Cientista descobre espécie extinta de ganso através de uma pintura egípcia

Uma famosa pintura que estava originalmente no túmulo do príncipe egípcio Nefermaat levou um cientista a descobrir uma espécie de ganso já extinta.

A cena “gansos de Meidum”, originalmente pintada no túmulo do príncipe Nefermaat, encontra-se agora no Museu Egípcio, na cidade do Cairo. Ao ter analisado a pintura, que tem cerca de 4600 anos, um investigador percebeu que nela constava uma espécie de ganso já extinta.

Em comunicado, Anthony Romilio, da Universidade de Queensland, na Austrália, disse que este animal era bem diferente dos atuais gansos de peito vermelho (Branta ruficollis), com cores e padrões distintos no focinho, peito, asas e patas.

“Esta pintura tem sido admirada desde a sua descoberta no século XIX e é descrita como a ‘Mona Lisa do Egipto’. Aparentemente, ninguém se apercebeu que representava uma espécie desconhecida. A licença artística poderia explicar as diferenças com os gansos modernos, mas a verdade é que as obras de arte deste local têm representações extremamente realistas de outras aves e mamíferos”, explicou.

Romilio disse ainda que nunca foram encontrados ossos de gansos de peito vermelho em nenhum dos sítios arqueológicos egípcios. “Curiosamente, foram encontrados ossos de um pássaro semelhante, mas não idêntico, em Creta. De uma perspetiva zoológica, a obra de arte egípcia é a única documentação deste ganso, que agora parece estar extinto a nível global”, acrescentou.

O cientista declarou que animais extintos já foram identificados anteriormente na arte antiga, mas nem todas as espécies foram confirmadas cientificamente. Neste caso, Romilio revelou que aplicou os “critérios de Tobias” (delimitação das espécies).

“Este é um método muito eficaz para identificar espécies, que utiliza medidas quantitativas das características chave das aves, e aumenta muito o valor da informação para a ciência zoológica e ecológica.”

O investigador destacou o facto de o Egipto nem sempre ter sido predominantemente desértico, acrescentando que já teve “uma história de biodiversidade, rica em espécies agora extintas”.

“A sua antiga cultura surgiu quando o Saara era verde e coberto de pastagens, lagos e florestas, estando repleto de vários animais, muitos dos quais foram representados nos túmulos e nos templos. Até agora, a ciência confirmou a identidade de relativamente poucas dessas espécies”, concluiu.

O estudo foi publicado, a 13 de fevereiro, na revista científica Journal of Archaeological Science: Reports.

Filipa Mesquita Filipa Mesquita, ZAP //

PARTILHAR

RESPONDER

O segredo dos bigodes dos animais tem a forma de um S (e reside na forma como dobram)

Há muitos mamíferos que têm bigodes para sentirem o ambiente à sua volta, semelhante à sensação do tato. No entanto, os meios pelos quais os bigodes comunicam essa sensação de toque ao cérebro ainda permaneciam …

O trabalho de um aluno de Física chamou a atenção dos investigadores quânticos da Amazon

Os cientistas têm várias preocupações relacionadas com o potencial dos computadores quânticos e o progresso neste campo tem sido muito lento. Recentemente, um dos obstáculos pode ter sido reduzido por um estudante de Física da …

Famosa rajada rápida de rádio bateu recorde (e revelou magnetosfera "dançante" em estrela de neutrões)

Duas equipas internacionais de astrónomos publicaram dois artigos científicos com novas informações sobre a famosa rajada rápida de rádio FRB20180916B. No estudo publicado na Astrophysical Journal Letters, os cientistas mediram a radiação das explosões nas frequências …

Farense 0-1 Sporting | Beto e Adán gigantes em noite de recorde leonino

O Sporting sofreu bastante para levar os três pontos na visita ao Farense. O líder do campeonato marcou um golo, por Pedro Gonçalves, dominou durante a primeira parte, mas na segunda deixou os algarvios criarem …

Uma simples mudança está a evitar a morte de um macaco em vias de extinção

Cientistas conseguiram dar uma tábua de salvação a uma espécie de macaco em risco de extinção, cujos espécimes são frequentemente atropelados por automóveis nas estradas de um parque nacional em Zanzibar. De acordo com a Lista …

Antigo rito sagrado "entre irmãos" pode ter sido, na verdade, o casamento homossexual

A adelfopoiese era uma cerimónia praticada historicamente na tradição cristã para unir duas pessoas do mesmo sexo - normalmente homens - num relacionamento reconhecido pela igreja, análogo ao irmão. Segundo documentos históricos, com 20 anos, Simeão …

Talin fechou uma estrada para que sapos e rãs possam atravessar em segurança

A capital da Estónia fechou uma estrada movimentada, durante as noites do mês de abril, para garantir que milhares de sapos e rãs conseguem atravessar em segurança para o local onde se vão reproduzir. Geralmente, são …

Organizador do White Lives Matter está a formar um novo grupo fascista (que quer uma guerra racial)

Organizador do White Lives Matter está a formar um novo grupo fascista, que procura agradar à opinião pública e quer ver uma guerra racial nos Estados Unidos. O organizador do abortado comício White Lives Matter, em …

Bezos nega que funcionários sejam vistos como "robôs". Mas Amazon deve tratá-los "melhor"

O ainda presidente executivo da Amazon, Jeff Bezos, enviou uma última carta aos acionistas da empresa, negando que os funcionários sejam "tratados como robôs", conforme alegaram alguns trabalhadores e críticos da empresa. Segundo Bezos - que …

A imponência do Titanic pode ter acelerado o fim da sua história

Com quase 269 metros de comprimento, o tamanho do Titanic - considerado o maior navio do mundo em 1912 - pode mesmo ter acelerado o fim da sua história. O Titanic media quase 269 metros de …