O temível estalar de dedos de Thanos seria cientificamente impossível (e não, não é por ter destruído metade da vida no Universo)

Vídeo ZAP com o apoio de: Chip7 – 50 lojas de informática próximo de si

A fricção causada pela luva de metal dificultaria muito o estalar de dedos de Thanos no filme da Marvel de 2018.

Foi o clímax de um dos filmes com mais receitas de bilheteira de sempre e que chocou os fãs da Marvel. Em 2018, Avengers: Infinity War terminou com o estalar de dedos do vilão Thanos que eliminou metade da população do Universo, depois de ter passado o filme a recolher todas as pedras do infinito na sua luva de metal.

Três anos mais tarde, este momento tão importante para a cultura geek inspirou uma investigação científica. Engenheiros biomoleculares da George Tech ficaram intrigados com este conhecido gesto depois de verem o filme e decidiram começar a estudá-lo.

A investigação foi publicada no Journal of the Royal Society Interface e foi liderada por Raghav Acharya, um estudante de engenharia, que se juntou ao estudante de doutoramento Elio Challitta, e aos professores Saad Bhamla e Mark Ilton.

“Nos últimos anos, estive fascinado sobre como conseguimos estalar os dedos. É realmente um puzzle de física extraordinário na ponta dos nossos dedos que ainda não foi investigado com detalhe”, afirmou Bhamla.

Até agora. A equipa descobriu que aquela que chamaram de “zona de fricção Goldilocks” — um conceito inspirado no termo de astrofísica referente à habitabilidade de um planeta — é determinante no funcionamento de um estalar de dedos sob várias condições físicas.

A experiência articulou as imagens a alta velocidade e resultados de sensores de força dinâmica de pessoas a estalar os dedos cinco vezes sob várias circunstâncias físicas.

Uma pessoa estalou-os enquanto usava uma luva de nitrilo lubrificada e escorregadia, enquanto outra usou um dedal de borracha nos dedos que criava demasiada fricção.

Já uma terceira foi filmada a usar dedais de metal debaixo de uma luva de nitrilo, o que também causou demasiada fricção.

Por fim, outra pessoa estalou os dedos de forma normal e sem circunstâncias estranhas, o que provou realmente que o estalar de dedos precisa de condições perfeitas para poder fazer o famoso som de *snap*.

Os resultados mostraram que um estalar típico tem uma velocidade máxima rotacional de 7800 graus por segundo e acelerações rotacionais de 1.6 milhões de graus por segundo quadrado.

PUBLICIDADE
PUBLICIDADE

Esta velocidade rotacional é quase três vezes mais rápida do que a dos movimentos rotacionais mais rápidos dos humanos conhecidos até agora, que são os movimentos dos braços dos jogadores de beisebol profissionais.

“Quando vi os dados pela primeira vez, quase saltei da minha cadeira”, afirma Bhamla, que de se dedica a estudar movimentos ultrarrápidos em vários sistemas vivos. “O estalar de dedos ocorre em apenas sete milissegundos, mais de vinte vezes mais rápido do que o piscar de olhos, que demora mais de 150 milissegundos”, revela.

No entanto, quando as pontas dos dedos dos participantes tinham dedais de metal, as suas velocidades rotacionais caíram imenso, o que sugere que o estalar de Thanos seria impossível.

“Os nossos resultados sugerem que o Thanos não poderia ter estalado os dedos por causa dos seus dedos cobertos em metal. Por isso provavelmente deve-se mais aos efeitos especiais de Hollywood do que à física! Desculpem pelo spoiler“, esclarece Acharya.

Para além de destruir a suspensão da descrença dos espectadores da Marvel — apesar da existência de aliens e superheróis provavelmente já ter tratado disso — esta experiência pode ter efeitos bem mais úteis do que resolver o dilema do estalar de dedos de Thanos.

“Ao mostrar que os graus de fricção variados entre os dedos alteram a performance elástica, estes cientistas abriram a porta à descoberta de princípios que operam noutros organismos e ao uso deste mecanismo em sistemas como robôs bioinspirados“, refere John Long, da Divisão de Sistemas de Organismos Integrados da Fundação de Ciência Nacional dos EUA.

O estudo pode também ser possivelmente usado no design de próteses de mãos humanas.

Assim, podemos dormir descansados ao saber que se um extraterrestre roxo de 2.5 metros tiver planos de matar metade do Universo com um estalar dos dedos, uma eventual luva de metal pode ser o suficiente para o impedir.

  Adriana Peixoto, ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.