“Temos de estar preparados para tudo”. Ministro avisa que a crise será mais dura do que previsto

Rodrigo Antunes / Lusa

O ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital, Pedro Siza Vieira

O Governo vai rever as projecções económicas na proposta de Lei de Orçamento de Estado para 2021 e é certo que o cenário traçado será mais negativo do que em Maio. “Temos de estar preparados para tudo”, alerta o ministro da Economia, Pedro Siza Vieira.

Em entrevista à TSF, o ministro de Estado, da Economia e da Transição Digital assume que será necessário rever as projecções económicas feitas pelo Governo e que indicavam uma queda de 7% do PIB neste ano, com um défice também de 7%.

“A previsão que se fez foi apresentada em Março, depois revista em função das medidas que o Parlamento aprovou relativamente ao sentido do défice. É altura de o actualizar”, destaca Siza Vieira na TSF.

O governante nota que, nesta altura, é possível “fazer uma projecção mais rigorosa” quanto ao défice e ao crescimento económico.

E é certo que os efeitos da crise “vão ser mais duros no crescimento da economia portuguesa do que prevíamos em Maio, mas se calhar menos intensos do que algumas instituições internacionais apontaram mais recentemente”, constata Siza Vieira.

“Não podemos estar optimistas” com a situação económica, diz ainda o ministro, salientando que “temos de estar preparados para tudo”.

“A quebra da procura é muito significativa – caiu o consumo, caíram as exportações, caiu o investimento muito significativamente porque os agentes económicos estão a retrair-se em função da incerteza da situação sanitária”, nota.

Contudo, Siza Vieira acredita que “o máximo da contracção da economia já ficou para trás em Portugal, no resto da Europa, no resto do mundo”.

Governo estuda “alternativas” para financiar Novo Banco

O ministro da Economia também comentou as injecções de capital do Estado no Novo Banco, salientando que o Governo não quer pôr mais dinheiro na instituição, mas admitindo que pode ser necessário financiá-la ao abrigo do mecanismo de capital contingente através do Fundo de Resolução.

A grande questão é como vai ser o Fundo de Resolução financiado quando o Governo garantiu que não vai inscrever nenhuma verba para o Novo Banco no próximo Orçamento de Estado.

“Estamos a avaliar se há condições para, como antes, o Estado fazer um empréstimo ao Fundo de Resolução, posteriormente reembolsado pelo fundo com contribuições dos bancos ao longo de vários anos”, revela Siza Vieira na TSF.

“Neste momento, as condições políticas para aprovação de uma norma no Orçamento do Estado que viabilize, como antes, um empréstimo são difíceis. Portanto, estamos a avaliar alternativas”, acrescenta o ministro.

Estas declarações surgem numa altura em que se noticiou a possibilidade de criar uma espécie de “Sindicato Bancário”, juntando os maiores Bancos nacionais, para garantir o financiamento do Novo Banco.

ZAP //

PARTILHAR

6 COMENTÁRIOS

  1. Já era espectável, não pela pandemia mas pela situação económica anterior num país onde a balança comercial que era positiva se degradou nos últimos cinco anos de “imposturice agravada”.

  2. … “Governo estuda “alternativas” para financiar Novo Banco”…

    É para isto que vai canalizada a “bazooka” da União Europeia? Os milhares de milhões de €uros que entraram ou vão entrar são para financiar a banca falida? E já estão a avisar que “a crise será mais dura que o previsto”?

    Aumento de impostos para os pensionistas com reformas de miséria?

  3. Era só gabarolice este governo. Com os cofres cheios devido à maior receita de impostos de sempre, tudo eram rosas e a governação fácil. Agora que os cofres baixaram um pouco, este governo já dá mostras que começa a ficar algo roto. O seu ilusionismo já não pega e agora se vê quanta falta de competência existe nestes governantes medíocres. E a procissão ainda vai no adro.

  4. Mais dura que o previsto, não, mas mais dura que a mentira, sim, e tem sido essa a arma com que o governo entretém os patetas que acreditam em milagres políticos ou cor da camisola partidária, qualquer analfabeto entenderá que isto não é para brincadeiras e que o eldorado que o governo vinha a anunciar não passa de propaganda promocional do mesmo, portanto as consequências vão estar aí e não valerá a pena virem com desculpas quando já estiverem com a careca totalmente de fora.

  5. Com tantos corruptos e ladrões do povo e dar o que já vai em mais de 17 mil mil milhões á BANCA e agora desculpam-se que é do COVID19!!!
    Há muita gente a roubar o povo, há muitas mentiras e há cobertura aos corruptos e larões do povo.
    POVO ACORDEM, ANTES QUE SEJA TARDE…

RESPONDER

Alphabet diz adeus ao Loon, projeto que queria espalhar Internet através de balões

O projeto da Alphabet que tinha como objetivo levar Internet às partes mais remotas do mundo "perdeu o fôlego" e os seus responsáveis decidiram pôr-lhe um ponto final. Num comunicado divulgado na última sexta-feira, Alastair Westgarth, …

Estudo identifica cidades europeias com maior mortalidade devido à poluição do ar

Madrid, Antuérpia e Torino (em Espanha, Bélgica e Itália, respetivamente) lideram o ranking de mortes associadas à poluição por dióxido de azoto (NO2). Já a maior mortalidade atribuível a partículas finas é encontrada em cidades …

Fim do Flash Player colapsou sistema de estação ferroviária chinesa

O sistema ferroviário na cidade de Dalian, no nordeste da China, ficou paralisado por causa da desativação do programa Flash Player da Adobe. A Adobe encerrou o suporte técnico do seu player de multimédia Flash Player …

Eis o que o mundo pode aprender com o confinamento da China

O confinamento na China tem apresentado resultados excecionais no controlo da pandemia, à custa da perda de liberdade das pessoas. Ainda assim, há muito que se pode aprender com o exemplo chinês. Colocar o autoritarismo contra …

Descoberto fármaco "100 vezes mais potente" contra a covid-19 (e "nasceu" das seringas-do-mar)

Uma equipa internacional de investigadores descobriu um medicamento antiviral que é "100 vezes mais potente" do que o remdesivir no tratamento da covid-19. Trata-se de um fármaco usado para tratar um cancro sanguíneo, que só foi …

Covid-19. Fortuna das dez pessoas mais ricas pagaria vacina para toda a população mundial

A riqueza combinada dos dez homens mais ricos do mundo subiu em cerca de 540 mil milhões de dólares (445 mil milhões de euros) durante a pandemia, de acordo com um relatório da organização internacional …

Farmacêuticas pouco preparadas para próxima pandemia, alerta relatório

As maiores empresas farmacêuticas do mundo estão pouco preparadas para a próxima pandemia, apesar da crescente resposta à covid-19, alertou um relatório da Access to Medicine Foundation, divulgado esta terça-feira. Neste relatório, Jayasree K Iyer, diretora executiva …

Um em cada três infetados com covid-19 é assintomático

Investigadores sugerem, com base numa revisão de 61 estudos, que uma em cada três pessoas infetadas com o novo coronavírus é assintomática. Uma em cada três pessoas infetadas com covid-19 não sabe que tem o novo …

"Vizinho Amigo tem muitos voluntários, fiquem em casa e peçam ajuda"

Martim Ferreira conta como surgiu, como está e como acha que estará o Vizinho Amigo - um projeto que reúne milhares de voluntários em Portugal, que ajudam pessoas de grupos de risco desde que o …

El Dorado português está para durar. Nem pandemia, nem taxa de 10% afastam reformados estrangeiros

Apesar da pandemia e de uma nova taxa fiscal de 10%, Portugal continua a ser um destino desejado por reformados estrangeiros, nomeadamente pelos franceses que estão de olho na descida nos preços das casas e …