Podem os Espinossauros e outros dinossauros ter conseguido nadar?

DR Davide Bonadonna / National Geographic

O espinossauro é o maior animal carnívoro conhecido. Alimentava-se de tubarões e peixes gigantes

Uma nova pesquisa concluiu que a densidade óssea dos Espinossauros os tornava aptos para a caça debaixo de água, mas há cientistas que discordam da ideia de que os animais sabiam nadar.

Um novo estudo publicado na Nature analisou a densidade dos ossos de vários Espinossauros e concluiu que é provável que vários animais deste grupo de dinossauros tenham sido predominantemente aquáticos.

A descoberta é a mais recente que se acrescenta à lista de estudos que têm desafiado a ideia de que todos os dinossauros eram animais terrestres que não se aventuravam muito pelas águas.

No entanto, há investigadores que insistem que isso não prova que os Espinossauros sabiam nadar.

Em 2014, o paleontólogo Nizar Ibrahim liderou um estudo onde montou o fóssil de um Espinossauro de 15 metros e as suas características peculiares, como a enorme estrutura nas suas costas ou as suas pernas curtas e musculadas, que sugeriram que o animal nadava, revela o Science News.

Os seus ossos também eram densos, algo comum entre os animais aquáticos visto que isto os ajuda a ficar submersos. Ibrahim liderou agora um novo estudo focado especificamente neste aspeto, criando uma base de dados das densidades dos fémures e das costelas de fósseis presentes em museus de todo o mundo.

A equipa concluiu que a densidade dos ossos é um “indicador excelente” sobre o início da transição da espécie de animal terrestre para aquático. Estes ossos podem ter ajudado os dinossauros na transição, já que estes não tinham barbatanas, e a moverem-se debaixo de água e caçar mais facilmente. Para além dos Espinossauros, os Baryonyx também tinham ossos muito densos.

No entanto, a ideia de que os Espinossauros nadavam não é consensual. Em 2021, um estudo examinou a anatomia destes animais detalhadamente e concluiu que este dinossauro não era um predador aquático especializado e que apenas se ficava pelas zonas com pouca profundidade.

Os investigadores concordam que a densidade óssea mostra que os animais também caçavam na água, mas discordam da ideia de que isto prova que soubessem nadar, apontando para o exemplo dos hipopótamos e sublinhando que os seus pescoços compridos, a disposição dos músculos e as suas cabeças inclinadas sugerem que estes caçavam acima da superfície e não perseguiam as presas debaixo de água.

  ZAP //

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.