Esqueletos da dinastia Ming revelam segredos sobre a prática dos “Pés de Lótus”

A prática dos “pés de lótus” foi praticada na China durante mil anos e é preservada em documentos históricos, sapatos encontrados em túmulos da elite e nos testemunhos de mulheres com pés atados que sobrevivem até hoje.

Só nos últimos anos os arqueólogos observaram os esqueletos com os pés atados para aprender mais sobre as mulheres que experimentaram esta forma extrema de modificação corporal.

Elizabeth Berger, pós-doutorada em estudos chineses na Universidade de Michigan, estava a trabalhar numa escavação arqueológica no local de Yangguanzhai, perto de Xi’an, na província chinesa de Shaanxi.

A equipa de arqueólogos, liderada por Liping Yang, da Academia Arqueológica de Shaanxi, estava principalmente interessada numa aldeia neolítica enterrada naquela região. Inesperadamente, encontraram um cemitério sobreposto de uma era muito posterior, a Dinastia Ming e salvaram as sepulturas.

“Eu estava a olhar para os ossos e notei que havia algo muito estranho nos pés“, disse Berger à Live Science. “O meu primeiro pensamento foi de que poderia ser uma amarração dos pés e comecei a investigar e descobri que não havia muitas publicações sobre como era os ossos dos pés amarrados, embora houvesse muita pesquisa sobre a história disso”.

Num artigo publicado na edição de março de 2019 do International Journal of Paleopathology, Berger e os seus colegas relataram que quatro das oito mulheres da elite tinham sinais de pés atados.

Os investigadores pensam que as primeiras formas de ligação com os pés começaram na Dinastia Song do Sul. No início, a prática visava tornar os pés mais estreitos, um processo que não alterava os ossos muito severamente. A ligação mais extrema do pé em uma forma de arco muito mais curto começou durante a dinastia Ming. A prática começou entre as mulheres da elite e depois espalhou-se para outras classes.

Isto geralmente começava numa idade jovem, as ligaduras apertadas que dobravam o pé em forma de “lótus” tinham de ser usadas durante toda a vida de uma mulher. Existia um estilo do norte e um estilo do sul nos anos 1600. Enquanto os dedos permaneciam retos no estilo do sul, no estilo do norte, todos os dedos, exceto o dedo grande, estavam enrolados sob a sola, tornando o pé ainda menos estável.

A amostra das escavações em Yangguanzhai era pequena, mas Berger acredita que o padrão observado pode refletir a amarração do pé como uma prática em evolução.

Os investigadores notaram que os metatarsos das mulheres, que são os ossos longos do arco do pé, e os poucos ossos sobreviventes foram dramaticamente alterados. No entanto, em comparação com os poucos casos posteriores de esqueletos do pé, os encontrados em Yangguanzhai tinham ossos do tarso em redor do calcanhar que não eram tão alterados, embora fossem ligeiramente reduzidos em tamanho.

Christine Lee, antropóloga da Universidade Estadual da Califórnia, em Los Angeles, disse que normalmente há uma aversão à escavação de sepulturas com menos de mil anos na China. “Estão preocupados com a possibilidade de perturbar acidentalmente os seus ancestrais, o que causaria má sorte”. Escavações em cemitérios do último milénio, quando a prática de atar os pés era praticada, são raras, a menos que os túmulos estejam sob ameaça de serem destruídas.

Lee notou um padrão geral: a taxa da prática entre as mulheres parecia aumentar da dinastia Ming para a dinastia Qing, o que se encaixa com o conhecimento histórico sobre a prática. A amarração dos pés tornou-se mais difundida, especialmente entre as mulheres da elite, durante a dinastia Qing.

As mulheres com os pés atados enfrentaram consequências para a saúde ao longo das suas vidas, incluindo infeções, dedos perdidos, perda de mobilidade, dor durante a caminhada e uma taxa mais alta de fraturas decorrentes de quedas na velhice, descobriram as pesquisas.

Historiadores e economistas ainda publicam artigos a investigar os fatores que influenciam a amarração de pés, já que as motivações por trás da prática parecem ser mais complexas do que o simples cumprimento de padrões de beleza.

Um estudo recente na revista PLOS ONE mostrou que a amarração de pé, pelo menos no início do século XX, estava ligado à alta produtividade entre meninas e mulheres em indústrias artesanais como tecer e bordar têxteis.

“Definitivamente, há muito mais estudos que precisam de ser feitos sobre como a prática mudou ao longo do tempo em diferentes lugares da China“, disse Berger. “Eu vejo muitas descrições na literatura ocidental que descrevem isto como uma prática monolítica, enquanto que, na verdade, foi praticada durante mil anos e mudou de um lugar para outro.”

PARTILHAR

2 COMENTÁRIOS

  1. Observador
    Meu caro de mal a pior
    A Monarquia prendia-se com a chefia do Estado e, Constitucionalmente não interferia, por via de regra, directamente ma a formação dos os governos.
    Com todo o respeito permito-me alertar para o facto de que quase tudo o que é escrito sobre a Monarquia revela um conhecimento intencionalmente deformado da Instituição.
    A história é sempre escrita, e divulgada, e ensinada, na versão dos vencedores. Vivemos em Respubica desde 1910, independentemente dos regimes que se têm acoitado sob essa Chefia de Estado.
    Neste entendimento, e restringindo-nos apenas aos tempos adequados, os pés das consortes (e filhas) dos Senhores Presidentes da Respubica, a terem sido dramaticamente alterados, tê-lo-ão sido mais na óptica do desenvolvimento do palmo (palma?) inglês
    Cumprimentos

RESPONDER

Surtos em lar e infantário fazem 38 infetados nas Caldas da Rainha

Dois surtos de covid-19 foram detetados num lar e num infantário nas Caldas da Rainha, com um total de 38 pessoas infetadas, cinco das quais crianças, confirmou este domingo à agência Lusa o presidente da …

Mais seis mortes e 232 novos casos de covid-19 em Portugal

Portugal regista, nesta segunda-feira, mais seis mortes por covid-19 e mais 232 novos casos, dos quais 195 na região de Lisboa e Vale do Tejo. O boletim epidemiológico desta segunda-feira, divulgado pela Direção-Geral da Saúde (DGS), …

Quebras no turismo triplicam desemprego no Algarve

O desemprego no Algarve aumentou mais de 200% em maio para quase 28 mil desempregados, atingindo sobretudo o setor da hotelaria, que desespera pela chegada de turistas para atenuar o "golpe" de quase três meses …

Marques Mendes elogia "voz independente" de Medina (e diz que a TAP pode ser um crematório político)

Luís Marques Mendes elogiou neste domingo as críticas que o presidente da Câmara Municipal de Lisboa, Fernando Medina, fez ao combate à pandemia, considerando ainda que a resolução da TAP, que culminou na saída de David …

O “Grenadier” já não vai ser português. Fabricante automóvel Ineos desiste de fábrica em Estarreja

A INEOS Automotive, empresa do ramo automóvel, transmitiu à Câmara de Estarreja que vai suspender o investimento de 300 milhões de euros numa fábrica no concelho, revelou este domingo fonte municipal. "A empresa transmitiu à Câmara …

Grécia e Austrália recuam na abertura de fronteiras. Marrocos isola cidade após recorde de casos

Grécia e Austrália anunciaram neste fim-de-semana um recuo na abertura das suas fronteiras, enquanto que Marrocos isolou uma cidade após um número recorde de novas infeções de covid-19 registadas em 24 horas. A Grécia anunciou …

Dinheiro dos pobres usado para "vida de luxo". Presidente, mulher e filha da Mão Amiga acusados

O presidente da Associação Mão Amiga, em Gulpilhares, Vila Nova de Gaia, a mulher e a filha foram acusados pelo Ministério Público (MP) de usarem o dinheiro da instituição para pagarem uma "vida de luxo". …

Fisco tem por cobrar 15 mil milhões de euros em impostos

O Jornal Económico escreve esta segunda-feira que a Autoridade Tributária e Aduaneira (AT) tem por cobrar 14.919 milhões de euros em impostos. De acordo com o diário de economia, mais de metade da dívida dos contribuintes está …

"Armada espanhola" assegura 70% do mercado das obras públicas em Portugal

As empresas espanholas estão a assegurar 70% do mercado das obras públicas em Portugal, escreve esta segunda-feira o jornal Público, citando uma análise ao Portal Base, às obras públicas acima de sete milhões de euros No …

"Oitavos" da Liga dos Campeões não vão ser jogados em Portugal

A UEFA cedeu à pressão dos clubes e decidiu que os encontros da segunda mão dos oitavos-de-final vão ser disputadas nos respetivos estádios dos clubes. Os encontros por jogar relativos aos oitavos-de-final da Liga dos Campeões …