Espécies exóticas podem ameaçar ecossistemas portugueses

ZiskoW / Wikimedia

O siluro (Silurus glanis) chega a atingir os três metros e a pesar mais de 100 quilos

O siluro (Silurus glanis) chega a atingir os três metros e a pesar mais de 100 quilos

Espécies exóticas como o siluro (um peixe), a ameijoa-japonesa ou o jacinto-de-água, podem trazer problemas aos ecossistemas portugueses, como a bacia do Tejo, alertou uma investigadora, defendendo a necessidade de informar a população.

“É essa mensagem que queremos passar, que gostamos muito de ter uma elevada biodiversidade, mas é a biodiversidade própria de cada sistema, com cada um no seu lugar”, disse Paula Chainho investigadora do Centro de Ciências do Mar e do Ambiente (MARE).

Quando as espécies deixam de ocupar o seu lugar, acrescentou, “podem causar desequilíbrios, que podem ter consequências graves para os humanos” e para a natureza.

Os cientistas não sabem quais as consequências exatas para os ecossistemas da presença de espécies exóticas pois “cada um tem um equilíbrio próprio”, por isso, a investigadora defendeu que a “prevenção é o melhor remédio”, recordando que “ao introduzir uma espécie não indígena é extremamente difícil ou impossível erradicá-la”.

Visando sensibilizar os portugueses, nomeadamente as crianças, esta quinta-feira foi inaugurada uma exposição em Alcochete, com o título “Invasão Exótica: o Tejo sob ameaça”, a decorrer até 15 de abril, em parceria com o Instituto de Conservação da natureza e Florestas (ICNF) e a Câmara Municipal de Alcochete, e será realizado um encontro, no dia 22 de março.

“Há muitas espécies exóticas, não indígenas, na bacia do Tejo, e isso pode representar um problema grave para o qual as pessoas não têm sido alertadas”, realçou Paula Chainho, coordenadora da exposição.

Entre as espécies invasoras mais emblemáticas, que na bacia do Tejo serão 57 no total, a cientista deu os exemplos de uma planta ornamental, o jacinto-de-água, vinda do Brasil, da ameijoa-japonesa, primeiro introduzida na ria Formosa, ou o siluro (Silurus glanis) – um peixe de grandes dimensões, mas muitas vezes confundido com o peixe-gato -, oriundo da parte asiática da Rússia.

O jacinto-de-água “consegue proliferar em grande quantidade, é uma espécie invasora e pode tapar completamente uma ribeira, reduz a concentração de oxigénio na água, afeta todos os organismos que ai vivem e impede a circulação de embarcações, tem um impacto para o ecossistema e outro para nós”, explicou a investigadora do MARE.

A ameijoa-japonesa chegou a Portugal para ser usada na aquacultura porque, referiu, “é uma espécie de grande interesse comercial, tem um crescimento muito rápido, e supõe-se que foi intencionalmente dispersada por pescadores”.

Paula Chainho falou ainda do siluro, “trazido da Ásia, da Rússia, porque os pescadores gostam muito de o capturar, principalmente devido à suas elevadas dimensões”.

Outros vetores de introdução de espécies exóticas são as águas de lastro dos navios, usadas para equilibrar os porões quando não estão cheios e que são largadas no porto onde recebem carga, levando organismos vivos característicos do lugar onde encheram os tanques.

// Lusa

PARTILHAR

RESPONDER

Para além de autocarros, Cascais quer comboios gratuitos dentro do município

Desde 1 de janeiro de 2020, Cascais tornou-se no primeiro concelho do país a ter transportes públicos rodoviários gratuitos. Agora, quer alargar a iniciativa aos comboios. "Estamos a abrir um novo paradigma, que encara a mobilidade …

Governo convoca sindicatos para negociar aumentos acima dos 0,3%

O Governo convocou as estruturas sindicais da administração pública para voltar a negociar a proposta dos aumentos salariais de 0,3% para este ano. De acordo com a agência Lusa, o Governo convocou as estruturas sindicais da administração …

Governo prepara injeção final de 1400 milhões no Novo Banco

Desde a venda, em outubro de 2017, o Estado já injetou 1,9 mil milhões de euros no Novo Banco. Agora, o Fundo de Resolução estuda injetar mais 1,4 mil milhões. O Fundo de Resolução e o …

Em Espanha, há jogadores a serem pressionados a sair para países árabes

Jogadores do UD Almería estão a ser pressionados pelo dono do clube a sair para clubes de países árabes. Alguns atletas já apresentaram queixa ao sindicato. O xeique Turki Al-Sheikh, dono do Almería, da segunda divisão …

Chuva forte inunda Hospital de São José, em Lisboa

As chuvas fortes que se fizeram sentir esta quinta-feira inundaram o Hospital de São José, em Lisboa, deixando algumas salas alagadas. A informação é avançada pelo Correio da Manhã, que publicada algumas fotografias nas quais se …

Aos 58 anos, Carlos Sainz volta a fazer história ao conquistar o seu terceiro Dakar

Carlos Sainz reforçou o estatuto de piloto mais veterano a conquistar o Dakar, ampliando assim por mais um par de anos o recorde que já lhe pertencia. O espanhol Carlos Sainz (Mini) conquistou a terceira vitória …

Alunos até ao 6.º ano vão poder ficar nas escolas das 9 às 17 horas

O princípio da Escola a Tempo Inteiro (ETI), que permite prolongar o horário escolar dos alunos do 1.º ciclo através de Atividades de Enriquecimento Curricular (AEC), vai ser também alargado aos estudantes do 2.º ciclo. …

Bruno Fernandes corre risco de não fazer o último jogo contra o Benfica

Com a transferência de Bruno Fernandes para o Manchester United quase fechada, o internacional português corre o risco de não alinhar esta sexta-feira no dérbi com o Benfica. A notícia avançada hoje pelo Correio da Manhã …

Carreiras chama "traidor" a Rio (e considera que Passos Coelho voltará a unir o partido)

O autarca de Cascais, Carlos Carreiras, classifica Rui Rio como "traidor" e considera que, "se e quando decidir voltar", Pedro Passos Coelho voltará a unir o PSD. Carlos Carreiras, presidente da maior autarquia social-democrata do país, …

Docentes com mais de 60 anos podem deixar de dar aulas

Tiago Brandão Rodrigues colocou em cima da mesa a opção de docentes com mais de 60 anos poderem deixar de dar aulas e passar a desempenhar outras atividades nas escolas. Na nota de apresentação do Orçamento …