Estados-membros não chegam a acordo sobre refugiados

Álvaro Millán / Flickr

-

A reunião desta segunda-feira para discutir a distribuição de mais 120 mil refugiados entre os vários Estados-membros falhou. Comissão Europeia está desapontada com a falta de união e a decisão fica adiada para outubro.

O comissário europeu das Migrações disse esta terça-feira, em Bruxelas, que ficou desapontado com a falta de acordo entre os ministros do Interior da União Europeia sobre a relocalização de mais 120 mil refugiados entre os Estados-membros.

Numa audição no Parlamento Europeu, Dimitris Avramopoulos disse aos eurodeputados que ficou “muito desapontado” com a reunião extraordinária de segunda-feira, pois “esperava mais apoio por parte de todos os Estados-membros” em torno da proposta apresentada na semana passada pelo executivo comunitário, para distribuir entre os 28 mais 120 mil refugiados, além dos 40 mil já acordados em julho passado.

“Sim, a maioria foi muito prestável. Mas não fiquei contente por ver alguns países a pensar de uma forma mais nacional do que europeia“, declarou, sem mencionar nenhum Estado-membro em particular.

Avramopoulos garantiu, todavia, que “a Comissão está determinada” e vai continuar a trabalhar para o mesmo objetivo.

“Não conseguimos ainda o acordo que queríamos, mas vamos voltar e tentar de novo”, asseverou.

Segundo a imprensa internacional, a decisão fica agora adiada para 8 de outubro.

Intervindo também no debate, a Alta Representante da UE para os Negócios Estrangeiros, Federica Mogherini, advertiu igualmente que “a falta de unidade interna” na União Europeia “tem consequências” na sua imagem externa e na eficácia da sua ação externa.

Na reunião extraordinária de segunda-feira dos ministros do Interior da União Europeia, os ’28’ foram incapazes de chegar a um acordo sobre o plano de redistribuição de mais 120 mil refugiados proposto pela Comissão Europeia, que Portugal apoiava, sobretudo devido a entraves colocados por Hungria, Polónia, República Checa e Eslováquia.

Guterres chocado com falta de união europeia

O Alto Comissário da ONU para os Refugiados, António Guterres, também afirmou o seu descontentamento em Bruxelas, comentando que houve mais união na crise com refugiados da Hungria, em 1956.

Intervindo numa audição no Parlamento Europeu, Guterres disse ter ficado muito “desapontado” e “sob choque” com o desfecho da reunião extraordinária da véspera, considerando inaceitável que, numa situação de emergência, se adiem decisões para futuras reuniões.

Sem mencionar os Estados-membros que têm estado a impedir um compromisso, António Guterres recorreu ao exemplo do sucedido na década de 1950 com a Hungria, hoje um dos Estados-membros que mais se opõe a um sistema europeu de acolhimento de refugiados, para estabelecer uma comparação, na qual a Europa fica hoje a perder, realçou.

ZAP / Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

22 mil pessoas vão assistir (no estádio) ao Super Bowl

Um terço das pessoas presentes será composto por profissionais de saúde. Quatro equipas ainda na luta pelo título do campeonato principal de futebol americano. O dia 7 de fevereiro vai contar com uma "visão rara" nos …

Investigadores "voltam atrás no tempo" para calcular idade e local de explosão de supernova

Os astrónomos estão a "voltar atrás no tempo" num remanescente de supernova. Usando o Telescópio Espacial Hubble da NASA, refizeram o percurso dos estilhaços velozes da explosão a fim de calcular uma estimativa mais precisa …

Cientista dos EUA acredita que o monstro do Lago Ness pode ser uma antiga tartaruga marinha

Um importante cientista dos Estados Unidos acredita que desvendou o mistério do Monstro de Lago Ness e pensa que a criatura é uma espécie ancestral de tartaruga marinha. Henry Bauer, professor aposentado de Química e Estudos …

Biden quer banir uma palavra das leis de imigração dos Estados Unidos

Se o projeto de lei proposto por Joe Biden, recém-eleito Presidente dos Estados Unidos, for aprovado, a palavra alien ("estrangeiro") vai desaparecer das leis de imigração norte-americanas, sendo substituída pelo termo noncitizen ("não cidadão"). A …

“As pessoas são mortas na mesquita, na rua e no trabalho". Em Cabul, reina o medo

Os assassínios seletivos de jornalistas, políticos e defensores dos direitos humanos são cada vez mais frequentes no país, com Cabul e várias províncias a registarem um aumento da violência nos últimos meses. O medo está …

"Fiquem em casa". Enfermeiros deixam "grito de alerta desesperado" aos portugueses

A Ordem dos Enfermeiros lançou esta sexta-feira uma campanha de sensibilização a apelar aos portugueses para ficarem em casa, afirmando que é “um grito de alerta desesperado face à situação de catástrofe que se vive …

Senado francês aprovou lei que protege os sons e cheiros do campo

O Senado francês aprovou a lei, esta quinta-feira, que protege o "património sensorial" das áreas rurais do país, depois de várias queixas sobre os ruídos e cheiros típicos do campo. De acordo com o canal televisivo …

Identificado em Portugal o primeiro caso da variante da África do Sul

O primeiro caso de covid-19 associado à variante genética da África do Sul foi identificado esta sexta-feira em Portugal pelo Instituto Nacional de Saúde Ricardo Jorge (INSA), adiantou à agência Lusa a instituição. O caso identificado …

Está a nascer o primeiro comboio português a hidrogénio (e vai substituir o Vouguinha)

Já arrancou o projecto para o desenvolvimento do primeiro comboio português a hidrogénio. A iniciativa visa transformar as automotoras a gasóleo que circulam na Linha do Vouga - o comboio chamado Vouguinha - por células …

Guardiola diz que Bernardo Silva "sempre foi importante" para City

O treinador Pep Guardiola disse esta sexta-feira que o português Bernardo Silva “está de volta” ao melhor nível e que “sempre foi importante" para o Manchester City, depois de ter "sentido" dificuldades na temporada passada. “Ele …