Espécies protegidas estão a desaparecer até mil vezes mais rápido que o natural

A taxa de extinção das espécies protegidas é entre cem a mil vezes superior ao que seria natural, alertou hoje o Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (PNUMA).

O comércio ilegal de espécies protegidas da fauna e flora gera anualmente 14 milhões de euros, o que o torna no quarto delito mais lucrativo do mundo – a seguir ao narcotráfico, falsificação e tráfico de pessoas -, segundo o Fundo Mundial Para a Natureza (WWF).

Entre as principais fontes de rendimento contam-se a caça furtiva de elefantes, o roubo de grandes símios e o transporte ilegal de madeira, alertou o PNUMA, que designou 03 de março como o Dia Internacional da Fauna e Flora.

Além da ameaça que representa a degradação ambiental para espécies como o urso polar, as baleias e algumas aves migratórias, as Nações Unidas destaca os prejuízos causados pela caça ilegal e a situação de pobreza e exploração em algumas comunidades.

Em alguns casos, o roubo e abuso dos recursos naturais surge ligado à pobreza e seria atenuado potenciando o desenvolvimento sustentável e as designadas economias verdes, sustentam as Nações Unidas.

O comércio ilegal de espécies em extinção afeta diretamente a paz e a segurança internacional, assegura o PNUMA em comunicado.

As apreensões de marfim – que em 2013 alcançaram o máximo histórico, com um total de 41,6 toneladas – indicam que o tráfico deste material é feito através de redes internacionais.

O número de elefantes vítimas de caça ilegal em África duplicou na última década, enquanto o comércio de marfim triplicou.

Em 2012 foram sacrificados 22 mil paquidermes, cifra que se estima ter aumentado em 2013.

Também os rinocerontes são procurados por caçadores furtivos, que já conseguiram acabar com algumas comunidades na Ásia e em África.

Cada ano cerca de três mil símios – chimpanzés, gorilas, e orangotangos – são roubados das florestas africanas e do sudoeste asiático, destinados principalmente à indústria do turismo.

Investigações feitas pelo PNUMA e pela Interpol calculam que entre 50 e 90 por cento da atividade madeireira nos países da Amazónia, África Central e África do Sul é feita pelo crime organizado.

“À margem do papel dos governos, nós, como cidadãos, temos um papel vital para conseguir o fecho dos mercados que sustentam este comércio ilegal, que ameaça a sobrevivência de espécies icónicas como os elefantes ou os rinocerontes”, sublinhou o diretor do PNUMA, Achim Steiner.

A Convenção sobre o Comércio Internacional de Espécies de Flora e Fauna em Risco de Extinção foi adotada há 41 anos.

/Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Denunciantes são "essenciais para combater a corrupção", mas em Portugal há "falta de sensibilidade"

Esta segunda-feira, a ex-eurodeputada Ana Gomes disse que em Portugal "existem falhas de sensibilidade" face aos denunciantes, que "não são protegidos", apesar de serem "absolutamente essenciais para combater a corrupção", frisando o exemplo de Rui …

Produtores de vinagre italiano perdem batalha pela exclusividade do termo "balsâmico"

Os produtores de vinagre italiano de Modena reclamavam a exclusividade do termo "balsâmico". O Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) não lhes deu razão. Segundo a BBC, o Tribunal de Justiça da União Europeia (TJUE) …

Catarina Martins desvaloriza críticas internas. BE "é o partido mais plural da sociedade portuguesa"

Catarina Martins disse ser natural que sejam apresentadas várias moções à convenção do partido. Alguns membros apontam falta de debate interno, críticas relativizadas pela coordenadora. Catarina Martins considerou natural que se apresentem várias moções à convenção …

Homens e mulheres já podem entrar juntos em restaurantes na Arábia Saudita

A Arábia Saudita acabou com a exigência de entradas separadas em restaurantes para homens e mulheres e com a separação entre sexos à mesa. Até agora era obrigatório ter uma entrada para famílias e mulheres …

Exército japonês pediu uma escrava sexual para cada 70 soldados na II Guerra Mundial

Durante a Segunda Guerra Mundial, o exército do Japão pediu ao Governo que fornecesse uma escrava sexual para cada 70 soldados, de acordo com documentos históricos analisados pela agência de notícias nipónica Kyodo News. Os 23 …

Centeno apresenta linhas gerais do Orçamento aos partidos na terça-feira

Mário Centeno apresenta aos partidos, esta terça-feira, as linhas gerais da proposta de Orçamento do Estado. Só o Livre fica de fora por "impedimento de agenda". O Governo apresenta amanhã, dia 10 de dezembro, as linhas …

Amianto. Fenprof vai apresentar queixa em Bruxelas

A Fenprof acusa o Governo português de não cumprir a diretiva comunitária que impõe a retirada de amianto de edifícios públicos, incluindo escolas. A Federação Nacional de Professores (Fenprof) vai apresentar uma queixa à Comissão Europeia …

Luís Maximiano: "Battaglia levou com o garrafão de água e o Misic com um cinto na cara"

O guarda-redes do Sporting disse esta segunda-feira que ficou “bloqueado e sem reação” durante o ataque à Academia de Alcochete, descrevendo as agressões aos colegas de equipa, após a entrada no balneário de mais de …

Peritos da Ordem admitem práticas ilícitas na venda de produtos no BES e Banif

Os peritos da Ordem dos Advogados que analisaram as reclamações de lesados do BES e do Banif disseram esta segunda-feira aos jornalistas que encontraram indícios de práticas ilícitas na venda de produtos financeiros por aqueles …

Já há rascunho do acordo da COP25 (mas nada está ainda totalmente fechado)

Esta segunda-feira arranca a semana decisiva, depois de uma semana de trabalho técnico ara definir as linhas que vão dar origem ao documento final da 25.ª Convenção das Partes (COP25) da Convenção-Quadro das Nações Unidas …