/

As estrelas mais antigas da nossa galáxia precedem a Enceladus de Gaia

1

(dr) STScI / NASA / ESA

Uma nova investigação mostra que as estrelas mais antigas da nossa galáxia, a Via Láctea, são anteriores à Enceladus de Gaia.

De acordo com o site Science Alert, ao examinar mais de perto as oscilações internas e a composição química de 95 gigantes vermelhas, uma equipa de astrónomos determinou que a colisão entre a Via Láctea com a Enceladus de Gaia, restos de uma galáxia anã também conhecida como Salsicha de Gaia, ocorreu há cerca de 10 mil milhões de anos.

Os cientistas também descobriram que muitas das estrelas da nossa galáxia já se tinham formado antes desta fusão. Agora, essas estrelas originais podem ser encontradas sobretudo no disco espesso da galáxia, a maior das suas duas estruturas.

Para isso, a equipa recorreu à asterossismologia, a parte da astronomia que estuda a estrutura interna de estrelas pulsantes pela interpretação dos seus espectros de frequências.

Dos vários dados sobre estrelas recolhidos pelo já reformado telescópio Kepler, os investigadores focaram-se em algumas gigantes vermelhas com baixa metalicidade, uma vez que são duradouras e intrinsecamente brilhantes, o que as torna excelentes para mapear idades estelares.

Estas conclusões sugerem que a Via Láctea já havia formado um bom número de estrelas, e estava a fazê-lo de forma eficiente, antes da fusão com a Enceladus de Gaia.

“A composição química, a localização e o movimento das estrelas que podemos observar atualmente na Via Láctea contêm informações preciosas sobre a sua origem”, declarou a astrónoma Josefina Montalbán, da Universidade de Birmingham e uma das autoras do estudo publicado, a 17 de maio, na revista científica Nature Astronomy.

“À medida que aumentamos o nosso conhecimento de como e quando estas estrelas se formaram, podemos começar a entender melhor como a fusão da Enceladus de Gaia com a Via Láctea afetou a evolução da nossa galáxia”, disse ainda.

  ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE