Estudo diz que esterilização de negros nos EUA até 1974 foi “ato de genocídio”

Erik S. Lesser / EPA

Um estudo da universidade norte-americana de Duke diz que um programa de esterilização conduzido até 1974 no estado da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, visou deliberadamente afro-americanos, e considera que se tratou de “um ato de genocídio”.

De acordo com o estudo, publicado na última edição da revista American Review of Political Economy, entre 1929 e 1974, cerca de 7600 homens, mulheres e crianças, em alguns casos com apenas dez anos, foram submetidos a esterilização cirúrgica, parte de um programa criado na Carolina do Norte para impedir a reprodução de pessoas “de mente fraca” e servir o “interesse público”.

A maioria das operações foram realizadas à força, pode ler-se no estudo, embora algumas mulheres recorressem ao programa voluntariamente, por não disporem de outros meios de contraceção, declarando-se para isso mães inaptas.



O estudo examinou especificamente os anos de 1958 a 1968, período durante o qual foram efetuadas mais de 2100 esterilizações naquele estado norte-americano no sudeste dos EUA.

De acordo com os autores do estudo, as esterilizações aumentaram à medida que crescia a população negra desempregada, sem visar brancos ou pessoas de outras origens, também desempregados, nas mesmas proporções.

“O uso desproporcionado da esterilização eugénica na Carolina do Norte em cidadãos negros foi um ato de genocídio”, considerou o professor e co-autor do estudo William Darity Jr..

A definição de genocídio das Nações Unidas implica a vontade de “destruir, no todo ou em parte, um grupo nacional, étnico, racial ou religioso”, adotando “medidas destinadas a impedir os nascimentos dentro do grupo”, precisou o professor da Universidade da Carolina do Norte.

Estudos anteriores já tinham demonstrado que o programa afetou os negros de forma desproporcionada, mas a nova investigação lança novas luzes sobre as motivações e os métodos utilizados, considerando que as autoridades da Carolina do Norte visaram deliberadamente os afro-americanos.

“Controlar os corpos dos negros e as suas escolhas reprodutivas não é novidade”, explicou Rhonda Sharpe, co-autora do estudo e presidente do Women’s Institute for Science, Equity, and Race (Instituto da Mulher para a Ciência, Equidade e Raça).

“O nosso estudo mostra que a Carolina do Norte restringiu a liberdade reprodutiva, utilizando a eugenia para privar os residentes negros dos seus direitos”, acrescentou.

Em 2010, o estado criou uma fundação e um fundo de indemnização para as vítimas do programa que ainda estão vivas. Os primeiros cheques, de 20 mil dólares cada (cerca de 17 mil euros), foram enviados a 220 vítimas em 2014, de acordo com o jornal The News & Observer, citado pela agência EFE.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

O voto que dá que falar. "Não há um centímetro quadrado de Portugal que seja indigno" do Constitucional

Três juízes do Tribunal Constitucional contestaram o parecer dos seus pares que considera "desprestigiante" a mudança deste órgão de Lisboa para Coimbra, mas é o voto contra de Mariana Canotilho que dá que falar, uma …

T-shirt reduz efeitos da menopausa

T-shirt portuguesa reduz sintomas da menopausa e ajuda quem tem cancro (e já está à venda)

A investigadora da Universidade do Minho (UM) Filipa Fernandes criou uma t-shirt que atenua os efeitos da menopausa e melhora a qualidade de vida de pacientes com cancro, graças a um tecido com um revestimento …

Estrela Vermelha 2-1 Braga | Guerreiros com mira desalinhada

Inglório. O Sporting de Braga foi a Belgrado perder com o Crvena Zvezda, ou Estrela Vermelha, por 2-1, na primeira jornada do Grupo F da Liga Europa. Os minhotos tiveram mais bola, criaram diversos lances de …

Após "humilhação" frente ao Ajax, Sporting abre caça a novo reforço

O Sporting tem apenas quatro jogadores para a posição de defesa-central. Rúben Amorim vai ter de esperar pelo mercado de inverno para trazer um reforço. As opções para o trio de centrais do Sporting são escassas. …

"Tempestade perfeita" ajuda a explicar "descontrole" nos preços da luz (mas as eléctricas deixam uma promessa)

Os preços da electricidade no mercado de energia atingiram, neste mês de Setembro, um valor recorde e estão "completamente descontrolados" numa altura em que se formou o que os especialistas dizem ser uma "tempestade perfeita". …

Bolsonaro garante que irá à Assembleia Geral da ONU mesmo sem estar vacinado

O Presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, que recusa vacinar-se contra a covid-19, afirmou que participará ainda assim na Assembleia Geral da ONU, na próxima semana, em Nova Iorque, onde deverá ser exigido um certificado de vacinação. "Estarei …

PCP e Bloco defendem que há mais vida além do défice (e exigem "resposta aos problemas sociais")

A frase é de Jorge Sampaio, mas PCP e Bloco de Esquerda têm defendido a mesma ideia a cada oportunidade: há mais vida além do défice e combater as consequências económicas, sociais e financeiras da …

Roma ganhou por 5-1 mas Mourinho avisa: "Temos de falar com São Pedro"

Estreia dos italianos na fase de grupos Liga Conferência Europa da UEFA terminou com goleada sobre o CSKA Sofia mas, mesmo assim, o treinador da Roma não gostou do que viu. Nuno Espírito Santo e José …

Patrões querem testes obrigatórios nas empresas (com trabalhador a cobrir os custos)

António Saraiva, líder da Confederação Empresarial de Portugal (CIP), defende a criação de legislação que obrigue os trabalhadores a serem testados à covid-19. Em declarações à Renascença, o líder do CIP conta que há empresas com …

Uma cidade romana submersa renasce na Turquia

Uma parte submersa da antiga cidade romana de Augusta ressurgiu depois de o nível da água do lago Seyhan ter descido devido à seca em Adana, no sul da Turquia. A cidade foi fundada por Tibério, …