Estímulo elétrico ajudou a recuperar a memória que se perde com a idade

Uma equipa de cientistas conseguiu reverter o declínio da memória relacionado com a idade através de fracos estímulos elétricos sincronizados em determinadas regiões cerebrais.

Cientistas conseguiram reverter o declínio da memória relacionado com a idade através de uma estimulação das áreas temporais e pré-frontais do cérebro num ritmo específico.

Segundo um estudo publicado esta semana na Nature Neuroscience, uma leve corrente elétrica foi capaz de levar os participantes com mais de 60 anos a executar tarefas que envolviam o recurso à memória de trabalho com o mesmo nível de desempenho obtido por jovens entre os 20 e os 29 anos.

A memória de trabalho, ou a curto prazo, é onde a informação entra e fica temporariamente armazenada para a usarmos a curto prazo. Lembrarmo-nos de tomar um medicamento, por exemplo, é uma tarefa que fica alojada em regiões específicas do cérebro – mais precisamente no neocórtex, áreas temporais e pré-frontais.

À medida que a idade avança, o sistema cerebral altera-se. Por esse motivo, em alguns casos, pode existir uma regressão neste sistema cerebral, ou seja, um declínio cognitivo.

“Em adultos jovens, a memória de trabalho está ligada a interações neurais específicas dentro e entre as regiões cerebrais. Acredita-se que esse processo envolva dois padrões de oscilação neural, ou ondas cerebrais”, refere um pequeno resumo do artigo.

Estes padrões de oscilação neural, que os cientistas abordam, têm um ritmo específico e cada pessoa tem a sua própria batida. Desta forma, neste estudo, a equipa de investigadores começou por ouvir o ritmo cerebral dos participantes e usou a eletroencefalografia (EEG) para perceber como essas interações mudam em adultos mais velhos e como se relacionam com a memória de trabalho.

Posteriormente, num procedimento de estimulação cerebral não invasivo, os cientistas tentaram modular as interações individuais de ondas cerebrais associadas à memória de trabalho. Segundo o Público, o objetivo era melhorar a comunicação entre o córtex pré-frontal do cérebro (à frente) e o córtex temporal (no lado esquerdo), ou seja, as zonas onde se tinha notado uma queda no ritmo.

A experiência avaliou 42 adultos mais jovens (20-29 anos) e 42 adultos mais velhos (60-76 anos). Os cientistas concluíram que, sem estimulação cerebral, os idosos eram mais lentos e menos precisos na tarefa de memória de trabalho do que os adultos mais jovens.

Robert Reinhart, um dos principais autores do estudo, da Universidade de Boston, afirmou que, depois de 25 minutos de estimulação cerebral ativa, a precisão da tarefa de memória de trabalho dos adultos idosos melhorou ao ponto de ficar semelhante à dos adultos jovens.

O efeito durou 50 minutos após a estimulação ter sido administrada, mas o investigador admite que pode ser ainda mais prolongado.

Apesar de outros estudos já terem mostrado que a estimulação pode aumentar a memória de trabalho, Reinhart sublinha que, neste estudo, há uma demonstração do sucesso em pessoas mais velha.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Há uma nova linha temporal do passado cataclísmico da Terra

Bem-vindos ao Sistema Solar primitivo. Logo após a formação dos planetas há mais de 4,5 mil milhões de anos, a nossa vizinhança cósmica era um lugar caótico. Ondas de cometas, asteroides e até protoplanetas seguiram …

Belenenses 0-2 Benfica | Rafa Silva destrói resistência azul

O Benfica foi ao Jamor vencer o Belenenses por 2-0, num jogo muito complicado para as “águias”, em especial no primeiro tempo, mas que acabou resolvido na etapa complementar. Rafa Silva foi o “abre-latas” de …

Cofundador do Alibaba paga 3,5 mil milhões para ser o único dono dos Brooklyn Nets

O cofundador do Grupo Alibaba, Joseph Tsai, vai pagar mais 3,5 milhões de dólares para ser o único dono da equipa de basquetebol norte-americana Brooklyn Nets, avança esta sexta-feira a Bloomberg. O multimilionário já detinha 49% da equipa, …

Instagram, Facebook e Whatsapp prejudicam saúde mental das crianças

Um estudo de investigadores da University College London demonstra que a utilização de redes sociais como o Instagram, o Facebook e o Whatsapp estão a causar danos ao bem-estar das crianças e jovens. A investigação, cujos …

Clínica da Opus Dei diz que homossexualidade causa gastroenterite

A Clínica Universitária de Navarra, que pertence à prelatura da Opus Dei, defende que a homossexualidade e a promiscuidade são causadoras de gastroenterite. No guia de atuação de urgência sobre esta condição médica, a Clínica Universitária …

Sporting anuncia saída de Bas Dost para o Eintracht de Frankfurt

O goleador holandês Bas Dost está de saída para o Eintracht Frankfurt, anunciou este sábado o Sporting. O clube alemão também já confirmou a transferência. O Sporting anunciou ter chegado a um princípio de acordo com …

Há centenas de esquilos pretos a invadir os Estados Unidos (e já se sabe porquê)

Biólogos do Reino Unido decifraram o mistério de todos os esquilos cinzentos (Sciurus carolinensis) que correm pelos Estados Unidos com pêlo preto. O pouco do código genético que faz com que as espécies de esquilo cinza …

Morreu Marium, o mais famoso dugongo da Tailândia. Comeu plástico

Quando foi resgatado, em abril, tornou-se uma estrela na Tailândia. O dugongo órfão, chamado Marium, acabou por morrer este sábado, devido a uma infeção causada pela ingestão de plástico, de acordo com os veterinários que …

Afinal, "cura milagrosa" para o cancro pode matar

O jornal britânico The Guardian denuncia o esquema do autoproclamado "Genesis II Church of Health and Healing" - que na verdade não é nem uma igreja nem uma instituição de saúde. Este sábado terá lugar em …

Há uma cidade na Venezuela que é "invisível"

Guanta está lá, embora não seja fácil vê-la. Vistas a partir de El Morro, do outro lado da baía, as suas luzes piscam sob uma nuvem baixa. É uma nuvem diferente das outras, mais espessa, mais …