Estimulação cerebral profunda pode ser a nova forma de combater a obesidade

(dr) baycrest.org

Utilizar a estimulação profunda com elétrodos para mexer diretamente no cérebro pode ser a nova forma mais eficaz de combater a depressão e a obesidade.

A intervenção só aconteceu numa única paciente, mas o caso, publicado recentemente no Neurocase, tem revelado resultados inesperados.

Ainda assim, os médicos responsáveis por esta intervenção advertem para o facto de a estimulação cerebral profunda não ser indicada para todos os casos, devendo ser usada apenas como um tratamento de fim de linha.

De acordo com o Diário de Notícias, esta técnica tem sido usada com alguma regularidade em doentes com Parkinson. Aliás, os bons resultados obtidos com estes pacientes motivaram à sua exploração para outras doenças.

Desde 2002, há em Portugal cerca de 900 doentes que recorrem a esta técnica, através de dois pequenos elétrodos no cérebro que libertam carga elétrica na parte afetada pela doença, permitindo que os indivíduos consigam ter controlo dos seus próprios movimentos.

Dado os resultados animadores nos doentes de Parkinson, esta técnica foi agora experimentada para tratar a depressão de uma doente. Anna viveu quase toda a sua via com esta doença e sofria também de obesidade mórbida.

Thomas Munte, neurologista da Universidade de Lubeck, na Alemanha, decidiu recorrer à técnica de estimulação cerebral para tentar solucionar ou, pelo menos, reverter a situação de Anna. Os resultados animaram não só a paciente como também o médico. Anna perdeu cerca de 2,8kg por semana e ficou curada da depressão.

Foi o sucesso conseguido neste caso particular que abriu as portas ao debate, de forma a discutir se este método é ou não aceitável para tratar algumas adições, visto que neste caso o que a estimulação fez foi desligar o cérebro da adição à alimentação.

No entanto, interferir diretamente no cérebro é um tema sensível na investigação médica ao longo do século XX. E, apesar de menos radical, a estimulação cerebral profunda não deixa de ser menos controversa.

No que diz respeito ao tratamento da obesidade, os cientistas acreditam que este método terá sucesso por mexer com a área do cérebro relacionada com a adição, seja de comida, droga ou álcool – a nuleus accumbens.

Se esta área do nosso cérebro for inibida, a “atração motivacional deixa de existir e já não somos atraídos para o objeto da nossa adição”, explica Thomas Munte.

Porém, “às vezes começamos a fazer testes clínicos antes de saber exatamente como é que as coisas funcionam”, acrescentou o neurologista. Foi o que aconteceu no caso dos doentes com Parkinson e, os cientistas, esperam que possa acontecer agora para a depressão e para a obesidade, e esperam obter o mesmo grau sucesso.

Importa, contudo, salientar que este é um método de último recurso por ser demasiado evasivo, caro e não indicado para todos os doentes.

A neurocientista Sonia Yokum, do Instituto de Investigação do Oregon, nos Estados Unidos, está a tentar criar uma forma de fazer esse mesmo trabalho mas sem cirurgia, através do desenvolvimento de um treino no qual os indivíduos obesos devem reprogramar a resposta do cérebro perante a comida.

Estamos a tentar treinar o cérebro desta forma“, refere a neurocientista,  frisando que esta é menos invasiva, mais barata e ao alcance de muitos mais doentes.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

Cientistas explicam porque trabalhar à noite faz mal aos intestinos

As pessoas que trabalham à noite têm mais probabilidades de desenvolver inflamações intestinais, porque há células que contribuem para a saúde intestinal que deixam de receber informações vitais do cérebro, indica um estudo divulgado esta …

Marinha dos EUA admite que vídeos de OVNI's são verdadeiros (e não era suposto ninguém saber)

A Marinha dos EUA confirmou que imagens de OVNIs que surgiram nos últimos anos são reais e que nunca pretenderam que o vídeo fosse visto pelo público. As imagens que apareceram pela primeira vez online em …

O Pólo Norte vai ter um hotel de luxo (iluminado pelas auroras boreais)

https://vimeo.com/360873720 O hotel "mais a norte do mundo" só existirá durante um mês e o glamping de luxo será para muito poucos: o custo é de 95 mil euros por pessoa por três dias. Em 2020, o …

Whitney Houston vai regressar aos palcos (em holograma)

Whitney Houston vai "regressar" aos palcos, em formato holograma. Foi anunciada uma digressão da cantora por várias salas do Reino Unido, em 2020. Os planos para uma digressão de holograma de Whitney Houston têm sido discutidos …

Victor Vescovo diz que chegou ao ponto mais profundo dos oceanos. James Cameron não concorda

James Cameron levantou dúvidas sobre as recentes declarações de Victor Vescovo sobre ter quebrado o recorde do mergulho mais profundo no oceano, dizendo que o empresário não pode ter descido mais, uma vez que não …

Par de patinadores no gelo mais medalhado de sempre anuncia fim da carreira

Os canadianos Tessa Virtue e Scott Moir, o par de patinadores no gelo mais medalhado da história do olimpismo, anunciaram esta quarta-feira o fim da carreira. “Olá a todos. Temos novidades para todos os que nos …

Elon Musk é o líder mais inspirador da tecnologia da atualidade

Elon Musk foi nomeado o líder mais inspirador no setor da tecnologia, de acordo com um estudo publicado pela Hired, uma plataforma para contratação de pessoal em 14 cidades em todo o mundo. O estudo, chamado …

De portas abertas para quem precisa. Frigoríficos solidários crescem em Paris

A Cantina do 18.º bairro parisiense foi o primeiro espaço deste projeto solidário, inaugurado há dois anos. Atualmente existem 38 restaurantes em França que acolhem os frigoríficos solidários. Em dois anos, o projeto dos frigoríficos solidários …

Imigrante do Bangladesh em Itália encontra e devolve carteira com 2 mil euros

Mossan Rasal, um bangladeshiano de 23 anos que vive em Roma, encontrou na rua uma carteira com dois mil euros, documentos de identificação, cartões de crédito, carta de condução. Em vez de retirar o dinheiro e …

Austrália conclui que China foi responsável por ciberataque ao parlamento

A agência de inteligência cibernética da Austrália (ASD) concluiu que a China foi a responsável por um ataque informático, no início deste ano, contra o parlamento nacional. Os serviços de inteligência australianos (Australian Signals Directorate) concluíram …