/

Espécie rara de orquídea encontrada em telhado de banco de investimentos em Londres

1

(dr) Nomura

Uma espécie rara de orquídea, que se acredita estar extinta no Reino Unido, foi descoberta no jardim do telhado de um banco de investimentos em Londres.

Segundo o The Guardian, a Serapias parviflora, uma espécie rara de orquídea popularmente conhecida como orquídea-de-língua-pequena, foi encontrada recentemente no jardim do telhado de um banco de investimentos em Londres, no Reino Unido.

A flor é normalmente encontrada na bacia do Mediterrâneo e na costa atlântica da França, Espanha e Portugal. O diário britânico detalha que é apenas a segunda vez que esta espécie é descoberta no Reino Unido: em 1989, a colónia foi encontrada em Rame Head, Cornwall.

Foi Mark Patterson, responsável pela manutenção do jardim, que encontrou as flores, mas ninguém sabe como chegaram a este local.

“As sementes de orquídeas são incrivelmente pequenas e podem viajar grandes distâncias com a ajuda do vento”, explicou Patterson. É possível que as plantas se tenham originado “no continente e atravessado o Canal da Mancha com os ventos do sul, que trazem frequentemente depósitos de poeira do deserto do Sahara para a capital”, acrescentou.

Assim que chegaram ao telhado do banco Nomura, as sementes podem ter formado “uma simbiose com um fungo micorrízico, que lhes permitiu germinar e crescer”.

Apesar de esta teoria ser plausível, as probabilidades de tal ter acontecido “são astronómicas”, sublinhou Mark Patterson.

O The Guardian avança ainda que as sementes podem ter sido levadas na própria areia usada para criar o jardim há mais de uma década, uma vez que a Serapias parviflora pode demorar vários anos até crescer num solo seco e árido. .

O ecologista Mike Waller disse ao matutino que a descoberta é “emocionante”, uma vez que encontrar estas raras orquídeas num telhado verde na cidade de Londres é “uma prova clara de que, com paciência e dedicação, mesmo os lugares mais improváveis ​​podem tornar-se refúgios para alguns dos nossos animais selvagens mais raros”.

Alguns botânicos estão preocupados com as espécies de flores provenientes de climas mais quentes à medida que as temperaturas continuam a subir.

É o caso de Mark Spencer, curador de botânica da Linnean Society of London, que disse que, apesar de ser um “evento muito interessante, há uma corrente subjacente profundamente preocupante, nomeadamente as alterações climáticas“.

  ZAP //

1 Comment

Deixe o seu comentário

Your email address will not be published.