atividade de formação de estrelas e, em última instância, impulsionam a evolução do meio interestelar, o espaço entre estrelas cheias de gás e poeira.

Entender como a formação de estrelas interage com o meio interestelar é a chave para entender as origens das estrelas que vemos hoje e aquelas que podem vir a formar-se no futuro.

MC, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas "acordam" bactérias com 100 milhões de anos

Os micróbios e as bactérias estavam presentes em argilas enterradas no fundo do mar do oceano Pacífico e são apontados como os organismos vivos mais antigos do planeta Terra. Uma equipa de cientistas, dos Estados Unidos …

PSD e PS lesaram o Estado nos contratos dos aviões C-295 da Força Aérea

O Tribunal de Contas (TdC) concluiu que o Estado português perdeu 9,25 milhões de euros de compensação pelo incumprimento das contrapartidas na compra de 12 aviões C-295 à Airbus Defense and Space (ADS), num relatório …

Sob suspeita, Juan Carlos exila-se na República Dominicana (via Porto)

O rei emérito de Espanha, Juan Carlos, viajou este fim-de-semana para a República Dominicana, depois de decidir viver noutro país face à repercussão pública das investigações sobre os seus alegados fundos em paraísos fiscais. O destino …

É possível inativar o novo coronavírus no leite materno. Basta pasteurizá-lo

Uma equipa de cientistas da Universidade de Toronto e da Sinai Health, no Canadá, realizou uma pesquisa que comprovou que pasteurizar o leite materno inativa o vírus Sars-CoV-2. Uma nova investigação, cujo artigo científico foi recentemente …

Cientistas tornam a luz invisível visível pela primeira vez

Uma equipa de cientistas da Vrije Universiteit Brussel e de Harvard conseguiu, pela primeira vez, tornar visível a luz de campo próximo. Existem vários tipos de luz, alguns visíveis e outros invisíveis ao olho humano. Os …

Estrela morta emite cocktail de radiação nunca antes visto

Um grupo internacional de cientistas explorou o potencial do telescópio espacial de raios gama da Agência Espacial Europeia (ESA) - e outros telescópios e instrumentos - para detetar um cocktail de radiação inédita de uma …

Ator francês Dieudonné banido do Facebook por comentários antissemitas

O ator francês foi banido definitivamente do Facebook e do Instagram por causa dos comentários sobre as vítimas do Holocausto marcados por termos e expressões "desumanizantes contra os judeus". O anúncio do afastamento permanente de Dieudonné …

Última temporada de "La Casa de Papel" terá filmagens em Portugal

A rodagem da quinta temporada da série espanhola "La Casa de Papel", de Álex Pina, começa esta segunda-feira e terá filmagens em Portugal, revelou a plataforma Netflix. Em comunicado, na última sexta-feira, a Netflix explica que …

Janelas com vista para o Espaço. Virgin Galactic revela interior de nave espacial para turistas

A Virgin Galactic acaba de revelar o luxuoso design do interior da cabine do primeiro veículo SpaceshipTwo - o VSS Unity - que permitirá a astronautas e entusiastas explorar o Espaço com conforto. A Virgin Galactic, …

Irão garante ter detido líder de "grupo terrorista" dos EUA

Este sábado, o Irão anunciou a detenção do líder de um "grupo terrorista" norte-americano alegadamente responsável por um bombardeamento mortal, em 2008, numa mesquita da cidade de Shiraz, entre outros ataques. "Jamshid Sharmahd, líder do grupo …