Estimulação cerebral profunda pode ser a nova forma de combater a obesidade

(dr) baycrest.org

Utilizar a estimulação profunda com elétrodos para mexer diretamente no cérebro pode ser a nova forma mais eficaz de combater a depressão e a obesidade.

A intervenção só aconteceu numa única paciente, mas o caso, publicado recentemente no Neurocase, tem revelado resultados inesperados.

Ainda assim, os médicos responsáveis por esta intervenção advertem para o facto de a estimulação cerebral profunda não ser indicada para todos os casos, devendo ser usada apenas como um tratamento de fim de linha.

De acordo com o Diário de Notícias, esta técnica tem sido usada com alguma regularidade em doentes com Parkinson. Aliás, os bons resultados obtidos com estes pacientes motivaram à sua exploração para outras doenças.

Desde 2002, há em Portugal cerca de 900 doentes que recorrem a esta técnica, através de dois pequenos elétrodos no cérebro que libertam carga elétrica na parte afetada pela doença, permitindo que os indivíduos consigam ter controlo dos seus próprios movimentos.

Dado os resultados animadores nos doentes de Parkinson, esta técnica foi agora experimentada para tratar a depressão de uma doente. Anna viveu quase toda a sua via com esta doença e sofria também de obesidade mórbida.

Thomas Munte, neurologista da Universidade de Lubeck, na Alemanha, decidiu recorrer à técnica de estimulação cerebral para tentar solucionar ou, pelo menos, reverter a situação de Anna. Os resultados animaram não só a paciente como também o médico. Anna perdeu cerca de 2,8kg por semana e ficou curada da depressão.

Foi o sucesso conseguido neste caso particular que abriu as portas ao debate, de forma a discutir se este método é ou não aceitável para tratar algumas adições, visto que neste caso o que a estimulação fez foi desligar o cérebro da adição à alimentação.

No entanto, interferir diretamente no cérebro é um tema sensível na investigação médica ao longo do século XX. E, apesar de menos radical, a estimulação cerebral profunda não deixa de ser menos controversa.

No que diz respeito ao tratamento da obesidade, os cientistas acreditam que este método terá sucesso por mexer com a área do cérebro relacionada com a adição, seja de comida, droga ou álcool – a nuleus accumbens.

Se esta área do nosso cérebro for inibida, a “atração motivacional deixa de existir e já não somos atraídos para o objeto da nossa adição”, explica Thomas Munte.

Porém, “às vezes começamos a fazer testes clínicos antes de saber exatamente como é que as coisas funcionam”, acrescentou o neurologista. Foi o que aconteceu no caso dos doentes com Parkinson e, os cientistas, esperam que possa acontecer agora para a depressão e para a obesidade, e esperam obter o mesmo grau sucesso.

Importa, contudo, salientar que este é um método de último recurso por ser demasiado evasivo, caro e não indicado para todos os doentes.

A neurocientista Sonia Yokum, do Instituto de Investigação do Oregon, nos Estados Unidos, está a tentar criar uma forma de fazer esse mesmo trabalho mas sem cirurgia, através do desenvolvimento de um treino no qual os indivíduos obesos devem reprogramar a resposta do cérebro perante a comida.

Estamos a tentar treinar o cérebro desta forma“, refere a neurocientista,  frisando que esta é menos invasiva, mais barata e ao alcance de muitos mais doentes.

ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

A Moog celebra os 100 anos do Theremin com um novo instrumento: o Claravox Centennial

Este ano marca o 100º aniversário do Theremin - um dos primeiros instrumentos musicais completamente eletrónicos, controlado sem qualquer contacto físico pelo músico. Para celebrar vai ser lançado o Claravox Centennial. Foi em 1920 que Leon Theremin, …

Depósito inexplorado na Sibéria tem uma das maiores reservas de ouro do mundo

O maior produtor de ouro da Rússia, PJSC Polyus, anunciou esta semana que o seu depósito inexplorado em Sukhoi Log, na região siberiana de Irkutsk, possui uma das maiores reservas mundiais deste metal preciosos. De …

Os novos iPhones não trazem carregador. Apple poupa muito nos custos, mas não no ambiente

A Apple decidiu vender os seus novos iPhones sem carregador ou auscultadores, alegando que a alteração tem em conta o ambiente, uma vez que serão utilizados menos produtos na embalagem dos telemóveis, mas os especialistas …

Caça ao tesouro secular. Lendária ilha pode esconder Santo Graal, manuscritos de Shakespeare e jóias reais

Perto da Nova Escócia, no Canadá, há uma lendária ilha com misteriosos túneis e estranho artefactos. Há quem acredite que esconde o Santo Graal, os manuscritos de Shakespeare e um tesouro de um capitão. Porém, …

Aprender "baleiês" pode evitar choque de navios com o animal

Uma equipa de cientistas da Universidade de Stanford, nos Estados Unidos, tem uma nova ideia para salvar as baleias-azuis em migração das colisões com navios. Durante a época de migração das baleias-azuis, os animais enfrentam sérios …

Afinal, os carros elétricos não são a melhor resposta para combater as alterações climáticas

Os carros elétricos, surgem como alternativas mais sustentáveis aos veículos a gasolina ou gasóleo, podem não ser a melhor forma de combater as alterações climáticas no âmbito dos transportes, de acordo com um novo estudo. …

Seria Jesus um mágico? Há arte romana que parece sugerir que sim

Em alguma arte antiga, Jesus é retratado a fazer milagres com algo na mão que parece ser uma varinha. Investigadores sugerem que se trata de um cajado, que era usado como símbolo de poder. Segundo a …

Nem todos os clubes estão a afundar – alguns estão a prosperar durante a pandemia

Nem todos os clubes estão a sofrer às mãos desta pandemia de covid-19. Alguns deles têm conseguido bons resultados financeiros apesar da crise. A covid-19 provou ser um adversário devastador para o desporto profissional em todo …

Kibus: o aparelho que vai revolucionar a forma como os nossos cães se alimentam

Ter cães como melhores amigos pode ser muito benéfico, mas também traz a sua dose de trabalho e responsabilidades. Levar ao veterinário, dar banho, levar a passear, brincar, dar de comer... No fundo é como …

Marta Temido antevê dias complicados e alta pressão sobre o SNS (e admite novas medidas)

A ministra da Saúde disse que se vive "um momento muito difícil da evolução da pandemia em Portugal e na Europa" e que "os próximos dias se anteveem complicados e com elevada pressão sobre o …