Estado vai dar incentivo de 250 euros para compra de bicicletas elétricas

Visando impulsionar o uso de veículos mais verdes, o Governo vai conceder um incentivo de 250 euros para a compra de uma bicicleta elétrica. Os detalhes das novas regras deverão ser anunciadas já nos próximos dias.

Segundo noticia esta quinta-feira a Antena 1, a compra de bicicletas elétricas vai receber apoio do Estado pela primeira vez, num valor máximo de 250 euros por pessoa.

De acordo com as estimativas do Governo, deverão ser apoiadas mil aquisições, sendo que os incentivos serão atribuídos pela ordem da chegada da candidatura e até que a verba disponibilizada para a medida seja esgotada.

Há ainda uma regra que deve ser observada, nomeadamente a existência de uma “fatura (ou uma declaração anexa por parte do vendedor) que tem de declarar que a bicicleta não é destinada ao desporto ou do tipo montanha ou de suspensão integral no sentido de apoiarmos apenas as bicicletas de utilização urbanas e citadinas, que são aquelas que normalmente para viagens mais frequentes”, explicou o secretário de Estado Adjunto e da Mobilidade, José Mendes, em declarações à rádio.

A verba do Governo para veículos elétricos sobe, assim, para três milhões de euros, segundo explicou o governante, sublinhando que gostaria de reforçar os apoios públicos a outros meios de transporte. “Num contexto de recursos ilimitados, poderíamos pensar em apoiar todos os veículos elétricos, mas não é possível”, acrescentou.

Nesta quarta-feira, o Governo anunciou que vai deixar de apoiar a copra de carros elétricos com um preço superior a 60 mil euros. No entender do Governo,quem compra um veículo 100% elétrico que custe mais do que 60 mil euros vai fazê-lo independentemente de ter ou não o apoio pecuniário do Estado, pelo que não se justifica o incentivo.

ZAP //

PARTILHAR

5 COMENTÁRIOS

  1. FINALMENTE! As coisas lentamente vão ao sítio. Até aqui o Estado ajudou na compra de carros elétricos – todos os carros elétricos mesmo os de alta gama e preço elevado – e agora vem apoiar a mobilidade suave, anos e anos depois de a UNESCO ter declarado a bicicleta como o meio de transporte mais sustentável do planeta. Mais vale tarde do que nunca mas, como há sempre uns senão neste país, só a mobilidade urbana é contemplada. Se alguém viver fora da cidade, digamos nos subúrbios, quiser ir para o seu emprego diariamente de bicicleta e para maior conforto e SEGURANÇA pretender que a sua bicicleta tenha suspensão total, não tem direito a nada. Bicicletas de montanha estão excluídas, ou o que o governo considera como supérfluo. Ficamos a saber mais uma vez que a prática desportiva não interessa ser apoiada e que a diminuição dos gases de efeito de estufa só se consegue quando as pessoas vão para o emprego, pois quando fazem desporto ou pura e simplesmente usam uma bicicleta em lazer, então não conta nem interessa. Se baixassem os impostos na eletricidade de QUALQUER utilizador de meios de locomoção elétrica comprovada, aí talvez se conseguisse notar um efectivo mudar de mentalidades. Assim parece muito uma medida cosmética para ficar bem na opinião pública e uma meia dúzia de empresas ligadas ao turismo vão já tratar de abocanhar o incentivo arranjando assim uma frota para alugarem aos estrangeiros que nos visitam e – esses sim – habituados a boas práticas e mobilidade sustentada desde os seus países com anos de avanço nestas questões.

    • O amigo Elisio deve seguramente morar em Aveiro ou nas proximidades. Experimente andar de bicicleta em Lisboa, Porto, Coimbra, Guarda, Covilhã,…
      É que na Holanda e no distrito de Aveiro, sobretudo nos concelhos do litoral anda-se muito de bicicleta porque é tudo plano.

      • Amigo, obrigado pelo seu interesse pelo meu comentário mas está completamente equivocado. Resido no Porto, tenho quatro bicicletas sendo duas e-bikes e duas normais. Estou a pedalar entre 8 a 9000 kms/ano e já o faço desde há mais de 25 anos. Uma das e-bikes tem pouco mais de 2 anos e já 11000 kms, a outra – suspensão total – tem um mês e deve atingir 1000 kms nos próximos dois ou três dias. Já tive situações de fazer 250 kms em 2 dias (sem e-bike) e 500 kms em 3 dias (em e-bike). Devo dizer que ando em todos os tipos de percurso mas gosto especialmente de BTT e andar na montanha, o que é consideravelmente mais duro como imaginará. Na Holanda ou na Bélgica (ou em Aveiro) é um passeio mas, quando comecei a andar de bicicleta, ir à Foz do Douro era um desafio imenso. Tudo é progressivo. Antes de correr andamos e antes de andar gatinhamos. Se praticar com regularidade, pode correr, remar, nadar ou andar de bicicleta em largas distâncias com normalidade. Se deixar a televisão e o sofá e tentar subir uma rua de Lisboa ou do Porto sem preparação até pode colocar a saúde em risco se não tiver condições para isso. Compreendo o que afirma mas isso é um mito pois há milhares de entusiastas que procuram o Tirol, os Pirinéus, os Alpes, etc. todos os dias e todos os anos para praticarem o seu desporto favorito e se superarem constantemente. Acredite pois sei do que falo. Um abraço.

RESPONDER

O melhor professor do mundo é queniano e doa 80% do seu salário

Peter Tabichi é queniano, tem 36 anos e doa 80% do salário para desenvolver a sua comunidade local, numa remota vila no Quénia. Este domingo foi eleito, no Dubai, o melhor professor do mundo. Em Pwani, …

Pentágono autoriza mil milhões de dólares para construção de muro de Trump

O secretário da Defesa interino norte-americano, Patrick Shanahan, anunciou na segunda-feira o desbloqueio de mil milhões de dólares para a construção de um muro na fronteira entre os Estados Unidos e o México. Shanahan “autorizou o …

Advogados de Rui Pinto recorrem da prisão preventiva

Os advogados de Rui Pinto, colaborador do "Football Leaks", confirmaram esta segunda-feira que vão recorrer da medida de prisão preventiva aplicada sexta-feira ao seu cliente pelo Tribunal de Instrução Criminal de Lisboa. A decisão de recorrer …

Se a corrida continuar a três, McLaren ameaça deixar a Fórmula 1

A McLaren, a segunda equipa mais antiga da Fórmula 1, ameaça desistir da modalidade caso os regulamentos elaborados para 2021 não a tornem numa competição justa. A visão da Fórmula 1, a modalidade de automobilismo mais …

México quer que rei da Espanha peça perdão pela conquista colonial

Obrador diz que esta é a única forma possível de obter a reconciliação plena entre os países. O pedido foi feito por carta. O presidente mexicano, Andrés Manuel López Obrador, anunciou ter enviado uma carta ao …

"O Vieira pediu-me para dar uma coça a Francisco J. Marques"

Vítor Catão, diretor desportivo do S. Pedro da Cova, afirmou que o Benfica, através do seu presidente Luís Filipe Vieira, lhe deu 200 mil euros para colocar uma "lapa" no carro de Pinto da Costa, …

"Governo saudita deu a ordem" para matar Khashoggi

Em entrevista ao El Mundo, a namorada do jornalista saudita Jamal Khashoggi afirma que a ordem que determinou a sua morte foi dada pelo Governo da Arábia Saudita. Em entrevista ao diário espanhol El Mundo, a …

Já há água, eletricidade e estradas abertas na cidade da Beira

Começam a ver-se pequenos avanços na Beira, em Moçambique, que inicia o lento caminho da reconstrução, após a passagem do ciclone Idai, que matou pelo menos 446 pessoas e destruiu cerca de 90% dos edifícios …

"Um erro desculpável". Governante sem castigo após violar a Lei no caso dos mirtilos

O Tribunal Constitucional decidiu arquivar o caso das incompatibilidades envolvendo o secretário de Estado da Juventude e Desporto, João Paulo Rebelo, que, durante dois anos, acumulou o cargo com a função de gerente numa empresa …

Erros em perguntas de exame obrigam a mudar notas de médicos estrangeiros

O exame feito por médicos estrangeiros para ter equivalência ao curso de Medicina em Portugal teve neste ano mais de 700 candidatos, a esmagadora maioria brasileiros. É uma procura histórica, admitem médicos e serviços académicos, por …